+ Responder Tema
Resultados 1 al 1 de 1

Tema: Controle Alternativo De Formigas Cortadeiras

  1. #1
    Fecha de Ingreso
    03 Feb, 05
    Ubicación
    Brasil
    Mensajes
    2,041
    Gracias
    1,143
    3,540 gracias recibidas en 857 Posts
    Mencionado
    117 Mensaje(s)
    Etiquetado
    79 Tema(s)
    Citado
    66 Mensaje(s)

    Joker Controle Alternativo De Formigas Cortadeiras

    [quote name='New Organic Farmer' date='Mar 27 2006, 07:14 PM' post='321740']
    CONTROLE ALTERNATIVO DE FORMIGAS CORTADEIRAS

    As formigas cortadeiras têm causado sérios danos às culturas.Forçando-nos à busca de controle alternativas, aos produtos químicos utilizados.
    Dificuldades no controle e importância dos danos.
    • Quase todas as plantas cultivadas podem ser atacadas, além de árvores, invasoras e pastagens.O que significa que as mesmas não dependem exclusivamente de algumas plantas.
    • Grande número de formigueiros podem surgir numa área e se expandir para outro quando o controle não pe feito de forma mais abrangente.
    • Grande número de formigas por formigueiro.
    • O combate pode ter custo elevado se não for acompanhado de práticas preventivas (manejo correto do solo) e regionalizado.
    • Pela dificuldade de envolver comunidades como um todo. Resistência de algumas pessoas cujas propriedades se tornam foco de reinfestação.
    • Danos econômicos significativos:
    * 1 formigueiro adulto pode recolher até 1.000kg de folha e taos por ano;
    * 1 formigueiro de 1º m² pode matar 37 árvores, o que representa 8 m³ de madeira/alqueire/ano;
    * 10 formigueiros considerados velhos consomem até 21 kg de capim/dia que equivale a um boi e provoca uma redução de 50% da capacidade de pasto;
    * Nas culturas já ocorre redução de produção a partir de 10% de perda da área foliar.
    Sobre predadores:
    • 1 gavião consegue ingerir + - 37/kg insetos/ano
    • Aves em geral atacam rainhas novas no ar ou na terra quando estão cavando ninho.
    • 1 tamanduá mantém livre de formigas, uma área de 5 a 10 hectare
    As práticas de controle devem ser utilizadas em conjunto com a vizinhança, do contrário não trazem bons resultados.
    PREVENÇÃO DE DANOS:
    a) tratamento de sementes: usar sabonete diluído em água para tratar semente de hortaliça.
    b) Barreiras físicas: proteger árvores e mudas, usar cones invertidos de lata, plástico, folha metálica. O princípio de funcionamento é impedir que formigas cheguem às folhas. Pneus e caneletas de água também funcionam mas são criatórios de mosquitos.
    c) Plantas repelentes ou tóxicas: hortelã, batata-doce, salsa, cenoura, mamona e gergelim funcionam como repelentes ou intoxicantes. Deve-se plantá-las em volta de áreas de cultivo.Elas funcionam bem quando a infestação é baixa.
    d) Produtos repelentes: casca de ovo moída, carvão vegetal moído e farinha de osso. Colocar numa faixa contínua em volta do local a ser protegido para afastar as cortadeiras.
    e) Plantas atraentes ou pasto alternativo: leucena, mandioca, cana-de-açúcar e o gergelim preto. Devemos manter estas plantas na área. Elas são mais atrativas do que as culturas. O gergelim, além de ótima isca também faz o controle. A semente do gergelim é tóxica e destrói o fungo que serve de alimentação às formigas.
    PERTURBAÇÃO DE COLÔNIAS:
    Os métodos aqui citados, funcionam mais no sentido de desorganizar as colônias, tornando-as inativas por meses.Quando repetimos as técnicas ou as aliamos a outras, podemos até matá-las ou obrigá-las a migrar para outro local.
    a)Compactação: técnicas simples e segura quando os formigueiros são novos ou superficiais. Consiste em provocar o desabamento das panelas e danificar as formigas e seu ninho, mantendo-as sempre ocupadas fazendo seu ninho.A atividade de corte pode até parar por dois meses. Este trabalho pode ser feito com soquete manual de construção.

    b)Químicos caseiros: várias substâncias químicas caseiras ou de fácil obtenção perturbam um formigueiro, como o sal, cinza, vinagre, cal e calcário. O sal e o vinagre não podem ser usados em terra de plantio, mas sim em calçadas, muros, estradas, pois inibirá o crescimento das plantas.
    LIMITAÇÃO DA PRODUÇÃO
    Pelo fato de não ser possível nem desejável a exterminação das formigas e sim manter baixa a infestação, torna-se necessário diminuir as revoadas com:
    a) Controle antes das revoadas: utilizando as técnicas já citadas.
    b) Criação e/ou preservação de inimigos naturais: na revoada, galinhas comuns ou da angola, pássaros, tatus, tamanduás podem evitar até 90% da reinfestação.
    DIMINUIÇÃO DE INFESTAÇÃO
    a)Aumento da biodiversidade: ou seja, do conjunto de espécies animais e vegetais em uma área (flores, fruto, culturas intercaladas ou em faixas, reflorestamento, marimbondos, aranhas, formigas não cortadeiras, pássaros, tatus, tamanduás, angolistas). Uma situação onde o ambiente é variado, nenhuma espécie se torna praga pois uma controla a outra mantendo um nível de infestação baixos.

    b)Manejo do solo: as formigas para se instalar preferem áreas limpas, sem vegetação rasteira, o que facilita a construção e aquecimento das panelas. Ou seja, o solo sem cobertura e pouca matéria orgânica é o ideal para elas. Devemos sempre trabalhar com um solo cheio de vida e rico em matéria orgânica. A resistência das plantas às pragas (inclusive a formigas), melhora com o manejo orgânico do solo, devido ao equilíbrio que permite existir entre os seres que habitam o solo, a presença de nutrientes variados. O sistema de plantio direto ou mesmo de cultivo mínimo, com cobertura de solo, estão comprovadamente, diminuindo a quantidade de formigueiros.

    c)Consorciação de plantas: as culturas mais atacadas devem ser plantadas consorciadas com culturas repelentes ou que afastam as cortadeiras. Esta é uma técnicas que evita prejuízos maiores em áreas muito infestadas.

    d)Planejamento da produção: planejar a rotação de culturas, espécies mais resistentes ao ataque, plantar culturas em suas épocas recomendadas e na densidade certa, sempre incluindo espécies de adubação verde e respeitar a sucessão de gramíneas e leguminosas.
    CONTROLE DAS COLÔNIAS
    Após trabalhar com métodos que previnem a infestação a um nível mais elevado, ou seja, o aumento do número de formigueiros, muitas vezes há a necessidade de se partir para o Controle das Colônias. Com os seguintes métodos.

    a)Métodos físicos: é uma ação direta sobre o formigueiro. Abrir o formigueiro (buraco), retirar o fungo e as crias (ovos), matar a rainha, ir matando as operárias, tentando prejudicar o máximo possível. O local, por conter nutrientes como Fósforo, Potássio, Cálcio e Magnésio pode servir depois para plantar uma muda.
    • Fogo: controla bem formigueiros pequenos, mas sempre tomando cuidado para não provocar incêndios.
    • Água quente: funciona para formigueiros pequenos.
    • Água corrente: é muito usada para controlar formigueiros grandes.Há necessidade de fazer um canal desviando água para o formigueiro quando possuímos água corrente próxima ou usar uma mangueira, deixando entrar água até encharcar. O formigueiro morrerá afogado ou doente.
    • Fumaça de escapamento (gás carbônico): dirigir o escapamento de motores a óleo para as bocas principais (olheiros de entrada), através de mangueiras por alguns minutos. Isto pode provocar morte por asfixia ou intoxicação. Deve-se procurar tapar os olheiros por onde começa a sair s fumaça e parar de colocá-la quando ela retornar pelo buraco por onde a colocamos. A fumaça é tóxica ao homem.
    • Caça à rainha: se consegue controle de 100% quando se mata formigueiros com 4 meses após a revoada.

    b)Métodos químicos caseiros: usar água com sal, vinagre, creolina, óleo queimado, querosene e gasolina. Podem controlar formigueiros médios. Porém não usar em áreas de plantio, pois podem poluir o solo. Estes produtos devem ser usados com cuidado, pois também causam poluição e intoxicam as pessoas se não forem bem utilizados.
    As seguintes receitas são mais eficientes:
    • Pegar 2 kg de cal virgem, desmanchar em 10 litros de água quente e aplicar diretamente sobre os olheiros principais das formigas.
    • Misturar 500 g de Bórax (ácido bórico) a 500 g de açúcar, misturar bem e jogar sobre os carreiros e olheiros.
    c) Métodos Biológicos: quando através do uso de microorganismos se controla a produção dos fungos com os quais as formigas se alimentam. A seguir um exemplo:

    Formicida Natural

    Ingredientes: 50 litros de água
    10 kg de esterco fresco
    1 kg de melado ou açúcar mascavo

    Modo de preparar: misturar bem todos os produtos, depois deixar fermentar durante uma semana.

    Modo de usar: coar com um pano e aplicar dentro do formigueiro na proporção 1:10, ou seja, 1 litro de produto para cada 10 litros de água, até inundar o formigueiro.

    Obs: a respeito do controle biológico ver também a utilização de Boveril e Metarril. Existem também já disponíveis fatores homeopáticos para controle de formigas.

    d) restos de formigueiros: quando abrimos um formigueiro podemos retirar o fungo e crias que podem ser moídos com milho, depois utilizados como isca prejudicial para outros formigueiros.
    e)plantas tóxicas: algumas plantas têm substâncias tóxicas para as formigas ou seu fungo
    • Mandioca brava: a água de mandioca e a raspa podem ser aplicados diretamente nos formigueiros, controlando-os em poucos dias.Tampar e socar as colônias após a aplicação.
    • Gergelim preto: é muito procuradas pelas cortadeiras, principalmente suas sementes que as formigas carregam. Funciona porque é tóxico para o fungo, mas não de modo imediato, assim como a maioria dos controles alternativos. O mais usado é o gergelim preto que é plantado em moitas ao redor das áreas ou dentro de áreas atacadas ou que devem ser protegidas. Este método deve ser usado como complemento dos outros. Semeadura deve ser feita no verão.
    • Angico: usar 1 kg de folhas e colocar de molho em 10 litros de água por 8 dias. Aplicar 1 litro desta solução para cada m² de área do formigueiro.
    • Outras plantas como: capim fedegoso, pessegueiro bravo, mamona, timbó, batata-doce, podem ser utilizadas com inseticida amassando-se as mesmas e fazendo um suco que, misturado à água é aplicado. Mas ainda está sendo testado para ver qual é a melhor idade da planta a ser usada, quais as formigas controlam, enfim, precisam ser usados em pequenas áreas para ver se funcionam.
    • Animais: tamanduás, tatus, galinhas da angola e comuns, passarinhos, consomem muitas formigas.
    Texto retirado do livro: Alternativas Ecológicas para Prevenção e Controle de Pragas e Doenças (Inês Claudete Burg e Paulo Henrique Mayer)

    Deu trabalho pra copiar o texto, mas nada como contribuir com a comunidade estudando o que se gosta!!!
    Um abraço
    abrazos
    [COLOR=#fafafa !important]

  2. El siguiente Usuario da las gracias a Verdim por este Post:

    brgreen (22/09/2009)

+ Responder Tema

Temas Similares

  1. manual de ayahuasca
    Por Druida en el foro Enteógenos y Psicoactivos
    Respuestas: 44
    Último Mensaje: 11/11/2012, 17:21 PM
  2. FUMAndoMAFÚ: historia de la marihuana en puerto rico
    Por PLANTOPINO en el foro Gabinete de prensa
    Respuestas: 1
    Último Mensaje: 14/01/2011, 03:48 AM
  3. Respuestas: 8
    Último Mensaje: 16/07/2007, 16:07 PM
  4. REGLAMENTO DE ESTUPEFACIENTES de CHILE
    Por verdemurcia en el foro Jurisprudencia y legalidad
    Respuestas: 0
    Último Mensaje: 01/04/2002, 17:57 PM
  5. Respuestas: 1
    Último Mensaje: 18/03/2002, 23:42 PM

Usuarios Etiquetados

Permisos de Publicación

  • No puedes crear nuevos temas
  • No puedes responder temas
  • No puedes subir archivos adjuntos
  • No puedes editar tus mensajes