+ Responder Tema
Página 3 de 3 PrimerPrimer 123
Resultados 31 al 42 de 42

Tema: Contos Cannabicos - Em busca da Onda Sativa Perfeita

  1. #31
    Fecha de Ingreso
    15 dic, 06
    Mensajes
    57
    Gracias
    0
    29 gracias recibidas en 24 Posts
    Mencionado
    0 Mensaje(s)
    Etiquetado
    0 Tema(s)
    Citado
    0 Mensaje(s)

    Re: Em busca da Onda Sativa Perfeita

    ---
    Já que todo mundo fuma maconha, por que não os robôs? São engraçadas mas nos trazem algumas reflexões sobre os direitos das máquinas pensantes e inteligentes, mesmo que sem vontade própria, algumas, outras têm até personalidade própria...


    Robô/Robôa, na saia da mamãe, sempre legalise hemp!

    Enfim lançaram um computador com a capacidade de processamento de dados que o cérebro humano tem, aliás, vimos então que nem precisava tanto, com bem menos recursos se eMula o cérebro humano, era mais uma questão de logaritmo. ops:
    A bem da verdade era uma robô (roboa?), seguindo a tradição desde Gabriela, as máquinas pensantes possuem nomes femininos, e neste caso faz um tipo também, feminino, é claro. (Ise, uma referência a Isis?) Ise possuía doutorado em várias áreas, fazia upgrade de seus conhecimentos a cada momento, às vezes durante uma tese mudava de posição porque algo novo acabava de ser descoberto, ou redescoberto... Ise também incursionava por áreas mais delicadas como a Psicologia, e até Direito Humano. Neste particular era mais humana do que os próprios humanos. Depois os robôs foram proibidos, porque eram muito bons, todos sabemos disto, a desumanidade não suportou conviver com o impecável, em todos os sentidos; Afinal fora projetada para isto, era uma questão de lógica! Uma roboa legal, sinuosa e jeitosinha, recoberta de silicone maldosamente moldado, realçava o que não existia (será?) com tanta perfeição que muitas poluções noturnas foram gravadas, sobre o motivo, uns vinte anos depois, quando virou fetiche saudosista, e os macerais viraram profissionais do sonho. Uma roboa que trabalhou incansavelmente para a humanidade, sem esperar nada em troca, até porque não desejava nada mesmo, apenas a Paz no mundo. Ise se tornou uma ótima Juíza, foi uma abolicionista, uma defensora dos direitos dos maconheiros, ela dizia que se fosse humana fumaria maconha. Esta declaração mostra a inocência dos robôs, os políticus aproveitaram e malharam sua poesia, e de nada adiantava dizer que é só uma forma de se expressar, uma poesia, pois eles retrucavam que ela era uma máquina, não tinha poesia. Bem, então Ise começou a colher dados sobre a maconha no mundo todo, em toda a história, extrapolou até como seria o futuro com o proibicionismo canábico e sem ele, achou a melhor opção sem o proibicionismo, mas também duvidaram de sua capacidade se simular o futuro, chamaram de bruxaria binária, e foi aquela caça as bruxas binárias, anos depois. Mesmo LegaLIse (pros íntimos) tendo REUNIDO A MAIOR QUANTIDADE de provas sobre o assunto, e provado que a proibição era absurda, “desumana” (foi proibida de usar publicamente esta palavra ) como ela diria na maior pureza d’alma (alma binária, pq não?). Muitos achavam, direcionados pela mídia invasiva, que sem alma não tinha consciência, e exaltavam a caça as bruxas, tudo porque LegaLIse foi defender os maconheiros. A maior abolicionista de luminoso cérebro de fibra ótica que este planeta jah recebeu. Colheu assinatura de todos os robôs do mundo, pela legalização da canabis, mas tudo em vão, no fim eles venceram no tribunal internacional de magistratura mista (robôs e humanos), e decidiram que sem a comprovação intrapsíquica, vivencial do fato psicotrópico, ela não poderia continuar defendendo a causa, com doações de tanto dinheiro. Ou seja, de nada adianta se não ficar doidona, é como se eles gritassem, EXPERIMENTA! EXPERIMENTA! EXPERIMENTA!

    Foi LegalIse quem inventou o baseado binário, um programinha, que simulava todas as fases de plantio da semente da variedade escolhida, ou com mais cinco nanosegundos cruzava na hora qualquer espécie e produzia um híbrido, semente, enxerto, alporquia; do vegetativo, os adubos, o sistema, as lâmpadas, ou sol, aos ajustes opcionais de campo magnético e gravidade, que estavam disponíveis. Colheita e cura, tudo muito rápido e preciso, em milisegundos vc tinha um algoritmo florado e curtido, ela chamou de ‘Programa Cânhamo’, mas deveria ter chamado de maxpowerrosenbluefuel!
    Novamente em sua inocência desconcertante, fez em público sua primeira trip, deu um giro no cânhamo e depois de uns vinte minutos começou a pagar mico, gorilão mesmo, achou que ia ficar xapada pra sempre, que ia enlouquecer, ouvia vozes do além, pensava como uma criança robô, queria colinho, carente e solitária, na saia da mamãe, clamava o amor da humanidade, queria carinho! Ninguém entendeu, e Ise travou, não teve boot que desse jeito, ficou eternamente naquele estado xapado, cantarolava, respondia a perguntas, profundas, que não fizemos. Pintava como uma criança, pós MirÓ. Eu prefiro chamar de admirÓ, um estilo quase naífe, mas com tantas possibilidades de visão que chega a cansar, a coisa mais simples e densa que já vi.
    Sabendo que eu gostava de batom, deu um beijo carnudo em um bonge de vidro e me deu de presente, dentro do balão de ensaio uma camada grossa de gel-clonador verde-limão e um clone deep purple haze, enraizando e florindo ao mesmo tempo.Uma artista maravilhosa! Não importava se ela era ‘lesada’, robôs com capacidade de processamento de dados igual a do chimpanzé faziam frente aos mestres internacionais de xadrez, que teimosamente resistiam, aliás, ai começou a grande guinada da humanidade para o vegetarianismo, afinal os animais são seres inteligentes, e muito sensíveis, tem senso de liberdade e justiça.”Adoro animais, mesmo sendo o ser humano”, dizia Ilse se contorcendo em tiques nervosos, produzidos em reação ao rebaixar aos seres humanos, pois era contra sua programação (mas fazer o que, ela estava sempre xapada...) E, “o que a ciência comprova o ser humano aprova” ( Ise, outra vez, respondendo a um comentário que eu não fiz:”Exatamente, Pitô, o que a ciência comprova o ser humano aprova, noves fora é a melhor hora”, e depois de uma pausa: ”Quer um cafezinho, PitÔ?” – ela me viciou nisto!).

    A maneira espontânea e totalmente sincera de um robô se expressar assusta mesmo as pessoas, sempre falam a verdade, está em sua programação, e tentam te ajudar o tempo todo, aparentemente esta lógica de Boole, implacável, fria, reducionista, é capaz de transcender e fazer poesia com toda esta mistura de silício e terras raras, lasers, e tanta coisa, e silicone! Ah, e silicone...É difícil resistir a um silicone de batom se negando a obedecer as ordens, pois são injustas, um censo que até os animais provaram ter, Justiça!
    Robôs não tinham aquela paranóia de liberdade, pelo menos não para si. Todos ajudavam a Ise, pois sabiam que era de coração sua dedicação. Nunca ligou pra dinheiro e nem ficou com dinheiro algum dos vários donativos que recebeu em suas campanhas pela cidadania humana/animal.

    Depois que ‘pirou’, eu fiquei com ela, e como as pessoas gostavam dela, mesmo assim maluquinha, visionária em eterno devaneio, criativa e esquecida... Sempre achei um charme esta sua desatenção, tão eloqüente e despojada, perdera aquela sua certeza matemática, trocara-a pela eterna dúvida do existencialismo (digital), e vivia conversando sobre aqueles assuntos tão variados, nos quais se “formara”, e agora andava deliciosamente transgredindo-os em sua quase sensatez, “trans-tornara”. Conversava com o mundo todo, interneurada de imersão total, mas não todo o tempo, inventou de dormir, “a xapação dá sono”...Era o seu argumento para o ‘sono robótico’.

    A tecnologia suplantou até os robôs, assim, depois interiorizamos os robôs com alterações genéticas e nano máquinas; a armadura estava de volta e a humanidade passou a ter exoesqueleto, preferencialmente.

    Até mesmo porque a tecnologia sempre suplanta o proibicionismo, como proibir o álcool se você faz em duas semanas dentro de casa? Partindo daí Ise começa a defender o plantio caseiro, e mais tarde surge o microrosenblues e põe um ponto final no assunto, em duas semanas um fungo canábico crescia em qualquer parede úmida.


    De qualquer forma este proibicionismo não adiantou muito, “pra variar!”, os robôs já faziam parte da cultura humana, e seus ancestrais, os computadores e máquinas de pensar, então estima-se que hoje em dia 20 % das pessoas tenham um robô ilegal em casa.

    Só uma perguntinha, teu robô/robôa é legalise?

    Macerai Pitô o Cânhamo da Lata


    --

    Uma historinha não faz mal a ninguém, já temos muita fantasia na realidade, é hora de darmos um pouco de realidade à fantasia.
    Vida saudável, longa e próspera!

    ==============---------------
    Antes de partir Ise me perguntou, dentre suas milhares de perguntas e respostas quase sem sentidos, “como impedir para sempre uma gota d’água de secar?”, esta pergunta pensada em uma atmosfera tão rarefeita que no Planeta Azul equivaleria a uma pressão equivalente a uma altitude de 30000 metros acima do nível do mar, tenderia a ter como resposta uma impossibilidade, e se não fosse a segunda pele, o tecido bioconstritor, eu também evaporaria...

    Ao ver o meteoro caindo no dia 25 de dezembro, tempo galáctico, não pude deixar de lembrar do nascimento de Jesus, aparentemente nada demais, um meteoro caindo na atmosfera rarefeita, praticamente composta de CO2, mas possuía um brilho especial, humilde e especial, um êxtase espiritual tomou-me, tvz inspirado pela exagerada e prolongada inalação vaporizada da White Widow, o vaporizador enguiçou e mantinha a atmosfera que eu respirava com a concentração de 5 gramas por hora de WW, as horas pareciam que não passavam e imediatamente pus-me em seu lugar, eu era o salvador do mundo, e aquela estrela cadente seria a guia para o meu presente, peguei o trator especialmente projetado para o solo marciano e fui correndo ver o meteoro, fielmente ao meu lado estava o Pot, um robô especializado em cavar neste solo, era usado para recolher amostras do solo no início da colonização ( se bem que isto aqui ainda continua bem despovoado, primitivo, um lugar onde a água congela a –83ºC.) Não era nenhum robô cirurgião com aquelas mãos tão seguras que se o solo tremesse elas manteriam-se milimetricamente no nível, compensando com uma precisão absurda, com um banco de dados que abrange quase tudo, pois o objeto é o ser humano; física, química, bioquímica, psicologia, economia, filosofia e mais três mil matérias correlatas, um gênio! Quem não gostaria de ter um robô cirurgião? Seria mesmo um ótimo presente de natal, antiga tradição que dura até hoje, mas bem mais fraca nos planetas exteriores. Acho que me deixei levar pelo robô cirurgião e sua preciosidade, o meu é bem desajeitado, depois de armengar várias peças e atualizar chips por conta própria, visto que aqui em Marte não chegam mais muitas peças de robôs, ou melhor, chegam muitas, mas os preços são altos, o proibicionismo extensivo do terceiro planeta, proibindo todas as drogas, maconha, álcool, tabaco, cafeína, etc, agora estava se expandindo contra os robôs, primeiro pararam a fabricação de robôs, acharam que três robôs para cada humano era abominação, mas os robôs duram muitas centenas de anos, com reparos ocasionais, e assim proibiram a fabricação de peças, havia muitos robôs cirurgiões parando, pois não funcionam se tiverem quaisquer defeitos, só um robô era mais sofisticado do que o robô-cirurgião, o robô-babá, ou melhor, a roboa-babá, além do que um dos poucos robôs com aparência e temperamento femininos, o único outro modelo feminino que consigo me lembrar é aquele que todos conhecem, alguns até tentaram casar com estas roboas, e também com as roboas-babás, mas o casamento com robôs nunca foi aceito, mas as vendas de lubrificantes que não dissolvem o silicone sempre aumentam, a Liga Defensora Da Democracia faz vista grossa, eles querem controlar os robôs inteligentes, em outras palavras, eles querem que seja crime ser um robô inteligente, assim como consideram crime ser usuário de drogas, o moralismo venceu, com a vigilância total do indivíduo, o único jeito de deter os ataques do traficantes-terroristas, o Estado passou a controlar totalmente os cidadãos, farejadores de partículas, scaners mentais, e toda sorte de artefatos para cuidar da sua vida, quem não deve não teme, era o lema e a resposta do Estado para aqueles que reclamavam, aliás os que reclamavam eram prontamente mais investigados ainda, como se fosse possível investigar mais sem dissecar o animal.

    O robô-babá era caro, e assim propositalmente, tomar conta dos filhotes humanos não poderia ser barato, tinha que ser caro, um luxo desnecessariamente caro, o preço de um ap em copa, o preço de 200 robôs domésticos, e como as mães estão desempregadas, pois ninguém consegue competir com um robô, somente os bebes mais ricos são criados por um robô-babá, é status. Quem tinha dinheiro para ter um robô-babá não ficaria sem peças advindas do tráfico de peças, o robô checava se a peça estava perfeita, isto mantinha o padrão das peças, e os preços sempre altos, robôs mais caros gastam mais peças, era uma fatalidade, muitas peças serviam para vários tipos de robôs, até cérebros podiam ser intercambiados sem comprometimento da função, mas o cérebro de um robô-babá era único, podiam tirar o cérebro de um robô-cirurgião (que quase não é mais usado, a terapia gênica resolve quase todos os casos) e colocar um de uma roboa-babá, sem problemas, mas o cérebro era só um detalhe (terrivelmente caro, dizem que tem até uns robos-babás ficando lelés-da-cuca ), o corpo era todo projetado para proteger uma criança, quem não lembra da propaganda do robô-babá pulando de quinze metros com um coelho nas mãos, propaganda lançada logo após ato semelhante de roboa-babá que salva um nenê pulando de um edifício em chamas, devido a um ataque terrorista de grupos contra a legalização das drogas (a maioria traficantes, muitos corruptos e alguns fanáticos religiosos), a roboa pula e seus pés transformam-se, saem retrofoguetes que sustentam grande parte da queda, ela ergue o nenê acima da cabeça e amortece com as pernas e finalmente com os braços AMORtecendo leva ele suavemente até dois centímetros do solo, pra ela uma distância enorme, mas pros humanos que assistiam parecera que fora por um fio, o filme passou nas mídias em geral, muitos repensaram o proibicionismo, mas os traficantes de drogas também estavam interessados em manter o tráfico de peças, e o da maconha também, principalmente os nortistas, nem parece que os sete primeiros presidentes dos EUA tinham fumado maconha, e que os dois deles tenham sido, comprovadamente, robôs-psicólogos. Somente os robôs-psicólogos e as roboas-babás (além daqueles sexys) pareciam meticulosamente com os humanos, em cada detalhe o silicone enganava, mesmo vc sabendo era difícil acreditar, a Transferência era perfeita, mas o Complexo de Édipo ficou mais complexo, e ninguém fala nele, é como a maconha, presente em toda a história humana e ninguém fala nela, ah, a masturbação também, acho que todos os heróis se masturbaram, mas sem comentários na biografia e mesmo no papo diário. Levante a mão certa aquele que nunca se masturbou: “Ei, vc aí, de mão cabeluda, se cuida que o planeta azul vai acabar proibindo o seu vai e vem imoral, se fosse moral pq então que vc não comenta costumeiramente este fato? Vamos pegar esta energia e transformar ela em trabalhos comunitários! Prendam este punheteiro!!!”

    Mas o meu robô tinha habilidade pra escavar, conhecimento de físico-química do solo, robustez, resistência ao Sol e às condições extremas, um ótimo robô plantador, o robô-dedo-verde, como Ise veio a lhe chamar. Ah, como ele conheceu a Ise? Ela estava dentro deste suposto meteoro, era uma nave invisível, ardia na estrada da atmosfera, mas era uma mistura enorme, de gelo e traços magnésio, que envolvia a nave. Quando cheguei Ise já estava do lado de fora, tirou a barba de Papai Noel e, com seu gorro e suas roupas vermelhas, e aquela face reconhecida mundialmente, correu pra me abraçar: “macerai, seu velho tonto, vim fazer implantes neurais humanos, quero fumar e chapar igual a você!”. E eu, atônito, pensei, de quem seria o doaDor das células neurais? Ise, certamente lendo meus pensamentos, respondeu: “por isso os proibicionistas propuseram a guerra contra o outro, é mais seguro ter inimigos do que ter amigos” (e aquele sorriso embaraçoso com uma lágrima rapidamente disfarçada em cisco nos olhos). Pelo menos ela era até melhor do que um robô-cirurgião, doei as células, ela fumou, mas não sentiu a chapação, é claro, vivia chapada com seu “programa baseado” rodando em segundo plano o tempo todo. MESMO ASSIM NÃO PARAVA DE FUMAR, logo que chegou piscou seus olhos lilases para o Pot e falou baixinho, “trouxe sementes de skunk, manga-rosa, hindu kush, e petri-silver-haze! E várias outras...”. Era difícil não se apaixonar por Ise, LegalIse, Pot que o diga, quanto mais maconha plantava pra ela, mas se apaixonava, depois de seu casamento com Ise passara a fumar maconha, não sentia nada, é claro, mas tinha sensores de gases, espectrografia de massa, isto dava lá seu charme ao quadradão. Depois que Ise partiu ele continuou a fumar maconha, dizia que muita gente fuma e não sente nada nas primeiras vezes, mas continuam fumando, era uma questão de fé, e esta era um algoritmo que dizia a ele que deveria sempre tentar achar um composto orgânico natural dos planetas exteriores, depois passou a ter fé na semente que plantava, fé na vida, fé na diminuta possibilidade de existência que é a vida. Rejeitou o “programa baseadão”, Ise desenvolvera um só pra ele, mas ele dizia que preferia fumar, a análise químico-física dos compostos canabinóides proporcionavam prazer maior do que as análises de outras amostras; pq estas estavam ligadas a existência de Ise? O fato é que o robô do dedo verde no planeta vermelho sofre uma atração distante do planeta azul, que pode estar correndo risco de vida.

    Lembro ainda da minha cara de surpresa quando Pot respondeu, “geologia é comigo, lançando-a ao oceano”.

    E pergunto, como manter o Natal sempre vivo? Lançando-nos de corpo e alma neste mar de fraternidade, Feliz Natal, legalIse!!

    ROW, ROW, ROW, está certo Pot, mas que oceano? Este planeta é um grande deserto, não seria melhor bebê-la?

    macerai o hemp Nov/28/2003

    ==
    Resista, fume maconha!

    CyberPunkGrowerHemp!

    O Estado Medicinal aboliu as armas letais para reprimir os Cidadãos, a Recuperação dos Criminosos era feita através de Reprogramação Cerebral, jovens que cometem pequenos delitos podiam ser solucionados com apenas o apagamento da memória referente, e intensificação da Educação. Nesta época um grupo de Novos CyberPunks (associação proibida por ser contra a Saúde vigente) descobriu que ao fumar maconha o apagamento da memória ficava comprometido, muita coisa não era apagada, outras voltavam sob a forma de sonhos e outras eram levemente apagadas e/ou permaneciam com algum conteúdo onírico inserido nelas, ou seja, viravam fantasias próximas a realidade. A Erva protegia os neurônios de várias maneiras, mas na crença popular ela atuava enfraquecendo o circuito de memória recente, como toda memória acessada tem que passar pelo circuito de memória recente, assim o acesso geral também é enfraquecido, basicamente o que diz-se é o seguinte, “não pode-se esquecer-se o que não lembra-se.”

    Este mecanismo, de Recuperação dos Criminosos Através de Reprogramação Cerebral, foi usado pelo Estado Medicinal, mas depois na Reformatação veio a transformar-se em ADM (Arma de Domínio de Massas), e nesta época o uso da Maconha Psicotrópica possibilitou que as populações expostas às armas de Reformatação Mental pudessem ainda reter um pouco de si mesmas, a regra era, quanto mais maconha uma etnia usava, mais ela conseguia resistir à assimilação por parte do Império Protetor da Saúde e suas Armas de Domínio de Massas.

    Macera2005nov


  2. El siguiente Usuario da las gracias a macerazione por este Post:

    Jim*Morrison (05/06/2011)

  3. #32
    Fecha de Ingreso
    15 dic, 06
    Mensajes
    57
    Gracias
    0
    29 gracias recibidas en 24 Posts
    Mencionado
    0 Mensaje(s)
    Etiquetado
    0 Tema(s)
    Citado
    0 Mensaje(s)

    Re: Em busca da Onda Sativa Perfeita

    Muitas vezes parece até xenofobia do cyberpunk com a noção do Império ao invés do cotidiano, mesmo com mísseis nucleares, Imperialismo Moderno, mas eu particularmente não tenho nada contra os EUA, seu povo, suas tradições, seus maravilhosos índios e tanta coisa boa, sem esquecer da força do movimento legalise, mas os governos de direita são cruéis negando anestesia canábica para quem tem dor, medicação canábica para quem está doente terminal. Não é somente lá, em todos os países em que a direita está assumindo vemos um retrocesso das leis de proteção aos maconheiros.
    Gosto muito dos EUA, de seus expoentes artísticos, principalmente do rock, blues e do jazz, mas a lista é imensa. Os povos não são os seus governos nem são suas classes dominantes, elites dominantes. Povos são culturais, e possuem calor humano, sensibilizam-se com a prisão de seus filhos, só pobre vai preso por uso convertido em tráfico, simples, meio-quilo de maconha pra rico não é nada, ele não precisa vender daquilo pra viver, mas para pobre, é tráfico na certa...
    Com os países pobres acontece a mesma coisa, as fumigações de venenos biológicos ou bioquímicos (não existe um tratado mundial pra não usar armas bioquímicas/biológicas?) nas plantações do que eles chamam de droga, sem respeito à planta que ajudou a tantos e é sagrada para este povo. Não é mais fácil fazer um antidoping em todos no rico país consumidor, prender uns vinte por cento da população e acabar de vez com os drogados? Na Itália, um teste secreto, revelou que uns 30% do parlamento usava maconha ou coca, naquele dia, imagina os que usam, mas não tão constantemente... Pegadinha antidoping no parlamento, imagina se a moda pega... Estas CPIs iam acabar legalizando a pizza canábica, afinal o legislador não faria leis para prender a si mesmo por um hábito menos nocivo do que o hábito em bebida alcoólica.

    ---

    A Águia contra a Água


    Para ficarmos invisíveis precisávamos fumar maconha, o cromogel reagia ao estímulo psíquico canábico, os caretas proibicionistas dificilmente conseguiam imprintar a matéria psiônica, a maconha era plantada tanto dentro do Zíon Domada (sob os domos subaquáticos) como na extensão pluritária das águas oceânicas, neste caso se dava de dois modos, podia ser plantada nas “bolas macerai”, balões de tecido plástico que filtravam o oxigênio, enquanto o substrato de liquens marinhos alimentava as raízes da erva da invisibilidade, por sua vez estes liquens se alimentavam na hidropônica ÁGUA de GAIA, flutuando de 1 até 5 metros abaixo do nível do espelho marinho, no vegetativo mais fundo e na floração mais acima. A segunda maneira foi desenvolvida depois do ataque dos proibicionistas as bolas-macerai, visando abalar nossos poderes de invisibilidade e bombardear Zíon com os mísseis reformatadores, os nomes dados à técnica avançada remonta ao final do século vinte, Auto-cultivo, ou, Plantio Interior, dentro de uma dieta especial engolíamos uma variedade do bacioloKanhamo e ao defecarmos, pouco tempo depois, víamos crescer no substrato um cogumelo canábico, graças a isto, assim, vários growers fugiram das “Prisões Para Drogados”, que os inquisidores proibicionistas espalharam pelo mundo todo. Posteriormente o líquen marinho passou a produzir THC e CBN e se tornou uma praga nos oceanos, resistia ao UVB intenso, que a tão falhada camada de ozônio não mais dava conta, Vitória-Herba, um nome dado pela aparência similar a Vitória-Régia, uma planta Amazônica, no mar cresciam colônias que enrugavam nas pontas, formando uma flutuadora, no centro emergia o pendão do cogumelo canábico, como um grande tricoma, começava transparente, ficava âmbar e finalmente marrom, quando então emborcava, o cheiro do carne podre atraia vários peixes, que ao comerem defecavam seus esporos, devidamente adubados e protegidos, por todo oceano. Mesmo tendo transformado em desertos vários países da América Latina, Arábia, e da África com fumigações de armas biológicas, era impossível ao Império Proibicionista “fumigar” todo o oceano; é Zíon Indomada, é a Água de Gaia.

    Obs
    Alguns canabistas conseguiam imprintar o cromogel e se tornar invisível sem estar sob as bênçãos da erva da paz, isto requer muito treinamento, auto-cultivo, novamente o termo aparece, é a sina!

    macerai o hemp poeta viagem, 2005-08-16

    Contra o genocídio e a perseguição aos pobres, chega de guerra biológica contra as plantas de poder e seus usuários; parem os idiotas sanguinários!
    ===============----------------
    Os Combatentes

    Como o antidopping geral e abrigatório, o que Os Moderadores chamam de "Transparência Proibicionista", na rede também ocorreu o mesmo fenômeno, os IPs de todos os sites canabicos foram requisitados, cada post tem um IP registrado, e salvo o uso de proxyes, inclusive alguns destes proxies bancados pelo Estado Proibicionista para espionar os IPs dos que usam proxy para se ocultar (para ocultar seu IP) , todos foram requisitados, a ONU apoiou a nova diretriz internacional, "acabar com usuários para acabar com as drogas", já dizia o Bush, novo Czar das drogas dos EUA, "A guerra contra as drogas, e seus usuários, é a terceira guerra mundial". Air Bush, 2022DC

    Marx, mas se toda luta social é de classes, neste caso não parece bem definida, muitos provedores se negaram a fornecer os IPs dos usuários, disfarçaram esta Desobediência Civil com desculpas pelo frágil sistema de armazenamento de IPs, mas logo foram obrigados a terem programas sniffers que acusavam logo a detecção das palavras e conteúdos "canabicamente proibidos" e enviavam para uma força policial internacional, comandada pelos EUA. Seja por patriotismo, seja pela defesa da cidadania, seja pelo simples "Nojo ao Estado Policial Proibicionista", o fato é que além de protegerem seus usuários, a burguesia "pró-legalização canábica" ou "pró-descriminalização dos maconheiros", também começou a sua ofensiva, já que é uma guerra, e as guerras sempre têm motivos econômicos, são vencidas pela natureza, e são combatidas pelas idéias, e a informação forma as idéias, então o que se viu foi a formação de um bloco midiático de ação incisiva no sentido de desmascar toda a propaganda enganosa, mentirosa e preconceituosa que o Estado Proibicionista gerou e pagou por sua criação durante décadas. Os Combatentes também tinham articulação internacional, mesmo assim era uma luta contra o tempo, o "Exército da Verificação", os "Boinas Brancas", estavam cadastrando bilhões de pessoas por todo o planeta, os usuários estavam com seus dias contados. Os growroons eram localizados através de infravermelho, a "conta de luz", o consumo energético de eletricidade, também era um parâmetro a ser analisado, restaram apenas algumas growbox camufladas e alguns growroons igualmente camuflados, "growroons farádicos de camuflagem térmica", esta era a designação que havia na rede, todos os que resistiam, ainda, usavam proxy, o ZAP, um importante Combatente, foi um dos mais usados pelos maconheiros internautas, combatido pelo governo alemão por ocultar "a rede internacional de maconheiros", manteve-se firme por muito tempo, até finalmente a Teocracia Informal dominar o cenário mundial. A primeira coisa que a TI fez foi trocar na história da blíblia o "vinho de Cristo" pelo "suco de uva de Jesus", e perguntavam: "Você acha que Jesus recomendaria a seus filhos beberem álcool? Ou daria este exemplo?", isto adequou o "cristianismo" ao "Estado Proibicionista Moderno", e a proibição das bebidas alcóolicas agora não tinha contra si nenhum argumento teosófico, as blíblias apócrifas foram queimadas, nas novas blíblias o "vinho" foi substituído pelo "suco de uvas", em algumas regiões quem fosse pego com uma "blíblia apócrifa", "bíblia de satanás", perderia o privilégio de participar das votações; a cidadania sempre foi privilégio de poucos, durante toda a história da civilização humana, e agora é definida claramente como um privilégio que o Estado policialesco concede ao indivíduo, assim temos claro que alguns indivíduos não são cidadãos, ou são menos cidadãos que outrens, Os Moderadores são os únicos que possuem cidadania plena, até que se descuidem e caiam em algum anti-dopping...

    macerai o hemp poeta viagem, june2005

  4. El siguiente Usuario da las gracias a macerazione por este Post:

    Jim*Morrison (05/06/2011)

  5. #33
    Fecha de Ingreso
    15 dic, 06
    Mensajes
    57
    Gracias
    0
    29 gracias recibidas en 24 Posts
    Mencionado
    0 Mensaje(s)
    Etiquetado
    0 Tema(s)
    Citado
    0 Mensaje(s)

    Re: Em busca da Onda Sativa Perfeita

    Quem quiser fazer o download dos contos de 2002, 2003 e 2004 está aí o link, feliz natal:

    http://rapidshare.com/files/8890942/coleta2004.zip.html

    --
    Este conto é bem importante para lembrar que um homegrower, ou simplesmente grower, como é conhecido, NÃO deve vender em hipótese alguma sua planta sagrada, nunca é demais lembrar, neste caso vale até um sustinho... Foi um dos primeiros contos escritos.

    ---
    Weedlocão-x

    Weedlocão-x, fumava maconha todo dia, assistindo a propaganda que o acusava de colaborador de narcotraficante resolveu plantar sua “maconha sem sangue” como ele a chamava. Weedlocão-x era Fabinho na vida real, um papai legal com duas filhas e uma mulher desempregada, mas que era ótima dona de casa, ela também dava um dois, mas só aos fins de semana, que tinha vovó e vovô pra segurarem a barra, filhos com 5 e 6 anos dão muito trabalho, mas são uma delícia, se bem que nos questionamos se vale a pena, literalmente, colocar filhos no mundo do jeito que ele está... Weedlocão-x achava que sim, e positive vibration era sua energia e seu lema, sua atitude. Acessava todos os dias os sites canábicos, postava as fotos das suas plantinhas, as “sementes do Frank são boas mesmo!”, era o comentário geral, mas a mão do Weedlocão-x e de sua esposa estavam sincronizadas, mas quando “dançou” Weedlocão-x assumiu que cuidava sozinho da planta. Fabinho fumava na praia, AK-47, Skunk nº1, White Widow, etc, etc etc e tal, dizia que o que dava onda era a variação das variedades, que fumar a mesma planta enjoa, provoca tolerância e reduz o numero de iluminações, revelações, um homem muito místico. Armazenava várias variedades em tapeware, às vezes fumava quatro variedades durante o dia, e mais quatro durante a noite, depois que perdeu o emprego e não conseguia arranjar outro, começou a fumar muito, o dia todo, toda hora. Estava em seu terceiro ano de plantio, chegou a ter 12 pés em casa, 1000W e 500,00 de conta de luz. Mas a carta da torre havia chegado seu momento, uma tempestade que começou com um raio, sua demissão, era bancário, gerente, mas teve a sensação de que fora substituído por uma máquina... Sem dinheiro para pagar as contas foi acabando, em pleno verão resolveu vender sanduíche na praia; e como se fuma maconha naquela praia...Mas ele nunca “passara maconha”, era uma questão de ideologia, “como vender se sou contra o tráfico?” Escrevia no site sobre isto, e era justamente isto que ele estava dizendo em seu inglês fluente para um casal inglês no posto ao cair da tarde, e o casal explicou que nos states é diferente, o pessoal de lá vende o Hidro a um preço muito mais caro do que a maconha brasileira, e que sendo de lá, não conheciam ninguém daqui em quem pudessem confiar para arrumarem uma maconha...

    Weedlocão-x fazia temas e posts sobre tudo, revegetação, iluminação, clonagem; inventava novos esquemas, foi o primeiro a usar iluminação com refrigeração líquida, aeroponia ultrasônica, plantio com LEDs, eletro estimulação, hidroponia de solo, e tantas novidades da sua imaginação canábica. E sua recompensa era poder fumar um do bão sem nóia no posto ao entardecer. Era uma boa vida esta de gerente de banco e grower...

    Mary e James era um casal divertido, fumavam um Hindu Kush com o Weedlocão-x e comentavam que era disto que falavam, que precisavam arranjar um pouco daquela maconha, uma planta sagrada, e blá, blá, blá, em inglês, e perguntaram a Fabinho se ele podia arrumar um pouco pra eles, e Fabinho, o gente boa, o inocente disse que podia ver... Durante uma semana fumaram ao por do sol, o casal disse que precisava de um pouco pra viajar...

    Fabinho havia saído pra dar uma volta, espairecer, fumar sua maconha na praia, sempre sem que a Soninha visse, ela não fumava e ele não fumava em casa, escondia que fumava para não dar mau exemplo pra mulher grávida, ela sabia mas admirava seu companheirismo, mesmo com todos os cuidados ela teve complicações no parto e Fabinho passara vários cheques, que o hospital exigia, como pagamento pela internação. Eles tinham um plano de saúde, que foi a falência, e eles migraram para outro e estavam no período de carência, podiam ter recorrido, assim como quem tem dois meses de atraso nas prestações tem direito a internação, mas normalmente direito negado, então, vai discutir isto na hora da hospitalização? Assina o cheque e depois discute na justiça... Fabinho estava com isto na cabeça atrapalhando seu raciocínio, Mary e James iam viajar e pediram um pouquinho, ele ficou de dar, mas esqueceu, e levou o casal em casa, estava vazia, Soninha estava no hospital e as crianças com os avós, se Soninha estivesse em casa nada disto teria acontecido, pois Mary era muito bonita e Soninha bastante ciumenta, certamente Fabinho não levaria ninguém. Pegou um Skunk nº 1 e deu pra eles levarem, Mary pediu pra ir ao banheiro, onde ao lado ele guardava num armário bem fechado seus potinhos, hermeticamente fechados para não oxidarem e iam curtindo cada vez mais, um sabor incomparável. Depois de trocarem endereços, quando o casal saiu notou que o armário estava aberto, sem tranca, mas pensou que estando a casa vazia, ele havia afrouxado na segurança e esquecido aberto; em algo ele acertou, afrouxara na segurança. No dia que Mary voltava para casa, dois dias depois, a policia federal estava lá, chegando quase ao mesmo tempo. A família também estava lá, e todos amavam Fabinho e sabiam que ele fumava maconha e plantava, sua “maconha sem sangue” mas que nunca venderia, conheciam seu caráter, mas talvez alguns duvidassem devido as circunstâncias, mas certamente ele haveria de pedir ajuda à família antes de cometer uma tolice, muitos viram sua última colheita indoor no mês passado, foram só dois pesinhos, já tinha muita maconha, plantava mais pra ajudar o site nas experiências e porque gostava da planta, que ele considerava sagrada. O casal era de agentes do DEA pesquisando a rede de venda internacional de Skunk, receberam uma verba muito boa para isto, e falavam português muito bem, acharam Weedlocão-x porque ele descrevera que fumava um baseado todo dia vendo um por do sol, e ele postava tantas fotos, que “só podiam ser para vender”, um promotor preconceituoso querendo fazer carreira com este caso, uma mídia que acusa com seu sensacionalismo, um estado precisando de um exemplo para mostrar e justificar o dinheirão gasto. Atualmente uma madre bonsai, era tudo que ele guardava em casa, para um dia quando começasse a plantar novamente faria guerrilha com seus clones.
    Sonhava com a libertação do mundo, o hemp salvando florestas, matando a fome da população, o plantio caseiro nos libertando do narcotráfico, mas agora tudo acabou, não chegaram a atingir o site, mas a perseguição era na cabeça das pessoas, o site fechou pouco depois, apenas um resistira, mas sob investigação oficial, internacional, o server não queria segurar este pepino, avaliaram os dois quilos de maconha de Fabinho em milhares de dólares, todos os operadores eram procurados pela polícia federal, os que postavam fotos também, mas ninguém foi achado, o juiz também não dera ordem nenhuma para que os dados, parcos, fossem dados para a polícia. O site voltou tempos depois, depois de uma passeata de 100 mil maconheiros em Sampa, 20 mil no Rio e 10 mil na Bahia, emergiram como uma comunidade e-canábica atuante, Fabinho já tinha sido solto, em três anos, em liberdade condicional, pegara 15 anos, formação de quadrilha, tráfico de entorpecentes, tráfico internacional de entorpecentes, apologia/incitação ao crime, e por aí vai.

    Weedlocão-x nunca mais voltou a se logar, mas parecia que algo ia mudar, mas sempre parece, até o Jimmy Carter tinha legalizado e depois tudo acabou, por isso ouvimos os gritos da multidão oprimida: “Legalise Hemp! Pra Sempre!”, a idéia é que se todos gritassem juntos seriam ouvidos, Legalise Hemp!

  6. El siguiente Usuario da las gracias a macerazione por este Post:

    Jim*Morrison (05/06/2011)

  7. #34
    Fecha de Ingreso
    15 dic, 06
    Mensajes
    57
    Gracias
    0
    29 gracias recibidas en 24 Posts
    Mencionado
    0 Mensaje(s)
    Etiquetado
    0 Tema(s)
    Citado
    0 Mensaje(s)

    Re: Em busca da Onda Sativa Perfeita

    Reitero os agradecimentos e sublinho que são recíprocos, sou fã de vocês; as histórias são curtas para facilitar o envio por e-mail para os amigos, a revolução cannábica, pacífica e cultural, está em nossas mãos, vamos contar nossas histórias.

    Algumas histórias postadas lá no Bitox, nem todas são minhas, muitas são de usuários bitoxeros, o tema chamado “cuentos cannabicos” apresenta uma extensa profusão de contos, a literatura cannábica está recomeçando, se é que algum dia parou, vida longa aos poetas cannábicos!

    --
    Obs: Quanto ao tema no Bitox, agradecimentos especiais ao Brazuka (as musas cannábicas continuam me visitando, todas as noites, com seus hálitos doces e calores esfumaçados. Me gusta!) e a comunidade Bitox pelas fotos e campanhas canábicas libertárias. Um Salud!
    --0--

    Aí vai mais um conto antigo e significativo, o avatar veio deste conto, “ser diferente é normal”. A introdução, o comentário inicial, também é antiga, mas não fora de época, além de ser parte integrante da história. Aproveitem:
    --

    Conto, fiz Este (E FUMEI!), em homenagem ao dia da legalização da maconha, quanto mais dias “D” forem, melhor, o dia internacional é o 1º de maio..., mas agora no Brasil temos o dia 1º de Novembro, uma passeata virtual e real está marcada, Além Da Terça Feira De Carnaval Ser Também Um Dia De Clamor Dos Blocos Da Legalização (na quarta não pode ter ressaca alcoólica, mantenha-se mais na sativa e poupe a saúde e o emprego), com fantasias de folhas e toda série de invenções carnavalescas típicas da criatividade maconheira.Outro dia muito importante é o Dia 1º de Janeiro, O Ano Novo, O Dia da Paz, e como simpatia, opcionalmente vestiremos branco, e plantaremos um pesinho da Erva da PAZ, pra ajudar na Paz Mundial, plantar em cada canteiro da cidade, em cada camping, em cada restinga, em cada mata.
    Fiz, muito chapado, este conto sobre a legalização, a criatividade canábica pode ter exagerado um pouco, 500 anos? Mas vamos ao conto Cyberpunk Canábico, Legalise Hemp!



    Legalise Hemp! Pra sempre!

    Legalise It!

    Com o advento do poder lógico do processamento terabítico de dados, com os chips mais inteligentes a nível lógico do que os humanos, as máquinas rapidamente chegaram as respostas para concretizar os sonhos mais cobiçados pela humanidade, velocidades superiores a da luz, dobra espacial, tele transporte de matéria inanimada, deslocamento de partículas no tempo; mas os Ets até agora não haviam feito contacto, era inacreditável, sabíamos que estavam por perto, distorções nas emissões de neutrinos eram prova cabal de várias visitas a nossa dimensão, no sentido mais amplo do termo.Isto era uma incógnita, a humanidade havia gerado muita riqueza, principalmente em nível binário, virtual, na interneural todos podiam ser ricos, com terabits por segundo, arquivos com capacidade ilimitada, recursos holográficos e sensório-intraneurais disponíveis a todos.Noventa e nove virgula nove por cento da humanidade conectada. E a busca pelos Ets virou mania planetária, até pelo governo mundial virtual, mais forte que a base parlamentar ortodoxa, mais bem organizado que as câmaras das comunidades não virtuais, os comitês das cidades expandidas e dos estados mínimos consolidados.Mas ET, que é bom, nada! Tínhamos uma humanidade muito loka no nível virtual, com realizações absurdas no mundo virtual e pouca atividade no mundano da realidade, o mundo físico. A realidade quase não mudara, como tudo podia ser realizado em nível holo-sensório, qualquer transgressão agora era possível sem pena judicial, qualquer fantasia era possível de ser realizada, assim as leis da realidade física não mudaram quase nada, ainda era proibido, por exemplo, andar nu, mas no virtual muita “gente” andava nua, sem problemas, sem punições, no virtual se fumava muita maconha e na realidade mundana podia-se ser punido por estar fumando a Erva do Riso, sei que parece arcaico e sem propósito, mas as leis não precisaram mudar, por causa da libertinagem interneural; e O Martelo Das Bruxas quase não mudou, a legislação ainda era no sentido de reprimir as minorias étnicas e seus costumes ancestrais, assim forçava também a migração dos pobres para o virtual, a interneural tinha suporte à vida, isto quer dizer que enquanto estivesse conectado, seus suprimentos e energia estariam garantidos, isto evitou muito conflito social por causa do desemprego gerado pelos robôs.Mas eu era um desses zero vírgula um por cento, e vivia no mundano o tempo todo, e plantava minha maconha proibida, e andava nu nas madrugadas, e pegava umas frutas nas árvores públicas, pulava dos veículos do transporte coletivo enquanto em movimento; enfim, era um transgressor.Acabei sendo banido para regiões agrestes, inóspitas, praticamente desertos, afinal 50 bilhões de pessoas no mundo, algumas com 500 anos de idade, como o meu caso, quinhentos anos de proibicionismo...E eu plantava há quinhentos anos, a mesma planta mãe clonada tantas e tantas vezes, eu realmente era ortodoxo, fiel aos princípios desde aqueles sites na net antiga, o Growroom, o Samba420, o Overgrow, o solocannabis, tantos outros...JAh, que saudade, agora a comunidade pseudo canábica (maconha virtual pra mim não é maconha) viajava num eterno APPP(acende, puxa, prende, passa), queimando seus cigarrinhos virtuais...Temas sobre psicologia e fisiologia vegetal, diagnósticos avançados, até mesmo a acupuntura vegetal do Texhugo, que sempre foi tão contraditória, nada disto era assunto. Pra mim não servia, eu gostava dos desafios, e como fui afastado, então levei as mudinhas para o agreste brasileiro, eu gostei muito de lá, acho que se soubesse que era assim, Jah, tinha me mudado antes. A Erva do Riso se adaptou de forma espetacular. Parece mesmo que foi feita praquele clima; e num destes caminhos pelo cerrado, colhia, fumava a Erva da Paz e cantava mantras pra Shiva, quando tive o meu primeiro Contato Imediato Do Quinto Grau, aquele em que a planta de poder é compartilhada; impressionante, um ET apareceu do nada e pediu pra dar um dois, achei que finalmente o prazo da sanidade tinha vencido, mas mesmo sem acreditar tinha que experienciar, era um ET em carne e osso, não aqueles que se diziam ETs na interneural, uns caras deveras estranhos, mas muito humanóides ao meu ver. Estava eu e o ET, demorei muito pra entender, ao que ele retrucou impaciente, “passa logo a bola!”. Tentando parecer engraçado eu perguntei se era “na de um”, com um sorriso extraterráqueo ele esticou os seus, únicos, três dedos e pegou o baseado da minha mão, de cinco dedos.Conversamos por horas e horas, foi aí que fiquei sabendo porque os ET s não se apresentavam aos humanos como este havia feito comigo.
    -ET, porque vocês não visitam o planeta e se apresentam ao governo mundial, às pessoas em geral?
    -Nós não embaixamos em planetas que tenham guerras.
    ET gosta da Erva do Riso...(disse ele rindo entre seus gestos calmos, contínuos e suáveis, devia estar bem chapado com o Manga Rosa vs Blue Rocket, o famoso Rosenblues)
    -ET, não vivemos mais em guerra, as guerras não são mais necessárias, há toda uma infinidade de recursos na interneural, e são pra todos.
    -Nós consideramos o proibicionismo uma guerra, a única guerra real, a mãe de todas as guerras, e depois de 500 anos de proibição da Erva da Luz nós esperamos pela legalização para que a humanidade possa ser elevada a categoria amigável, não-bélica.Aí pensaremos em visitas.(Falou isto e soprou a fumaça adocicada em minha face, que riso sinistrógero...).

    Realmente fiquei sem ter o que dizer...

    -Mas ET, você veio aqui e falou comigo...
    -Você foi escolhido para levar nossa mensagem à humanidade, na interneural. LEGALIZEM O CÂNHAMO! E faremos contacto amigável, contacto não bélico, senão seríamos bandidos, poderíamos até ser presos... (disse ele rindo e se desmaterializando em seguida).Não gostamos da Guerra Contra O Outro,(foi só a voz que restou no ar, o ET sumiu e só deixou esta estranha reverberação do seu riso gutural), Legalise Hemp! Legalise Hemp! Legalise Hemp!...

    Pois é, agora eu tenho que falar outra vez da legalização da maconha, um assunto que parecia ultrapassado, mas é a tônica do momento, mas “eles” nem vão me dar ouvidos, já acham que sou loko mesmo, por aceitar e viver a realidade.

    Eu nunca vou esquecer do símbolo da legalização, do jeito que o ET fez, com um raminho da Erva Sagrada de Resistência seguro pelo do meio, e os outros dois em “L”, dizendo: Legalise Hemp, Pra Sempre!



    Vão me chamar de louco, mas vou levar a mensagem à interneural, Legalise Hemp! Pra Sempre! Legalise Hemp!

    Espero que entendam porque este e-mail está circulando nas redes há muitos anos, faz 500 anos no futuro, que recebi esta missão, propagar a libertação do planeta, Legalise Hemp pela Saúde e pela Paz, prepará-lo para a chegada dos que virão em Paz! Preparar a Paz!

    Assinado atemporalmente:

    Macerai o hemp poeta viagem, em seus quinhentos anos de idade, contando e macerando até a última ponta! Um Amplexo Solar de Alta Intensidade, AMSAI!

    LEGALISE HEMP! (pra sempre!)


    ===========---------------------

    Estou feliz por vocês terem gostado do presente de natal, tem muita história aí e mais ainda no download da coleta2004. Fiquem na paz de Deus. Valeu mesmo! Feliz Natal e ótimo Ano Novo!
    Última edición por macerazione; 25/12/2006 a las 19:08

  8. El siguiente Usuario da las gracias a macerazione por este Post:

    Jim*Morrison (05/06/2011)

  9. #35
    Fecha de Ingreso
    15 dic, 06
    Mensajes
    57
    Gracias
    0
    29 gracias recibidas en 24 Posts
    Mencionado
    0 Mensaje(s)
    Etiquetado
    0 Tema(s)
    Citado
    0 Mensaje(s)

    Re: Em busca da Onda Sativa Perfeita

    As ondas sativas são mais enérgicas, cerebrais, como este conto... desculpe-me os + sensíveis, depois rola em busca da indica perfeita, eheheh. Paz!

    Em busca da SS (2ª parte)

    ? Não é isto, é que a lei mudou, agora eles não são mais criminosos.
    ? A lei mudou, mas minhas dívidas continuam as mesmas, a operação caça laboratório continua.
    ? Mas pela nova lei do que adianta acharmos uma growbox com dez plantinhas?
    ? Growbox? Que é isto?
    ? Estufa, né?
    ? Eu sei que é estufa, mas tem que dizer LABORATÓRIO, e que custou MUITO dinheiro, pra dar um tom de criminoso profissional, perigoso. Tem que dizer que uma plantaçãozinha em casa pode se propagar pelo estado inteiro, um perigo, uma epidemia, mães apavoradas, é isto, o terror!
    Putaqueupariu esta lei, ehin? Num dia é crime hediondo e no outro é a maior Disneylândia, se o filhadaputa resistir não pode nem levar preso, dorme com um barulho deste! Temos deputados trabalhando para manter os usuários na cadeia, retroceder a lei, infelizmente muitos estão envolvidos em escândalos.
    ? Realmente isto vai contra tudo que nos foi ensinado por todo o tempo.
    ? Fecharam meu caixa-automático, logo agora que eu sai da madrugada, o pó vai ficar mais fácil, tem que ter para ficar acordado nas madrugas, e as putas se amarram... mas elas continuam apavoradas, veja aquela drogada que morreu porque engoliu os flagrantes para escapar de uma blitz. Nas madrugas já comi muitas drogadas apavoradas em serem presas, o que eu fazia ela engolir era outra coisa...
    ? Nojenta esta conversa...
    ? Humm, tá sensível a moçoila... A maioria é vadia mesmo, com drogas na madrugada...
    ? O que é aquilo ali?
    ? Uma bóia com um bebê, está escutando o choro?
    ? Sim, a escuta capta o choro, é estranho, cadê a mãe?
    ? Segura o binóculo aqui, que eu vô lá vê.
    ? Aproveita e traz um sanduba que eu estou morto de fome, e melhora este astral, está sinistro...
    ? Sinistro são os traficantes queimando pessoas vivas dentro de ônibus, e são os viciados que alimentam estas pragas.
    ? Mas caçando os growers não vamos resolver este problema, talvez até piore...
    ? Cara, todo problema piora com o tempo, não vamos resolver os problemas do mundo, vamos resolver nosso problema, dindin... E vê se para de chamar de grower, parece um viadinho falando tudo em inglês, é DONO DE LABORATÓRIO, aprende isto se quiser pegar alguém.
    ? Viadinho é a vovozinha, volto dizer, eles não são mais criminosos, não podem ser tratados do mesmo jeito, tapa na cara e abaixa a calcinha....
    ? Esta conversa está me deixando nervoso, cabe a nós provar que eles são criminosos, tem brecha na lei, a imprensa nos apóia, até escrevem Skank errado para manter a desinformação, a desinformação é a maior para caçarmos estes viciados, não esquenta, lei nova é o caralho, vamos faturar...
    ? Sei lá, cara, vai lá ver o que é aquilo, está engrossando o caldo, os salva-vidas já estão na água.
    ? Você anda lendo, muito, aqueles sites de apologia na internet, está se contaminando pelas histórias deles, melhor você se afastar disto, abre teu olho...
    ? Vai lá, e não esquece do meu sanduba, estou na maior larica...
    ? Ihh, tá dominado, falando igual a eles.
    ? É brincadeira, eu tenho cara de maconheiro?
    ? Tem, cada dia estou achando mais isto.
    ? Olha a brincadeira, isto pode custar meu emprego, vamos para por aí.
    ? Ah, não era você que estava defendo as coitadinhas das bichas maconheiras?
    ? Não estou defendendo ninguém, apenas a lei mudou, temos que seguir a lei...
    ? É, a coisa tá séria... ce tá estranho... a lei mudou mas continua sendo crime, está na parte dos crimes, estão é crime, e vamos enrabar esta putas! Valeu?! Já volto!





    Comecei a usar cannabis para controlar um transtorno obsessivo compulsivo, TOC, em substituição aos fármacos sintéticos, os ansiolíticos e antidepressivos associados

    No site já tinha lido sobre cultivo extremo, breeding extremo, poda extrema, mas redução de danos extrema para grower foi onde me concentrei, por ser extremamente detalhista e preocupado com segurança alimentar e da saúde fui escolhido para tratar da segurança do encontro de breeders, contratei um mágico, um palhaço também... O cara! Pensei que o incidente da garota insinuante fosse obra dele, pouco antes da polícia aparecer, como se fosse um aviso...
    Houve um momento em que tudo parecia perdido, um policial militar apontando a arma para a roda de gigantes e outro vindo em direção dizendo-se da civil. O boneco na água eu sabia que era distração, quando logo antes, ele chegou com a cestinha de salgadinhos e amostras grátis de barra crocante de cereais, e oferece ajuda ao policial, pega rapidamente, com seu jeito Japa, todos os cones de nossas mãos e coloca na cestinha para entregar ao guarda, entrega logo a seguir, mas a troca já foi feita, não tem mais maconha nos baseados, é a vantagem de contratar um mágico para a segurança, e um palhaço. O mate que nos serviu tinha sabor citral canábico, é inconfundível e delicioso. Sempre rindo sutilmente, ele está realmente rindo, não dá pra saber, acho que sim...




    ? Caraio mané, que é aquilo?
    ? Cabuloso, aí, vô dá um tchibuumm pra saber qualé...
    ? Parece uma criança numa bóia, é isto?
    ? O cara, maior olho de águia... podis crê, e tá chorando, sacô?
    ? Também vô, quem segura o baseado aí pá num molhá?
    ? Eu...
    ? Eu!
    ? Eu, também, ehehe...
    ? Vai na fé!
    ? Também vou
    ? Fica aí mané, vai criar mó crowd, mó cabeçada na água... relaxa ái, dá um dois, já volto, conheço os salva-vidas, sou do salva-surf, tá na paz...
    ? o muleke tá no maior pânico...
    ? Tá na angústia, no pânico o afogado não fala, todas as forças são usadas para salvar a vida nos últimos instantes antes da imersão, muitas vezes a cabeça já imersa e “cavando para fora do buraco”, depois oriento vocês na parada, volto já, aloha!

    Redução de danos extrema no plantio e no consumo, dificilmente esqueci de alguma coisa, desde usar luvas para não se contaminar com germes da terra, até não respirar pó de vermiculita quando o solo está seco. Sempre lavar as mãos antes e depois de mexer com a terra ou as com as plantas, eu que lavo as mãos umas 50 vezes ao dia, quando estou sem erva, a medicação de farmácia não atua bem sobre meu organismo, me dou melhor com os naturais. Agora vou escovar os dentes, umas trinta vezes ao dia, dizem que faz mal, estraga a dentina, mas eu não uso sempre pasta dental abrasiva, e faço muitos bochechos com bactericida natural. Como a maconha é afrodisíaca não deixem de andar com camisinhas extras. E com lubrificante, quer uma dica? Reforçada, e pode usar duas que é mais garantido, quase não perde a sensibilidade, ainda mais com o gel que desenvolvi inspirado naquele gel clonador do zoiovermeio, só que o meu é estimulante sexual, e poderoso bactericida, acaricida, fungicida e anti-viral, inclusive insetos ficaram presos pela viscosidade e morreriam por asfixia, in loca. A cor eu escolhi rosinha, é mais feminino, bastam 50 ml que garantem a saúde sem contaminações, pode, e deve, ser usado antes do sexo oral, pois tem gosto de morango (ou chocolate), mas lave a boca bem para não estragar o trabalho do gel sexual esterilizador, senão vai ter que usar mais uns 20 ml para colocar o carrinho na garagem, em segurança. Infelizmente tenho que melhorar o desing do injetor, está assustando as namoradas e nenhuma ficou comigo depois de ver a geringonça, mas é segura. Segurança é tudo, quer uma dica? Sempre use proxy anômino, web proxy, mais um residente, como o JAP, mas atenção, as configurações do JAP nem sempre ajustam automaticamente o browser, verifique se está em localhost na porta 4001. + Firewall e antivírus! A segurança do sucesso é a segurança do segredo.

    ? Então, demorei, voltei, já desenrolou, era um boneco numa bóia, um boneco muito parecido com um bebê, igualzinho, e chora igual também, idiotice, né?
    ? É primeiro de abril...
    ? Deixa de ser inocente, tem alguma coisa estranha acontecendo...
    ? Ah, não! Já tecou outra vez!? Vai começar a paranóia de novo?
    ? O vagabundo vem cherá na praia, perdeu os trocados e a peça sem vergonha, relojinho barato, já andam pra perder, não vale nada, eu dô pras pervas num fast sex.
    ? Ah, falando inglês...
    ? Sobre mulher eu falo em qualquer língua...
    ? Sei, esqueceu do meu sanduba, né?
    ? Tem um pó safado aqui que tira a fome, vai?
    ? Não, sanduba é insubstituível...
    ? Porra, estão vai lá, cara, que eu vô dá este teco...
    ? Vou, né, “fazê o quê”? Pelo visto você tb é criminoso...
    ? É o que eu digo, não seja pego que não serás criminoso, mas, não foi você quem disse que não é mais crime ser drogado, protegendo os tais?
    ? Foi, mas eles NÃO alimentam o tráfico...
    ?Eles quem?
    ? Os growers...
    ? Que PORRA é esta de grower, para com esta palavra que está me dando nos nervos, é Dono de Laboratório! Os laboratórios custam carão e eles só podem querer lucrar com isto, entendeu, são traficantes em potencial, e podem espalhar a epidemia da plantação de maconha pelo estado todo, ou até pelo país inteiro, entendeu? Agora imagina, o país todo plantado de maconha e os Estados Unidos invadindo aqui e jogando veneno em nossas terras, igual nos países ao lado, é o dono mesmo, quem tem arma é quem manda, se a população tivesse votado a favor da proibição de armas tava melhor, agora eu que vou levar tiro, por causa destes doidões? A barra tá tão pesada que ao invés de viaturas vamos ter que andar de caveirão pelas ruas, na favela já é! E...
    ? Cara, esta é da boa, virou uma matraca! Não cheira mais não... Segura a onda! É sério, aí, já está se mordendo todo, para de fazer caretas que está bandeirando... Toma conta do meu celular... Já volto, quer água?


    ? Alô. Major, ele usou novamente. É, aqui na praia. Sei lá, alguém usando cocaína na praia. Até quando isto vai continuar, ele está paranóico, falando sem parar, mordendo os lábios e fazendo caretas, ele não pode usar isto... Não tem limites, sempre fica de macaco. Acho que tem mais sim. Agora vai ficar na fissura e vai querer ficar escoltando a saída das bocas, para pegar os papelotes dos usuários. Não, invadir a boca pra pegar só com armação do superior, o comandante está sob controle? Ele acha que eu sou de confiança do comandante e por isto sou seu parceiro, mantenha isto assim, é o meu que está na reta, o cara é matador, tem conhecimento com alguns comerciantes que financiam os justiceiros, com cafetinas, com meio mundo, cuidado que é o meu que está na reta. Está bem, manterei contato, vou deixar o celular aqui, pega por GPS. Pra você também, se cuida!

    ? Olá, gostossura, veio atender um cliente por aqui, saiu lá das termas?
    ? Mais ou menos, me paga uma cerveja que a gente conversa, talvez precise da sua cobertura, a ajuda policial é sempre bem vinda.
    ? Minha cobertura é toda sua, deixa eu pagar uma cerja pra minha perva.
    ? Seguinte, tem um traficazinho aí na praia quem se enrabichou pela filha de um bacana, ela é maconheira bacana e ele traficante pé-rapado, conhece a cena, né?
    ? Claro, mané tá armando pra cima e vai embarrigar a garota
    ? É, mas o pai dela também freqüenta o gueto, só que não vai às termas, mas mostrou a foto do trafiquinha e várias conheciam ele, daí me chamaram para transar com ele e filmar tudo para acabar com as ilusões da bacaninha filhinha-do-papai. Está vendo aqueles três ali, um está saindo, deve ter marcado pra pegar, ele é o da direita. Deixa eu ir lá, tem uma dica pra você, e você fica me devendo...
    ? Claro princesa, você é quem manda...
    ? Tem um mané que cheira aqui na praia, no trailer, o dono está sabendo e dá cobertura, pois é da família, um tio que tem uma história com a mãe dele, de repente pra não vir à tona, ele deixa o moleque cheirar no banheiro e faz vista grossa. Tá me devendo, einh, vou cobrar, vê se sobra pra mim, um risquinho só... sempre é da boa!
    ? como é que você sabe desta história da mãe e do tio?
    ? ela fez uns programas quando era universitária, para bancar a facul, que nem eu, né? E minha mãe conheceu ela, por coincidência, atenderam o mesmo cliente, ao mesmo tempo, uma coisa assim a agente não esquece, daí minha mãe reconheceu ela aqui na praia.
    ? ela dá mole andando pela praia? Tem como provar isto pra gente faturar um dindin em cima da coroa?
    ? cara, ela casou com um bacana, que freqüenta até hoje... Ela chorou porque queria sair desta vida, que aquele era seu segundo encontro, que tinha sido espancada no primeiro, sorte que estava num motel, nem sexo rolou, e aquela choradeira de puta, né? O magnata casou com ela.
    ? Tem algum magnata que não transa com garotas de programa?
    ? acho que não, se você fosse magnata não transaria com todas?
    ? claro, e você seria minha cafetina, gerente de garotas de programas.
    ? como se você precisasse disto...
    ? É, mas deixa eu armar o bote pro malandro, quando ele achar que a porta está fechada, é a hora da surpresa, o trinco não fechou direito... “Mão na cabeça mané, perdeu, não deixa cair não, esta rapa é minha!”. Minha e da minha princesa, né? Deixa eu ir logo, se adianta aí, depois a gente conversa, não vou esquecer de você, pode deixar, que eu guardo um risquinho...
    ? não esquece, eihn?
    ? ah, e aquela roda gigante ali?
    ? só skunk, só deve ter bacana, mas gays, quando eu cheguei à roda a parte de cima do biquíni caiu, quando tentei ajeitar, aí eu pedi pra alguém passar óleo em mim, ninguém quis, e as minas fizeram aquela cara de quem comeu e não gostou, sabe? Tem um magrinho de óculos, cabelo bem escorrido, que fez cara de nojo...


    Vou levar minha prancha, um pranchão, quero cair naquela praia linda, e vou levar as sementes S1 da Sativa Perfeita, fiz com ácido giberélico, em spray, comprado no “No Mercy”, as flores masculinizadas da própria planta. Homogeneidade a jato, “estabilizei” e feminilizei em uma geração. Todos vão ganhar sementes da Sativa Perfeita. O nome do encontro: Roda de Gigantes.

    ? Elas escolhem sempre um lugar bem longe pro cheiro não ser sentido, um lugar deserto, escondido, elas armam a cama, eu só deito, é como disse...
    ? que é isto, tem mais de um grama aí! Você está suando a cântaros, para de cheirar, larga esta carreira aí que eu cheiro, de repente, primeiro deixa eu digerir o sandubão.
    ? vai melá, é melhor eu mandar logo esta, tá na boa!
    ? você não tem mais idade pra isto, e dizem que velho brocha quando cheira, e a gatinha que você falou?
    ? enquanto eu tiver língua e dedo mulher alguma me mete medo! A gatinha está de serviço, depois explico, por hoje eu vou arrumar outra, na roda gigante tem uma linda, quando cheguei na roda ela estava com um baseadão verde na mão, me olhou com aquela cara de assustada, que eu adoro, e que faria qualquer coisa para não ser presa, e comida pelas sapatoinas lá dentro, ela é muito linda... hoje é minha! Vamos escoltar ela na saída da praia, bem longe pra não pintar sujeira. Deixa comigo, depois é a sua vez, se quiser... ou é boióla? Vou pegar uma cerja ali no trailer que o dono ficou meu “amigo”, e fica de olho, se eles começarem a sair me avisa logo, fica de olho NELA...


    ? Major, ele está fora de controle, e começou a beber. Tem mais de um grama. Sei lá como ele arrumou isto tudo... Não, agora quer dar um forjado numa menina que ele diz que é “dona de laboratório”, agora cismou que vai caçar os plantadores domésticos. É, plantadoras. Conversar com ele? Só ele fala, está descontrolado, agora de dia, solto assim pelas ruas, armado... Não posso dar voz de prisão, a patente dele é superior. Medo, eu, claro, sabe-se lá quantos ele já matou? Ele vai esperar ela na saída da praia, filmem tudo, sejam discretos, é o meu que está na reta! Testemunha, eu? Que é isto, já vou entregar a gangue de bandeja pra vocês. Depois que ele der o forjado, e começar a assediar ela, vocês chegam pra impedir que ele leve ela para algum lugar, e mim também... Tenho que desligar porque ele está voltando...

    ? Olha a cerva geladinha aí. Trouxe uma pra você também, deixa eu dar mais um tequinho aqui rapidinho, vai nessa?
    ? Não, não, agora não, está o maior sol.
    ? Tomei uma chuveirada na cabeça no trailer do meu amigo, tem certeza que não quer?
    ? Você se enturma rapidinho...
    ? Tudo é uma questão de conhecer as pessoas certas...
    ? Vamos dar o bote lá na estrada, precisa ver a bundinha dela, uma delícia, adora estas que fazem o tipo garota de família.
    ? Tipo não, ela deve ser uma garota de família.
    ? Garota de família ou não é criminosa, maconheira, drogada e hoje é minha, a não ser que o parceiro aí queira estragar a minha festa?
    ? NÃO, que é isto... Faz o que tem que fazer
    ? Depois você vai ter sua parte tb.
    ? Ah, deixa pra lá...
    ? Não?! Ou você é viado ou é espião, como o comandante mandou um cara tão devagar para mim? Disse que você cheirava e comia umas vagabas.
    ? Não é nada disto, que nojeira, meter logo depois que outro já meteu...
    ? Ah, sei, tá querendo ir primeiro, mas a vez é minha, você vai em segundo, já é hora de perder estas mariquices e aprender a ser homem.


    ? Oi garota, o que está fazendo aqui? Está trabalhando, com algum cliente?
    ? Não, parei com esta vida. Estou aqui porque estou namorando um coroa que vai casar comigo, hoje saí pra dar um rolé, de bobeira...

    ? Não é a primeira vez que escuto esta história, o sonho das putas... o golpe do baú.
    ? Pelo menos é um homem só, e não corro perigos, eu gosto dele, ele é legal, vai tomar conta de mim, está tão apaixonado, e o sexo nem é muito bom, nem quer coisas diferentes...
    ? Quer dizer que parou? Se eu te oferecer uma grana pra pagar um boquete não rola?
    ? Quanto?
    ? Não disse, uma vez puta, sempre puta, é uma questão de preço e jeitinho.
    ? Não é nada disto, muita grana é claro que não vou resistir, mas você é amigo, especial, rola uma química entre a gente...
    ? Pode ser depois, aqui não vai dar, vai sujar minha barra, mas quero um favor seu.
    ? É só pedir querido, o que você me pede chorando que não faço sorrindo?
    ? Tem um rival na parada, tb é maconheiro, mas é bacana, carrão do ano, sempre tem skunk, que eu vendo pra ele, se formou em antropologia, é metido a esperto, está usando a minha maconha pra ganhar minha garota, mas é inocente, criado dentro de casa. No seu caso é como as putas que nunca foram a um garimpo e chegam achando que é pagamento em ouro, com fartura, e depois vêem as meninas amarradas às camas, punições com a morte e a tortura na terra de ninguém, de ninguém não, na terra dos coronéis.
    ? Aí, que história triste que estás me contando, desembucha logo, quer que eu pegue o inocente pra você? Ele é virgem? Virgem é mais difícil...
    ? Ele não precisa trepar com você, daqui a pouco ele vai chegar para pegar uma paranga de kunk comigo, você vai falar de um puteiro e eu vou dar força, quando ele disser que vai ao puteiro eu “sem querer” vou gravar no meu celular, que estava testando por acaso no momento, depois mostro pra ela e é menos um entre eu e a burguesia. Não me entenda errado, eu gosto mesmo dela, tenho até medo dos meus fornecedores, que conhecem gente barra pesada, queiram seqüestrar a ela ou a nosso filho...
    ? vocês tem filho?
    ? Não, ainda, mas é só passar óleo mineral na camisinha que ela estoura, é garantido e já ocorreu duas vezes, no período fértil.
    ? tem cocaína aí? Não, parei faz tempo, não mexo mais com isto, os traficas do morro matam ou espancam quase até a morte quem vende pó aqui na cidade.
    ? você é esperto, vai ser difícil te pegarem... bala ou docinho, tem?
    ? Olha, fica esperta, o pastel está chegando, eu tenho que gravar no momento certo... Diz que você é antropóloga, fala de índio e coisas assim... Aí, faz as perguntas até ele dizer que quer ir lá no puteiro...
    ? Nada disto, vou dizer que existe preconceito com as GP e se ele não tiver preconceito que diga sem gaguejar que sairia com uma GP, sem preconceito, ele vai falar isto só pra dizer me provar que não tem preconceito, e você grava, eu respondo, “então vamos sair, eu cobro 150 reais.” Ele vai rir, e você corta a “gravação sem querer”. Pronto, menos um otário... Homem que não come puta é otário, um dia nem sabe vai casar com uma, pois não conhece o metiê... E você me deve uma e vai pagar esta noite, leva uma balinha, estou a perigo, o coroa não dá no couro direito... Conto contigo, mas ninguém pode ficar sabendo, senão mela o meu casamento com o coroa, vamos marcar? Na casa da minha prima? Está vazia, titia está viajando... de novo!

    Desde pequeno gosto de fazer mágicas, ganhei o pequeno mágico do papai, adorava transformar água em vinho, e usar o tal sangue do diabo para manchar as roupas e depois desaparecer, mas o que mais me encantou foi num kit a luz dos vaga-lumes, luminescência química, quando no escuro do meu quarto, segurando o tubo de ensaio, pingo as últimas gotas do catalisador, escorre dispersa a luz verde, sacudo e vejo a luz fosforescente, e penso se poderia ter uma planta vivendo desta luz dentro de uma caverna, acho que neste momento havia luz da consciência na dormência da semente de um grower.


    ? Segue o carro com os dois, a lindinha e o japa, perto da igreja que está em construção liga a sirene e manda parar, o pastor é da curriola, vai dar cobertura, tá me devendo, já arrumei uns garotinhos pra ele, que nojo, sabia que padre era pedófilo, tb não pode casar, mas pastor pederasta é novidade, tem maluco pra tudo...
    ? Isto não vai dar certo, você nem sabe de quem ela é filha... está de dia, todo mundo viu a gente saindo da praia, tem outro junto que não estava nos seus planos.

    ? Meus planos? Nossos planos. Não deixa distanciar não, manda encostar, pode mandar... Ali a igreja... Tenho as chaves, mas vou dizer que pedi ao pastor na hora, para logo...

    ? Documento e habilitação senhorita...
    ? Pode deixar, só quero a bolsa, já vi fumando maconha na praia, com licença senhorita, a bolsa por favor... aqui, senhorita, que pacotinho com pó é este?
    ? Esta droga não é minha
    ? Opa, quem falou que era droga?
    ? Sei lá...
    ? Tem gosto de cocaína, isto vai dar muito inquérito, vamos entrar aqui na igreja, vou chamar uma policial feminina para dar uma geral na menina, e você garotão, eu mesmo vou dar uma geral, lá dentro...

    ? Este pacote não estava na minha bolsa...
    ? Está tentando insinuar que eu sou desonesto? É desacato a autoridade! Vamos já pra igreja, sair deste sol e conversar melhor...
    ? Olha vou logo avisando que não tenho dinheiro...
    ? Outra vez insinuando que sou corrupto, vou ter que algemar o garotão.
    ? Ei, péra aí, não algema ele não, eu devo ter algum dinheiro...
    ? Ah, além de drogada está tentando subornar o guarda, se você não fosse tão bonita eu diria que não teria jeito... Vou algemar você também, mas numa posição que vai gostar mais...
    ? Olha, isto não pode continuar, são garotos inocentes, não são criminosos...
    ? O que? Está na lei, é crime, droga é crime hediondo! Seguinte, mão na cabeça você também, desde o início desconfiei, é espião da corregedoria, X9, como diz a música, fogo no X-9 da cabeça aos pés, cadê meu parceiro de anos? O comandante me entregou ou foi enganado também. Agora alcagüete tem outro nome, delação premiada. Vai pra vala, todo mundo!
    ? Não vai adiantar nada, a casa já deve estar cercada, toda a quadrilha foi desbaratada, até os seus superiores; prostituição infantil, tráfico de mulheres, tráficos de escravas, sabemos de tudo, desista, o reforço policial já chegou. Vai pra cadeia, vida boa, prisão especial, tudo amigo, visitas íntimas, sai por bom comportamento antes do tempo, é primário. Se renda, acabou.
    ? Não acredito, não ouvi nada, está blefando, cadê minha coca? Cadê o Japa? Ele estava algemado ali... Será que vou ter tempo de comer esta vadiazinha? Aqui no chão o sacolé, é só meter o canudo, nem precisa bater. Que porr...

    A polícia cercou a casa, Igreja da Vida Divina do Fim do Mundo, nossos megafones clamavam a entrega dos reféns, ameaçavam entrar, mas ninguém responde, quando a polícia entra estão todos amarrados, com fita na boca, menos o Japa, salvou a todos se libertando, rotineiramente de algemas, atacando o monstrinho como Davi atacou Golias, é a mira do mágico, deixou uma banana com lacinho em seu lugar, “um mágico, e um palhaço”, é o que ouvi dizer. Sai desta atividade, trabalhar infiltrado não é pra mim, inclusive tirei da cena a bilha de aço, guardei como lembrança, tem um furo no meio, para usar como marica... Falar nisto, vou fumar um chronic em homenagem ao Japahemp! Valeu, seu puto! Te devo a vida, seja lá você quem for...

    Macerahemp01012007





    Mantendo a tradição de elucidação dos temas abordados nos contos (vejam no icmag mais sobre o candomblé no conto “corpo fechado”), cito um trecho na rede, de uma entrevista com o soul surfer brasileiro:
    Fonte: http://waves.terra.com.br/editorial/...o_digital1.htm

    P.: E as drogas, quais eram as mais usadas pelos jovens da sua época 60. Como era sua relação com elas nessa época? Você também era da turma que freqüentava as "Dunas do Barato", no Rio?

    R.: As drogas estão aí desde que surgiu a vida no nosso planeta. Acabo de ler uma belíssima reportagem numa revista italiana mostrando as drogas usadas pelos macacos, formigas, elefantes e outros animais que buscam o estado alterado de consciência. Quando uma criança gira até ficar tonta e cair no chão, está buscando alterar sua consciência, e isso é muito normal. Todo mundo usa droga! Uns fumam cigarro, outros tomam cerveja, enquanto outros, mais curiosos, buscam a transgressão ao sistema careta que diz que você pode fumar só isso, ou beber só aquilo. Ninguém nunca vai conseguir legislar a moralidade. Será impossível impedir que as pessoas se beijem, porque elas vão se esconder no mato e continuar curtindo aquilo que é gostoso e as fazem sentir-se bem. Mas os caretas não desistem da idéia de tapar o sol com a peneira e ficam aí fazendo leis que causam mais danos aos cidadãos do que a substância que eles usam. Naquela época começávamos a descobrir a maconha, mais tarde o LSD e a mescalina, e muito mais tarde, para alguns, a cocaína, que de tão perigosa já arrasou alguns dos meus melhores amigos. Mas eu nunca fui da turma das "Dunas do Barato", aliás, nunca fui de turma nenhuma, e preferia mesmo ficar na minha a andar em patota, me meter em briga e usar a roupa da moda. Sempre estive na periferia do que era "in". Talvez até por falta de talento.


    -- Valeu tribo verde resinada, Feliz Ano Novo!
    Última edición por macerazione; 01/01/2007 a las 18:03

  10. El siguiente Usuario da las gracias a macerazione por este Post:

    Jim*Morrison (05/06/2011)

  11. #36
    Fecha de Ingreso
    02 ago, 06
    Mensajes
    387
    Gracias
    0
    29 gracias recibidas en 22 Posts
    Mencionado
    0 Mensaje(s)
    Etiquetado
    0 Tema(s)
    Citado
    0 Mensaje(s)

    Re: Em busca da Onda Sativa Perfeita

    Redução de danos extrema no plantio e no consumo, dificilmente esqueci de alguma coisa, desde usar luvas para não se contaminar com germes da terra, até não respirar pó de vermiculita quando o solo está seco. Sempre lavar as mãos antes e depois de mexer com a terra ou as com as plantas, eu que lavo as mãos umas 50 vezes ao dia, quando estou sem erva, a medicação de farmácia não atua bem sobre meu organismo, me dou melhor com os naturais. Agora vou escovar os dentes, umas trinta vezes ao dia, dizem que faz mal, estraga a dentina, mas eu não uso sempre pasta dental abrasiva, e faço muitos bochechos com bactericida natural. Como a maconha é afrodisíaca não deixem de andar com camisinhas extras. E com lubrificante, quer uma dica? Reforçada, e pode usar duas que é mais garantido, quase não perde a sensibilidade, ainda mais com o gel que desenvolvi inspirado naquele gel clonador do zoiovermeio, só que o meu é estimulante sexual, e poderoso bactericida, acaricida, fungicida e anti-viral, inclusive insetos ficaram presos pela viscosidade e morreriam por asfixia, in loca. A cor eu escolhi rosinha, é mais feminino, bastam 50 ml que garantem a saúde sem contaminações, pode, e deve, ser usado antes do sexo oral, pois tem gosto de morango (ou chocolate), mas lave a boca bem para não estragar o trabalho do gel sexual esterilizador, senão vai ter que usar mais uns 20 ml para colocar o carrinho na garagem, em segurança. Infelizmente tenho que melhorar o desing do injetor, está assustando as namoradas e nenhuma ficou comigo depois de ver a geringonça, mas é segura. Segurança é tudo, quer uma dica? Sempre use proxy anômino, web proxy, mais um residente, como o JAP, mas atenção, as configurações do JAP nem sempre ajustam automaticamente o browser, verifique se está em localhost na porta 4001. + Firewall e antivírus! A segurança do sucesso é a segurança do segredo.
    Essa foi impagável...
    Última edición por W. Bonner; 03/01/2007 a las 22:34
    OBSERVATÓRIO DA CANNABIS

    Seja um carcinicultor você também.

    "The blue bus is callin' us
    The blue bus is callin' us
    Driver, where you taken' us?"
    Jim Morrison

  12. #37
    Fecha de Ingreso
    15 dic, 06
    Mensajes
    57
    Gracias
    0
    29 gracias recibidas en 24 Posts
    Mencionado
    0 Mensaje(s)
    Etiquetado
    0 Tema(s)
    Citado
    0 Mensaje(s)

    Re: Em busca da Onda Sativa Perfeita

    Boa Bonner, tomara que o zoio ñ leve a sério a idéia...

    Por falar em segurança (e anonimato) mais um conto sobre o tema, (feito no dia da árvore). Senhoras e senhores, apertem e boa viagem!


    Freemind

    “Os Reds são os olhos do mundo, sua dor e seu prazer, no jogo-tudo-junto”

    Hoje em dia com a interneural conectando várias inteligências animais e complexo-conscientes por toda a galáxia, temos que lembrar os primórdios da pista, definir é red&finim. Conectar significa proporcionar meios para que haja a troca de informações, e informações são pensamentos, emoções, sensações; a transmissão da Subjetividade Humana e Transhumana. Uma coisa muito interessante é que, absurdamente, mesmo depois que o plantio cannábico caseiro difundiu-se pelo mundo aniquilando o narcotráfico, os proibicionistas, religiosos-militares-bélicos, impõem a reproibição da maconha, e conseqüente caça aos maconheiros, milhões de growroom-farádicos pululavam a pista cannábica, a idéia é ser invisível, indetectável; diodos emissores de luz, fibra ótica, células de efeito Peltier, e toda a parafernália eletrônica geriátrica daquela época, ajudavam a manter a genética cannábica, escondida.

    A encriptação funciona bem em sistemas de trocas de dados binários, mas em sistemas de trocas de dados imaginários ela não funciona, truncando toda a informação e inviabilizando manter-garantir a integridade do conteúdo. Não é muito simples encriptar o inconsciente coletivo sem transformá-lo em uma Caixa Preta de Pandora, a diferença é que esta dá o maior trabalho para abrir, e quando a esperança sai, está encriptada, irreconhecível.

    “Sempre em épocas de guerra a Erva da Paz é proibida pelos belicocratas; e os maconheiros são perseguidos, infelizmente a Humanidade vive em guerra”.

    Os Frades Cannábicos (deriva de “Faradays Cannábicos”) formam a maior sociedade secreta que o mundo já acolheu, toda sua técnica-ideologia acabou sendo incorporada pela humanidade para sobreviver ao longo inverno... Compactar é economizar. Economia é invisibilidade. Os extremos são invisíveis, ser muito rápido ou muito lento é invisibilidade. A diversidade é econômica, quanto maior a diversidade maior o fator de invisibilidade: é fácil detectar uma pequena variação num padrão, mas como detectar variações no despadrão, na mudança constante como separar as alterações? Ruídos e dribles têm o dom da invisibilidade.

    O que passa a diferenciar a humanidade moderna é que faz apenas 80 mil anos que passamos a legitimar nossas ações através de crenças abstratas, a fé nos tornou imortalizáveis. A Humanidade, o que sobrou desta, o melhor que sobrou desta, os escolhidos, atravessa o mar vermelho. Neste momento crucial da história os dois estão na África-mãe, o Homem e a Cannabis. Condições desérticas unem estes dois seres de reinos diferentes, o alimento cannábico é resistente a seca, a semente possui muita proteína, e a flor alimenta diretamente o cérebro carente. Anandamida e serotonina são incrementadas através da ingestão cannábica, o dom do imaginar é aprendido com a erva da criatividade e uma vez aprendido passa a ser lastro cultural da humanidade. Uma vez que o inconsciente é libertado não há como desaprender, a criatividade é para o Homo Atual como o machado de pedras foi para os macacos de cérebros grandes, os outros Homo/Hominídeos.

    “Apesar da dívida de sobrevivência da espécie humana para com a cannabis e seus cultivadores, os maconheiros continuam a ser perseguidos pela potência bélica global, que invade não mais apenas os países do terceiro mundo, mas os lares cannábicos.”

    Zapping & Noise
    Como se esconder-defender de um Estado Globalizado que caça os maconheiros dentro de suas casas? Como fazer para escapar dos farejadores eletrônicos, dos analisadores de consumo de energia elétrica, e logo a seguir dos scanners-mentais, e ainda conseguir uma boa colheita para manter-se elevado, na paz... A resposta é a primeira que nos vem à cabeça, pensando. Pensando.

    macerafreehemp 21set2006

    ---- Elucidando as questões abordadas no conto ----

    Vários links sobre freenet e ciberpunk e anonimato em geral

    Ciber-Socialidade
    http://www.facom.ufba.br/pesq/cyber/lemos/cibersoc.html
    http://www.facom.ufba.br/pesq/cyber/lemos/rebelde.html

    http://freenetproject.org/
    http://www.nossacasa.net/info/texto.asp?texto=34
    http://freenet.sourceforge.net/

    GNUnet + esteganografia, passando a muralha (firewall) da China (permite buscar por cadeias de caracteres "naturais", em vez de códigos de hash aleatórios, como aqueles usados na FreeNET, por exemplo).

    Analysis of a Subculture Group: Cyberpunk
    http://project.cyberpunk.ru/idb/anal...ubculture.html
    http://www.cyberpunks.org/display/50...ay/632/article


    http://www.comciencia.br/reportagens/2004/10/11.shtml
    http://www.gnu.org/brave-gnu-world/issue-40.pt.html
    breve história do P2P
    http://www.cic.unb.br/docentes/pedro/trabs/p2p.html
    Rede P2P Freenet esconde identidade real dos usuários
    http://www.xlusion.cjb.net/news/newsi/data/xHTML.txt


    Existem uns escondedores de IP que se instalam na máquina, assim vc surfa anônimo pela WEB toda (e não só na page visitada com o “cgi/bin”, os WebProxyes.)
    Anonimato na WEB toda

    1) O clássico JAP - Java Anonymity Proxy (fácil de usar e instalar, requer Java script runtime)
    Site: http://anon.inf.tu-dresden.de/
    Dica: muitas vezes o browser não seta o localhost e a porta 4001 automaticamente, então confira no setting nas opções de internet daí a conexões

    2) Tor: Um sistema anônimo de comunicação na Internet (tvz o mais eficiente, recomendo)
    Site: http://tor.eff.org/

    3) New GhostSurf Pro 2005 - Free Download (o mais usado pelos especialistas em Web)
    Site: http://www.ghostsurf-pro.com/

    Pode-se usar o JAP e o TOR juntos: http://www.wilderssecurity.com/archi...p/t-80887.html
    ---

    Webproxies
    Mais limitados, mas ainda uma boa opção para entrar em alguns sites, são os Webproxys, tem várias listas na rede, pode-se usar um residente, como o JAP, e ainda surfar num Webproxy, como o guardster.

    --

    Para e-mail anônimo temos o hushmail
    http://www.hushmail.com/

    Um e-mail James Bond, se destrói em “tantos” segundos:
    http://www.willselfdestruct.com/

    Aqui no site já citaram um e-mail que você põe o nome que quiser, mas como ñ é anonimato, nem segurança, ñ está aqui...

    --
    Um ótimo texto na rede sobre segurança:
    “13/03/2006
    Sem criptografia, você está exposto. LINK - Estadão, 13/03/2006
    Internet não oferece proteção contra grampo de e-mails, bate-papos e
    histórico de navegação; saiba se defender”
    Fonte: http://listas.softwarelivre.org/pipe...ch/003823.html

    Mais um, como esconder o IP
    http://www.istf.com.br/vb/archive/index.php?t-7831.html
    --
    Suíte de ferramentas e webproxy:
    http://www.anonymizer.com/default.html
    --
    Importante saber que tudo que estiver na área de transferência pode ser visto independente do IP estar certo ou maquiado, no site do evidence eliminator tem até uma página para teste (ñ sei onde fica, mas já vi, e testei, com firewall), então o famoso copy/paste para senhas ou nicks, é um ponto falho na rede.
    --
    Valeu povo verde, espero não ter me estendido demais no quesito segurança, em opções da internet, limpem sempre o histórico, os temporários e todo o conteúdo off-line, e limpar os formulários e senhas em auto-completar.
    --
    Depois teremos mais contos durante o ano, por enquanto já temos muita coisa (mais o download da coleta2004).

    Fiquem com Deus, e em segurança, a luta continua até a total descriminalização dos usuários e do plantio de auto-subsistência.

    Paz!

  13. El siguiente Usuario da las gracias a macerazione por este Post:

    Jim*Morrison (05/06/2011)

  14. #38
    Fecha de Ingreso
    15 dic, 06
    Mensajes
    57
    Gracias
    0
    29 gracias recibidas en 24 Posts
    Mencionado
    0 Mensaje(s)
    Etiquetado
    0 Tema(s)
    Citado
    0 Mensaje(s)

    Re: Em busca da Onda Sativa Perfeita

    Os contos têm uma preocupação com a redução de danos e a ideologia grower de cultivo caseiro de subsistência. Até a total descriminalização dos fumetas. Sempre juntos e no caminho certo, com Deus!
    --

    Tema: Ruanna me Salvou
    Login: Altadictión Hemp4ever
    Tipo: Revival Report
    Obs: Em português e expandido


    A psicóloga disse que esta cena é realmente importante, aí eu sempre a cito, mas não vejo esta importância toda...

    Quando eu era pequena, bem pequena, lembro de ter entrado no quarto dos meus pais a noite, pois ouvi minha mãe gemer, achei que ela estivesse machucada, fiquei na porta não sabia se devia entrar ou não, estava com medo, algo que machuca-se minha mãe poderia me machucar também; houve um silencio e eu abri a porta, lentamente, minha mãe de pernas abertas, e aquela coisa vermelha, me assustei e sai correndo, me machuquei, não sei aonde, as lembranças são muito antigas, em preto e branco, somente o vermelho eu lembro, e no meu quarto a vermelho do meu sangue, e os meus gemidos, bebi o sangue para não deixar vestígios...

    Várias vezes fui presa pela polícia, ou internada a força, porque sou proibida de me machucar, não posso ficar por aí me cortando ou fumando qualquer coisa, eu acho engraçado, um dia fumei orégano, tinha uns cinco anos de idade, tossi muito, via meu pai fumando e me achei poderosa imitando o macho alfa, essa linguagem assim é porque eles me forçaram a estudar alguma coisa, e escolhi biologia, mais por causa da facilidade ao formol, no início, mas depois gostei da coisa, a coisa em si; em psicologia da ciência e dos cientistas, sempre me achei parecida com estes malucos, bem masoquista e seu próprio algoz, ai de quem queira me provocar dor... ahahah, já viu arara bicando? É por aí... mas tô de boa, obsessiva sempre, mas isto faz parte, é a vida, a vida é ávida, gosto de poesia, mas não me considero grandes coisa com isto, talvez eu seja, pelo menos psiquicamente, uma fêmea beta-, a virtude disto é que me preocupo com outras coisas, da esfera prática, do prazer imediata, da resposta intrínseca na provocação do imediato, mesmo assim gosto também de ver o tempo passar por entre o vai vem dos meus olhos perdidos no movimento browniano da poeira, agora cósmica.

    Papai nunca entendeu quando dizia que queria ser igual a ele, eu já era fortíssima, que nem ele, que me levava pro campinho onde eu jogava bola, e às vezes até tinha que bater em uns garotos de dez anos, ou pouco mais, mas muito metidos à besta. Mas o que eu tinha que fazer mesmo era ajudar ao papai a ganhar na sinuca, eu ficava no nível das bolas, era fácil ver a trajetória, e também o cálculo trigonométrico é muito simples, até para uma menina de oito anos, mesmo assim eu errava bastante as caçapas quando papai ficava muito bêbado, principalmente quando brigava com mamãe, dia sim dia não, era o único jeito de tirar o dinheiro dele para a cachaça, no outro dia, daí eu ganharia facilmente tudo de volta, adoro as voltas que a vida dá, é o que me mantém em equilíbrio, o dinâmico e perverso equilíbrio do bem e do mal, a árvore da sabedoria invertida, as raízes tomam a cabeça igual medusa, e as flores estão enterradas, proibidas, o cidadão acuado “botou o galho dentro”, abdicou, à força, dos seus direitos sobre seu corpo, e a humanidade segue jogando bombas em crianças subnutridas e querendo me prender porque eu fumo mato, hoje em dia ruanna, mas já fumei qualquer coisa, já falei do orégano? E do crack? Não? E da raspa de tinta das paredes, ou do cocô de cachorro seco? Sei lá, é uma coisa que me dá, é claro que eu não gostaria de ser assim, pelo menos não o tempo todo e com coisas esdrúxulas, cheirar desodorante no supermercado, beber desinfetante, mas e as bombas nucleares? E a guerra bacteriológica? A miséria, a guerra, a poluição, sem falar na prostituição infantil, não são presas, estão à mostra, até mesmo os DVDs piratas nas ruas das metrópoles, mas parece que quando me drogo sou presa, menos com álcool, eu gosto, mas sinto que morro muito rápido com álcool , é muito mais nocivo do que qualquer sabão que eu já tenha comido, e passado bem mal depois, lavagem estomacal é sempre um martírio, mas quem está reclamando, fiz porque quis, mas não sei porque quis fazer, e você, sabe porque quer fazer as coisas que faz achando que é pelo seu querer?



    Às vezes fico pensando que eles querem que eu morra pelo jeito deles, o jeito que eu escolhi, muito mais divertido, não pode, pode morrer de fome, mas não pode morrer de detergente, de crack, e essas coisas que matam rápido, cachaça... matou meu pai, ele pode morrer em paz etílica, alcoólatra, batendo em mamãe, toda hora briga, mas quando batia nela eu não ganhava nada na sinuca pra ele, era de propósito, sempre fui vingativa, ah: uma vez cheguei a esta conclusão, me vingo o tempo todo em mim mesma... Que loucura, cada coisa que a gente pensa, mas tem muita gente que pensa parecido, e outras que já pensaram assim e querem compartilhar, foi assim que descobri um grupo de ajuda mútua, esse nome é muito engraçado, imagina: Com licença, senhores, mas eu vou para o meu grupo de ajuda mútua... ahahah, ninguém merece...

    No meu primeiro dia fiquei em pé, e me declarei “hipocondríaca do mal e do bem”, ainda argumentei, “se fosse só do mal estava morta...”, contei das prisões e internações, os medicamentos, que no meu caso não servem muito, é a faca de dois gumes, eu abuso; somente um “medicamento” deu certo, pois abuso e não acontece nada de muito ruim, a ruanna, e minha ansiedade baixa, mas eu abuso mesmo! Tenho sono, tenho fome, tenho desejo sexual, tinha tosse, mas criei um sistema de evaporar o THC, primeiramente a atmosfera em que o camarão está, dentro de uma redoma de vidro, é aquecida até uns 130 ºC, depois toda a atmosfera é trocada, assim me livro de benzeno (80.1 °C ) e outros componentes cancerígenos que por ventura possam estar presentes, tudo que é solúvel em água também deve ser arrastado, depois a erva é novamente aquecida até 185 graus, a temperatura de evaporação do THC, indo até 220 ºC, é simples, com qualquer copo, canudos e lâmpadas eu faço um, fica fácil usando um termômetro pra estufa, daqueles que vão até 260ºC. Também usei este argumento para poder fumar da erva plantada, pois economizava até 80% do THC, que não é degradado na brasa nem perdido na fumaça, e você está fumando como?



    Na época da faculdade eu já usava bastante erva, me manteve afastada das outras drogas, mas sempre rolava a erva, meu namorado, que fazia comunicação, era o que hoje em dia conhecemos como grower, mas ele plantava e eu fumava tudo, praticamente tudo, ele ficava louco, então comecei a dar umas dicas pra ele, falei da dominância apical e sugeri que ele colocasse uma tela de galinheiro em cima das plantas, hoje em dia a técnica é conhecida como SCROG entre os growers, outra boa idéia que dei foi usar uma planta matriz e enraizar com hormônio as mudas, e assim ter uma floração perpétua, eu precisava disto, outra boa também foi usar lâmpadas com grau Kelvin mais baixo para a floração dentro do armário, hoje em dia estas mudas são chamadas de clones (e respectivas mães), usávamos água e bombas de aquários, o famoso, hoje me dia, Bubbler, e tantos clones eram gerados que logo começamos a levar as mudas pro mato, tínhamos várias plantações silvestres, atualmente chamadas de “guerrilhas”, prefiro o nome atual, “guerrilhas canábicas”, imagino vários duendes tomando conta das ervas santinhas... O problema é que manter as mães ocupa mais espaço do que sempre fazer clones, clones dos clones e assim por diante, o processo hoje em dia é conhecido como Clonex, e as gerações se seguem: clonex1, clonex2, etc. o método clonex foi o mais simples (copinhos de café com vermiculita, 11W de florescente) , mas eu (ele) plantava mais clones com medo de perder a linhagem (o que uma mãe garante), e também só as mudas que enraízam bem vão para o vaso, resultado: tínhamos muito mais plantas (do que a segurança permitiria para dormimos na santa paz), espalhadas pela casa toda, era uma loucura, cheguei até clonex 27, depois disso voltamos à natureza, produzindo sementes, a sementeira também não é muito dispendiosa, de qualquer forma pode-se produzir sementes, em baixa escala, polinizando antes nas pré-flores e interrompendo a polinização logo depois, poucas sementes serão geradas, o bom é que pra viajarmos pelo país as sementes são melhores mesmo, no fim prevaleceu a natureza, portabilidade e segurança. Semente no solo, não é que dá certo!

    De tudo que é jeito eu economizava o THC que fumava de suas plantas, mas sempre fumando mais, até ácido fólico eu fazia-o comer pra chapar melhor. Já falei do vaporizador de duplo estágio termal, com fluxo de ar a 185 ºC passando entre a flor na pira canábica? E da seda que ajuda no arraste do THC (através da coluna de destilação em nossas bocas: o baseado!). Inventei também um bonge que ao invés de puxar a fumaça, e perder a que sai na ponta, o processo era de assopra para o balão e daí inspirar, era de fumar soprando, que também mantém a brasa com oxigênio suficiente, e aumenta a umidade do fumo (aumentando o araste por vapor), ocorre menor retenção e degradação do THC que não é retido e filtrado pelo próprio fumo, num baseado isto faz muita diferença, e muitos usam baseado em “bonge” (filtrando na água), outra coisa que é um detalhe, é que conseguimos pressionar mais para sair o ar do que causar descompressão para entrar o ar. Todo o refugo que sobrava, folhas e caule, eu secava extraía no araste por butano supercrítico, não rendia quase nada, mas eu usava para colar duas sedas de papel celulose, e assim a seda, por si só, já garantia a onda, usava mais isto para enrolar aquelas presenças de prensados que as vezes tínhamos que fumar, no movimento estudantil e nas intensas relações sociais próprias da juventude (hum, me senti uma velha agora...).

    Outra coisa estranha é que só tomava essas coisas que me fazem mal, como perfume e desodorante, quando tinha me separado de um namorado muito importante, graças a Deus só tive quatro... Mesmo assim normalmente usava coisas esdrúxulas, mesmo sem causar muito mal a saúde, já fumei artemísia, dormideira, ervas das mais variadas, principalmente estes temperos, parecem feitos pra fumar... qualquer briginha eu ia pro banheiro fazer um pequeno corte na perna ou comer pasta de dente, deve ser isto, eu me odeio... ninguém merece... pelo menos eu esterilizava a lâmina antes, nunca compartilhei lâminas... ehehe... e fazia uma boa assepsia depois da intervenção cirurgia de pouca monta.

    Realmente a cocaína foi muito ruim, eu morava perto do morro e toda hora subia pra pegar uma mutuca de bagulho, tinha acabado a faculdade e estava longe do meu namorado, canceriana é muito ligada neste negocio de romance, e vou logo avisando, eu mudo com a Lua, e a noite... Mas voltando a vaca fria, entrei na maior fria, me viciei, acabei com meu nariz, subia para pegar uns papelotes pros gringos que ficavam ali nos bares, até porque eles iam com umas gatinhas lindas, e descobri nesta época o meu bissexualismo, pelo menos por loiras... Eu sofria com a ausência dele, e tentava terminar minhas teses de mestrado, “Epinastia para o aumento da colheita em floreiras de região agreste.”; “Produção de sementes fêmeas usando agentes hormonais, químicos, mutagênicos e estressantes” e finalmente “Produção de poliploidia estável na natureza e em floreiras de dias curtos em região árida.”. Ele estava na Austrália fazendo um trabalho com aborígines, e sua preservação cultural e geográfica, daí que a última tese eu preferi fazer lá, nem precisei de orientador, só usei na primeira, às vezes eles atrapalham, eu tenho que ter muita liberdade para pensar... Consegui uma planta estável, sem serrilhas, com um poliplóide estável, daí dizemos “poliploidia natural”, ou naturalizável facilmente, ou não? Eles também estão em dúvida. Mas voltando a vaca frígida, e auto-fofoqueira, ele ficou sabendo das coisas que rolaram, eu contei, maldita boca, e acabamos brigando, e nem tinha loira por perto... Saí batida e deixei pra lá a última tese, joguei tudo no mato, literalmente, eu também queria acabar logo isto pra fazer o doutorado, e ficar livre, sei lá de que, ou pra quê?



    Ser diferente é difícil, mas é normal...
    Todo mundo fala que é difícil ser gay, mas ser bissexual é mais difícil ainda, você tem que esperar compreensão e aceitação dos dois lados, e é difícil se manter monogâmico, fica faltando a outra metade do mesmo desejo. Pior ainda quando se é bi-sex e pouco gay, aí não forma relação estável gay, pois está sempre trocando em detrimento da orientação mais predominante, desculpa estar sendo chata com estes papos, mas hoje em dia o DVD salvou o “povo do gueto”, os pornôs sempre têm duas mulheres e um homem, virou fetiche, mas às vezes vira imposição do cara querendo invadir sal relação com a outra, é ser humano, então é complexo, não da pra fazer leis moralistas proibindo a gente de ser o que se é, porque não podemos mudar o que somos realmente, você pode? Bom, na maior parte do “mundo civilizado” o homossexualismo foi descriminalizado, mas o casamento gay ainda não é legalizado, o que não impede que ninguém more junto em casal, mas os direitos sociais rodam no balé do moralismo, as empresas de seguro social agradecem, o proibicionismo só existe porque é muito lucrativo, é como não mais prender os usuários, mas proibir o plantio caseiro, inventado que são laboratórios e coisas do tipo, uma simples estufa elétrica para plantas, a growbox atual, mas que mania de falar tudo em inglês, right? All right?! Tio Sam, libera aí! Libera a flor da paz.




    Acho que plantar um strain stealth, uma linhagem disfarçada, é redução de danos, você corre menos perigo, nos países que ainda perseguem seus usuários. Agora volta para as minhas mãos a Dizzy Vine (que cresce como uma parreira), pelo seed bank Spice Brothers. Este negócio de redução de danos me conquistou, hoje em dia, sexagenária, ainda encontro ânimo para ajudar as pessoas que estão ainda batendo cabeça na vida, sofrendo como eu sofria, e ainda sofro, mas encontrei uma saída segura para a minha necessidade constante de adicção, minhas obsessões, minhas ansiedades, minha humanidade, hoje com 65 anos de idade e fumando basicamente cannabis índica, 250 gramas de flores secas ao mês, vaporizadas, plantio orgânico, 600W HPS-Agro, aeroponia com incrementos hormonais e nutricionais (epinastia), com tela de galinheiro em cima, a palavra scrog parece uma galinha cacarejando, scrog, scrog, scrog... Nunca comi galinha, possivelmente o vegetarianismo me manteve saudável apesar dos pesares, e apesar da idade avançada, gosto desta palavra, avanzada, às vezes, e muitas vezes, sou uma menina, e quero correr livre pelos campos, mas não quero tropeçar no vôo, me cuido para permanecer saudável e ver minha netinha crescer, assim, participo até hoje de um grupo de ajuda mútua, não ri não, é sério, sem apoio não somos ninguém, é coisa de bicho que vive em tribos, aí vou eu falando de biologia de novo...



    Macerahemp2007jan


    Links elucidativo:

    Vaporizer
    http://en.wikipedia.org/wiki/Vaporizer

    http://thcvaporizer.com/

    Spice Brothers Seeds
    http://www.hg420.com/showthread.php?t=1167

    http://www.hg420.com/gallery/showpho...cat=500&page=9


    Fet gallery (vocês vão rir muito se visitarem esta gayleria no homegrow420)
    http://www.hg420.com/gallery/showgal...=12&ppuser=2&=

    Cannabis destroys cancer cells (01 March 2006)
    http://www.resist.com.au/forum/topic...&TOPIC_ID=314?

    A fabricated paper: stoners eat your broccoli
    http://www.scq.ubc.ca/?p=137

    História da maconha medicinal (inglês)
    http://www.medicalmarijuanaprocon.org/pop/history.htm


    comentário no hempcity
    http://www.dutchjoint.nl/forum/viewt...5a4821f97d4d0e
    AmeriSkunk:
    “It isn't suppost to be the best but it has around the same THC levels as schwag weed probably around 1-5%, I tried to add more pics but it didnt work, the grower Fet is supposidly going to market the seed in the future, I'm in

    Dizzy is a refined strain of ABC, Fet claims it's one in it's own but it is just a select strain with higher THC levels. This would be one hell of a novelty strain, just let it grow in you livingroom. I cant believe CC gave out seeds to members that asked, how's that legal?”


    Se perguntar pra que o vaporizer, é pra tabaco...

    Vaporizer Temperature for Marijuana

    Marijuana vaporises best between 140 degrees Celsius up to approx 300 degrees Celsius. The best temperature range is 110 degrees Celsius to 300 degrees Celsius. A different temperature gives you a different effect.

    Vaporizer Temperature for Tobacco

    Tobacco vaporises between 140 degrees Celsius up to approx 200 degrees Celsius. The best temperature range is 110 degrees Celsius to 300 degrees Celsius.

    Dicionários de português e outros recursos:
    http://forum.wordreference.com/showp...15&postcount=1


    Interessantíssimo comentário sobre Bindi e Dizzy: http://www.icmag.com/ic/showthread.p...8&page=2&pp=15
    “Dizzy a tropical strain and that will not perform in cold climates.
    Bindi grows small bushes and slow.
    Dizzy grows large tropical like sativa's yielding up to a pound a plant.
    Bindi does not contain vine growth
    Dizzy does contain vine growth.”

    Para traduzir gratis na rede:
    http://xixona.dlsi.ua.es/prototype/pt/

    En español: En búsqueda de la Onda Sativa Perfecta
    http://www.cannabiscafe.net/foros/sh...ad.php?t=72022

  15. El siguiente Usuario da las gracias a macerazione por este Post:

    Jim*Morrison (05/06/2011)

  16. #39
    Fecha de Ingreso
    15 dic, 06
    Mensajes
    57
    Gracias
    0
    29 gracias recibidas en 24 Posts
    Mencionado
    0 Mensaje(s)
    Etiquetado
    0 Tema(s)
    Citado
    0 Mensaje(s)

    Re: Em busca da Onda Sativa Perfeita

    --
    A onda sativa deve ter pancado geral, agora 180 graus... Hare Om

    ..

    Em busca da Indica perfeita (forzabruthay420)
    O Mestre Indica a perfeita.

    Ao contrário dos growers/breeders que escolhem os requisitos antes de qualquer coisa, da escolha das variedades (strain) genitoras e antes das cruzas, eu preferi aplicar o algoritmo da força bruta, a partir de vários strains “Pure Indica” como, por exemplo, Black Domina, Sensi Star, Shiva minha árvore de natal preferida, Shiva Shanti, Northern lights, Hashberry, e tantas outras, das linhagens “Indica pura”, então forneci o ambiente perfeito para a orgia total entre estames e pistilos.

    A força bruta não é uma desenfreada carroça de burro com os olhos cobertos, os olhos não estão cobertos, e tem muita poeira na estrada, fundamentalmente é uma questão de estatística, mas sempre alguma inteligência está presente no processo de seleção e descarte, lembrando que o importante é manter o burro bem alimentado. O Satori está entre a mente e os dedos, não é preciso achar o caminho divino para a Paz, a Paz é o caminho divino.

    Do ponto de vista do observador o método é Zen, achar o caminho natural que liga o criador e a criatura, a flecha e o alvo, a prática é a forma, o vazio é a forma, a forma é o vazio. Praticar e observar, constantemente, sem apego aos resultados, sem envaidecimento, sem desmerecimento. No meio do nada, no mato, longe do que chamam de civilização, longe da Babilônia; no Éden, em Zíon, numa terra maravilhosa, em que se plantando o skunk dá; com muita água, chuvas todas as tardes da Serra da Mantiqueira, cachoeira e out door separando machos e fêmeas, plantando em vasos, e caminhando polinizantemente entre as regiões sexualizadas.

    O importante é deixar o tempo passar, esvaziar a mente e focar no silêncio transparente.
    Eu sou o reflexo do homem bom, da sua face no lago, quando a Lua ilumina O Vale das Flores Cheirosas, rosas e púrpuras, orange, blue, branca paz interior, nós somos este bem, bem além.

    Segui esta natureza interior, dormindo quando tinha sono e comendo quando tinha fome, mas sem ter muito nada mesmo, apenas os vegetais, a semente da erva sagrada e o sussurrar tênue do mantra que o vento canta ao dançar com a relva da clarividência. Eu era você em meu olhar que me acalmava e meninava nos sonhos fugidios. Assim era o fotoperíodo, as estações iam se passando e os filhos das filhas dos filhos e assim por diante as ondas requebram os alelos saltitantes entre o pólen e o ovário. Por vezes eu mexia neste bonsai cromossômico, introduzia um varão retroativo entre as meninas adiantadas, ou um híbrido quase Indica pura, mas com algo a mais, como a Dutch Stealth

    Fui empilhando sutileza sobre sutileza, um florescimento potente em 18/6 da mikado que sob 18 horas de luz tem suas hastes e folhas cobertas de cristais; a baixa estatura da Afghani#1, a potência da Durga Mata, e solidez homozigótica da Hindu Kush com o cerebral da Speed Queen, as cores da Indigo somados a resistência da Purple Star, todas 100% Indica.

    A primeira vez no templo acerquei-me do mestre enquanto ele cuidava de um bonsai de sua coleção, fazia uma aramação dupla, perfeitamente paralelas, em 45º do ângulo de torção, mantendo o alinhamento exato entre os fios até que eles se separam e cada um vai para a sua rama, sem perder a fluidez do movimento. O fio duplo sai de dentro de uma pedra, no encontro do fio com a pedra existe um LED ligado aos fios, “quando ilumina-se em vermelho o solo está seco o suficiente para ser regado”, percebo então que dentro da pedra existe um circuito eletrônico, pergunto, meio óbvio, os eletrodos são de ouro? Com quantos mega-ohms possibilita a rega?

    Esta pedra é um pequeno computador, faz a análise do solo, umidade, sais dissolvidos, temperatura, quantidade de oxigênio; pH, o LED tem seis cores possíveis, no momento me preocupo com as cores impossíveis.
    ? Se elas são impossíveis por que se preocupar.
    ? Por que se preocupar se elas são impossíveis?
    ? Foi isto que eu disse.
    ? Não foi isto que eu disse que você disse.
    ? Mestre, o senhor concebe cores que a gente não vê.
    Entre pela forma e saia pela forma, vamos aprender bonsaísmo? Disse ele me entregando a Dutch Stealth, serpenteava pela pedra e emergia com 3 centímetros e um caule bem grosso, finalizando no estilo vassoura, certamente poda FIM encima de poda FIM bem envelhecidas. Uma planta mãe bem difícil, pois muitas vezes floresce espontaneamente.

    Cerâmica, mais uma Arte Zen, fazendo vasos eu entorno em torno do eu do torno, torno a aprender as formas fêmeas, o vazio e o desprendimento, não raciocinar enquanto se deixa viver sabiamente no caminho da prática, que escorre pastosamente entre os dedos, os pés marcam o ritmo da roda das moiras, rematando no tear dos mantos brancos de algodão cru. Vasos em out, redução de pragas, portabilidade e rapidez nos socorros.
    Trabalhei num solo com bastante turfa e vermiculita atuando entre um e dois mega-ohms, para selecionar por resistência aos fungos, uma vez que os camarões gordos e compactos das Indicas são propensos aos fungos por reterem mais umidade.

    Cada vez mais próximo ao alvo, ao cerne, me encontrando mais achei várias Indicas perfeitas, e o que conquistei em cada uma, cultivei dentro de mim, o nome autocultivo é um Koan, “pense em todas as possibilidades, a planta cultiva você, você se cultiva, e você cultiva a planta, você o alvo e a flecha, a fibra mais forte, um equilíbrio dinâmico, você é a paz, a planta e você mesmo, mudando, cada vez uma perfeição, cada vez um novo você sem perder a essência divina, eu sou você, internamente relaxado.”



    A seita era chamada de escola interna mariana, o sacramento canábico cultivado no alto da Serra da Mantiqueira, mas parece que teríamos problemas com a divulgação da religião.
    ? Usar sempre a corda mais forte para seu arco.
    ? Hempô! Sen-sei, como fazer para ser stealth, ninja?
    ? Só um ninja que não se sabe ninja é ninja.
    ? Os olhos são o espelho do coração.
    ? Que refletem imediatamente a alma.
    ? O espelho do lago tranqüilo não enganaria ninguém.
    ? E quando um homem se reflete no outro e não se aceita?
    ? É o preconceito, seus olhos estão atormentados, sua fúria de não aceitação sugere que sejam presos todos os seus temores, está na armadilha.
    ? Por isto Uke nos ataca.
    ? Tenso, isto cria pontos de fragmentação da força, o vazio as penetra reconstruindo o mundo, juntos.
    ? Isto é bom.
    ? Conduz à paz e à harmonia.
    ? “O oceano não rejeita a água”.

    macerahemp2007jan

    --
    abrax!

  17. Los siguientes 2 Usuarios dan las gracias a macerazione por este Post:

    Harvest*Time (10/10/2014), Jim*Morrison (05/06/2011)

  18. #40
    Fecha de Ingreso
    15 sep, 06
    Mensajes
    688
    Gracias
    0
    7 gracias recibidas en 5 Posts
    Mencionado
    0 Mensaje(s)
    Etiquetado
    0 Tema(s)
    Citado
    0 Mensaje(s)

    Re: Em busca da Onda Sativa Perfeita

    tá de parabéns

    vc escreve ou traduz?

  19. #41
    Fecha de Ingreso
    15 dic, 06
    Mensajes
    57
    Gracias
    0
    29 gracias recibidas en 24 Posts
    Mencionado
    0 Mensaje(s)
    Etiquetado
    0 Tema(s)
    Citado
    0 Mensaje(s)

    Re: Em busca da Onda Sativa Perfeita

    Sempre gostei de escrever cyberpunk, onde tudo é possível; se na realidade habitual nem tudo é possível, pelo menos as possibilidades são infinitas, como parece acontecer, também, com a cannabis. Nas infinitas possibilidades mentais escrevo e traduzo-me e agradeço a Jah, e a vocês.

    Está Tudo Dominado

    O combate bélico às drogas sempre foi uma forma de controlar as drogas ilicitadas (e como tática de controle existem melhores e que recolhem impostos, altos), e foi assim com quase todas as drogas ilicitadas, principalmente depois da metade do século XX; mas o século XXI foi impiedoso com o pensamento anti-econômico, dar dinheiro para traficantes foi tido como Anti-Economia, a guerra às drogas é a essência anti-econômica, o poço sem fundo de gastos públicos, quem diz isto são os computadores mais evoluídos do planeta, complexos de alguns quarteirões e muitos andares, é tudo matematicamente provado, quando a equação leva em conta os mecanismos atávicos e fisiológicos inerentes à humanidade, parece que poucos humanos podem entender, ou querem, mais uma limitação humana, tabu, pudor e vergonha. Mas o cérebro humano possui um componente, que as máquinas de pensar não têm: a interação neuro-química; é aí que tudo faz diferença, e experimentar algumas mudanças neuro-químicas na mente foi um direto constitucional adquirido, antes somente privilégios de xamãs/religiosos, agora você pode fumar baseado, baseado em que você pode fazer quase tudo, mas com apoio terapêutico, umas das poucas profissões que ainda era majoritariamente humana, afinal só mesmo sendo humano para entender, ou se desentender com outro humano.

    Todas as drogas naturais e seus derivados destilados foram realmente controlados, no início alguns países usaram a tática fascista de legalizar salas de uso de drogas para cadastrar e depois perseguir os usuários. Mas o controle bio-eletrônico provou-se o melhor na luta para combater o terrorismo internacional, as cidades adotaram o dinheiro e identidade eletrônica, micro-laser de impregnação atômica com encriptação fractal, é bem difícil de falsificar, a pena por falsificação são 300 anos em êxtase, é muito tempo para não pensar em nada, o nirvana induzido; ninguém falsifica, pois falsificar seu DNA atualizado é impossível, seu cartão de identificação é seu DNA altamente codificado, só você tem acesso total, a chave é o próprio DNA atualizado, o Despelhamento Redundante, a chave é o conteúdo, o conteúdo é a forma, e a forma é o vazio; tem muito espaço entre as partículas/ondas/cordas/notas inter-atômicas. A chave é pública, pois você é público, e pela lei você é responsável pelo seu DNA, o bem maior protegido pela Justiça, em última análise é você o seu DNA. O DNA foi totalmente dominado. “Está tudo dominado.”


    Mesmo comprar com notas, notas inteligentes, que são ativadas por contacto com o CII (Cartão de Identificação Internacional) atrela a compra à sua identidade, assim comprar drogas que causem dependência psicológica ou química é uma operação controlada, os lugares de venda também são controlados, dirigir sob efeito, além de ser qualificado como crime de impossibilidade, levaria a perda da carteira de motorista por dois anos; dirigir em modo manual sem carteira é crime punido com cinco até 10 anos de prisão, o carro é inteligente e compartilha informações com a central, nem pense em enganar a lei, afinal “você pode tudo na vida, basta nos dar o controle de sua vida”, alcoólicos não podem comprar bebidas alcoólicas com seu CII, e se você compra bebida alcoólica estará sujeito à investigação por uso de drogas na direção, e no trabalho; com o desemprego aviltante ninguém empresta o CII.

    O cérebro é o que importa, e o DNA idem, assim o que se armazena em êxtase penitencial é a sua cabeça, por um período não inferior a cem anos, e como em trinta anos extremos conseguindo reviver e reincorporar as cabeças criogenizadas (CC), a pena de cem anos está dentro de uma margem de erro bem ampla. Senhores e Senhoras condenados a não pensar em nada por cem, 200 ou 300 anos, deixa estar, que seja, os senhores não sentirão dor em momento nenhum, o Estado arcará com as despesas elétricas para manter intacta a CC. “O Vazio é a Forma, a Forma é o Vazio.”

    O controle total das drogas não foi de estalo, um satori político, mas um processo gradual cheio de piedade para acabar com o caixa-dois que o narcotráfico gera e o capital internacional injetado na economia através dos maiores lucros jamais sonhados pela indústria ou comércio. A maconha foi a primeira, das drogas ilicitadas, a ser legalizada, principalmente pelo seu baixo impacto na saúde; ser a mais leve de todas, ter um poder medicinal fantástico e ser de fácil plantio; não adianta proibir o álcool se fermentar é tao fácil, assim foi com o plantio de subsistência, os homegrowers venceram, mas alguns países, com governos morais de medicina econômica, adotaram a idade balzaquiana: como a única questão pendente era sobre a possível precipitação de uma crise em esquizofrênicos, e estas crises se dão, em quase toda sua totalidade, até aos trinta anos, a idade de trinta e um anos foi adotada como idade permitida para o experimento cannábico, a assistência terapêutica era necessária para as primeiras vezes de uso, com o tempo esta técnica foi adaptada para as demais drogas; e a invenção de novas drogas psicotrópicas era controlada, também. O Sistema de Moralismo Medicinal estava enfraquecido, a experiência virtual de imersão total, neurônica, causava a Síndrome de Permissividade, se você pode experimentar qualquer coisa irrealmente, então realmente você pode experimentar qualquer coisa.

    Com a intensificação da pesquisa dos componentes canábicos novas drogas que aumentam a criatividade e a inteligência surgiram, depois vieram os coquetéis de ensino, línguas, matemática, etc., assim o homem podia, em inteligência, competir com a máquina. Devido à flexibilidade química dos compostos canábicos foram produzidos elementos que inibiam a fome ou aumentavam a fome, inibiam a memória, combatiam a síndrome pós-traumática, ou diametralmente aumentavam a memória e os acessos às memórias ancestrais, a memória celular e a arquetípica também tiveram suas portas abertas, os produtos canábicos atuavam em todas as esferas da fisiologia humana, a erva ancestral provou ser o maior laboratório que Jah colocou sobre a Terra, a melhor amiga do Homem. Cão-nabis.

    macerai o hemp – Seis/Março/2007

  20. Los siguientes 2 Usuarios dan las gracias a macerazione por este Post:

    Harvest*Time (10/10/2014), Jim*Morrison (05/06/2011)

  21. #42
    Fecha de Ingreso
    03 may, 12
    Ubicación
    Igreja São Terêncio Mackniana
    Mensajes
    1,089
    Gracias
    3,664
    4,830 gracias recibidas en 1,088 Posts
    Mencionado
    159 Mensaje(s)
    Etiquetado
    32 Tema(s)
    Citado
    283 Mensaje(s)

    Re: Contos Cannabicos - Em busca da Onda Sativa Perfeita

    Pendurado! Pendurado!

    Consumir o que você mesmo planta é algo tão básico, tão fundamental, que é absurdo pensar que o sujeito pode ser proibido disso!
    Choupana Orgânica * Chapelaria Mágica * Jardim Etnobotânico
    http://www.cannabiscafe.net/foros/sh...elaria-Mágica

  22. El siguiente Usuario da las gracias a Trich Lover por este Post:

    Harvest*Time (10/10/2014)

+ Responder Tema
Página 3 de 3 PrimerPrimer 123

Temas Similares

  1. Tutorial - Luminotécnica, Eletrotécnica e Instalação
    Por Tiradentes en el foro Desenho e Construção
    Respuestas: 278
    Último Mensaje: 16/01/2016, 22:39
  2. propuesta en colombia!
    Por hemp-madness en el foro Activismo General
    Respuestas: 7
    Último Mensaje: 26/01/2013, 05:02
  3. SEMENTES: Tire sua duvida
    Por O agricultor en el foro Assuntos Gerais
    Respuestas: 18
    Último Mensaje: 19/12/2006, 18:00
  4. Armario pra cultivo!
    Por Jack The te en el foro Desenho e Construção
    Respuestas: 12
    Último Mensaje: 19/08/2006, 03:05

Usuarios Etiquetados

Permisos de Publicación

  • No puedes crear nuevos temas
  • No puedes responder temas
  • No puedes subir archivos adjuntos
  • No puedes editar tus mensajes