Anuncio

Colapsar
No hay anuncio todavía.

Guia de fertilização em terra para Totós.

Colapsar
Este es un tema pegajoso.
X
X
  • Filtrar
  • Tiempo
  • Mostrar
Limpiar Todo
nuevos mensajes

  • Guia de fertilização em terra para Totós.









    INTRODUÇÃO:



    Este guia não se baseia em teorias da treta sobre mundos e fundos, nem aborrecimentos técnicos, mas sim em experiências pessoais e testes realizados por mim de forma a tentar ajudar todos aqueles que como eu enfrentaram-se com a problemática das fertilizações ao iniciarem-se no cultivo de Canábis.
    A construção deste guia ajuda através do meu ponto de vista a desmistificar algumas duvidas e erros mais comuns da experiência que fui colhendo do nosso cantinho do CC. Serve também para responder a muitas duvidas correntes no forum que têm sido feitas nos últimos tempos.






    SUBSTRATO:



    A terra é o meio preferido para muitos cultivadores. Além de ser bastante acessível é orgânica e não requer tantos recursos/controlo como num cultivo hidropónico.

    Existem dois tipos de terra: a comercial que vem nas tradicionais sacas e a terra de compostagem ou directa do solo. Como em Indoor a mais comum e recomendada é a comercial é dessa que vamos falar.Nem todas são indicadas para o cultivo de Canábis, algumas são melhores outras piores.

    Terras como a Composana Universal (vendidas em superfícies comerciais), BioBizz Light-Mix, All-Mix, Canna Terra Professional, BioNova (+), etc (vendidas em Growshops) estão mais que comprovadas neste nosso hobbie especial. Não é aconselhável de todo comprar terras desconhecidas, marca branca ou mais baratas, simplesmente porque é dos primeiros erros cometidos ao inicio e um caminho para as coisas correrem logo mal.

    Infelizmente a terra também tem defeitos, um deles é que não permite controlar tão bem determinados factores que vão ser explicados em baixo. Outro dos problemas e o maior desafio para um cultivador iniciado é fazer a transição das regas com água para os fertilizantes, que também irei falar mais em baixo.








    PH (Potencial de Hidrogénio) - mais conhecido por nível de acidez:



    Como sabem, a planta de Canábis precisa de um Ph em terra de 6.5 para crescer forte e saudável. O que muita gente não sabe é que a maioria das nossas plantinhas ornamentais (decorativas) lá de casa, entre outras, também gostam de um Ph por volta do mesmo valor, não sendo uma particularidade em especial da Canábis.

    Muitas das más terras que não funcionam bem, pecam por não incorporarem um efeito tampão tão eficaz como nas referidas e por o nível de NPK não ser apropriada. E o que é o efeito tampão? Perguntam vocês?

    O efeito tampão está presente em todas as terras comerciais e trata-se de aditivo mineral que está incorporado no substrato (geralmente turfa do báltico e dolomita que fazem as duas uma compensação), a sua função é baixar e nivelar o nível de PH da água corrente (P.e. 7.0>7.5) para níveis aceitáveis (6.0>6.7). Basicamente as terras têm todas um factor de correcção de PH e ao contrário do que está escrito por todo o lado não há necessidade nenhuma de usar Ph Down e nívelar o Ph nos 6.5 em terra. Como tudo na vida, existem excepções.

    Quando a proveniência da água é duvidosa ou não sabemos o Ph da nossa água da rede existe a necessidade de medir o Ph com uma solução à base de gotas ou um medidor electrónico, ou seja, se os níveis de Ph forem muito altos ou baixos existe a necessidade de efectuar as ditas correcções com Ph Up ou Down.

    Uma das coisas desmistificadas que se opõem a muita leitura que por aí ainda, é que a medição do RunOff (drenagem) não é útil em terra e não tem qualquer expressão, enganem-se se quiserem, mas quando existem problemas, uma das primeiras coisas que podem comprovar por vocês próprios é medir a drenagem que sai para os pratos é uma forma facílima de ver se está tudo bem neste sector.

    Não tentem controlar o Ph milimétricamente que é uma perca de tempo, não precisa de ser 6.5, pode estar nos 6.3 ou 6.7 e não deixam de ter plantas saudáveis por causa disso.

    A temperatura afecta o nível de Ph (quanto mais alta mais o Ph sobe) por isso é importante que as regas não sejam feitas, acertadas e dadas a temperaturas demasiado baixas, o ideal anda pelos 20>22º que faz também que o Ph não oscile tanto no substrato.






    VASOS E TRANSPLANTES:



    O tamanho dos vasos é sempre um dilema para os novos cultivadores, por não se saber qual o tamanho correcto e conciliar isso com o espaço disponível. Evitem vasos de argila (transpiram de mais) ou sem serem opacos (as raízes não gostam de luz).

    Vasos de 7, 11L são os mais usados (os quadrados permitem um melhor aproveitamento de espaço). Nenhum destes evita a necessidade de fertilizantes, a não ser em fracas condições de luz. Se quiserem cultivar sem recurso a fertilizantes têm de optar por vasos muito maiores (16 a 25L).


    O ideal é começar com vasos pequenos (um copo de iogurte ou um vaso preto de 200 a 600ml) e ir fazendo transplantes à medida que a planta desenvolve (nas automáticas não é recomendado fazer transplantes).

    Porque é que importante fazer transplantes?

    Porque é mais fácil controlar as regas e a "comida" disponível para as mesmas além de que ao fazer transplantes estamos a adicionar mais substrato novo que contém mais nutrientes disponíveis para a planta.

    A altura certa para transplantar tem de ser decidida por cada um e tem naturalmente a ver com o tamanho da planta. Os primeiros sinais da necessidade de transplante são regas muito frequentes, rootbound e as folhas inferiores amareladas.
    Tenham em conta que por cada transplante a planta demora a recuperar e iniciar o desenvolvimento de novas raízes, por isso importa sermos cuidadosos com o bolo radicular na altura de transplantar.







    FERTILIZAÇÃO:



    Os substratos variam na composição e quantidade de macro e micro-nutrientes que vão sendo consumidas pelas Plantas ao longo do tempo.

    O tamanho dos vasos e a luz utilizada são os factores que mais condicionam a duração dos nutrientes no substrato, outros factores como as temperaturas, strain, stress provocado, etc também tem influência na duração dos nutrientes. Uma Skunk em 250W HPS e uma Amnezia Haze em 250W HPS têm alimentações diferentes p.e. Uma planta cultivada em 600W pede muito mais "comida" do que uma cultivada em 125W CFL. Uma planta que tenha levado transplantes pede nutrientes mais tarde do que uma que esteja no mesmo vaso desde o inicio. mesmo no caso da mesma Strain mas sementes diferentes pode haver desvios.
    As situações variam de caso para caso e só vocês é que poderão decidir e ajustar a fertilização correcta às vossas condições.


    A dificuldade que existe nas fertilizações em terra, tem a ver com a quantidade de nutrientes e a altura certa para os fornecermos às nossas Marias quando os do substrato estão no fim. Este é o segredo para uma boa fertilização!


    Um dos erros mais comuns é fertilizar quando o substrato ainda está carregado de nutrientes, que causa toxicidade e posterior overfert. As plantas não são porcos de engorda como dizia o "outro", elas não vão crescer ou desenvolver mais por comida a mais, pelo contrário vão se ressentir e para mal. Por isso é importante dar-mos as nossas plantas o justo e o correcto, nem menos nem mais, mas ali aquele ponto. Enquanto há nutrientes disponíveis no substrato a regra de ouro é ÁGUA.




    Vamos à primeira parte, para tentarem compreender melhor como funciona a alimentação ao longo da vida:






    Nesta tabela exemplificava vemos a relação que tem o substrato e enquadramento com as primeiras doses de fertilizantes. Mais uma vez é só um exemplo para tentarem compreender, não usem a tabela como referência.

    As semanas mais criticas em termos de alimentação são geralmente a 5ª e 6º Semana (dependendo da strain) é nessa altura que devemos ter a dose no máximo e onde está o pico do nível de EC mostrado na tabela, nas semanas posteriores a dose deve ser reduzida. Nas primeira semanas a planta alimenta-se com muito poucos nutrientes, daí que seja completamente inútil e mais uma vez um erro comum fertilizar plantas com pouco tempo de vida.

    Ali na 3ª/4ª Semana o efeito tampão que falámos lá atrás do PH começa a desaparecer, no entanto à medida que vamos dando os fertilizantes eles encarregam-se de baixar o PH. Tirando o Flush e regas intercaladas com água, a necessidade de ajustar o Ph é desnecessária ou em casos especiais como falados lá atrás.


    E agora a pergunta chave. Quando é que devo começar a fertilizar? E em que quantidade?


    Ora a resposta já sabemos: a melhor altura para começar a fertilizar é quando os nutrientes do substrato estão a terminar. E como é que sabemos isso? Pois aqui é que tá a complicação e a pêra doce. Posso vos dizer que à primeira vez é difícil acertarmos, mas com a experiência a "coisa" vai lá.

    O melhor sinal que temos é os nossos olhos, ir observando, uma planta quando fica sem nutrientes no inicio do seu desenvolvimento começa a canalizar os nutrientes móveis das folhas inferiores para a zona superior, ou seja as folhas a amarelarem são o primeiro sinal de falta de nutrientes (em condições normais), o problema é que quando isso acontece já vamos atrasados, em terra a causa/consequência é lenta e uma reacção visível nas folhas às vezes resulta numa decisão que aconteceu à 1 semana atrás. O ideal é registarmos a altura da fertilização para sabermos que num próximo cultivo com as mesmas condições teremos de dar os fertilizantes 1 semana antes p.e. Outra forma de saber quando os nutrientes estão no fim é usar um leitor de EC e medir a drenagem, se os valores se encontrarem entre os 0.40 e os 0.60 de EC está na altura de fertilizar (os leitores de EC não são precisos com nutrientes orgânicos).


    E que quantidades devo dar?

    A primeira base é pegar na tabela do fabricante e adaptar os valores ao nosso cultivo. As doses dos fabricantes primam geralmente pelo exagero e referem-se a luz de intensidade elevada (p.e. 600W). Existe a regra de dar metade, que não sou muito apologista. Primeiro porque como disse anteriormente as condições fazem variar muitos valores, mas a regra é proporcional, ou seja, mais watts maior quantidade, menos watts menos quantidade necessária. Existem ainda outras condicionantes, uma planta mais pequena não come tanto como uma com um período vegetativo maior, temperaturas baixas ou altas de mais fazem com que a planta não assimile os nutrientes com tanta facilidade.

    Uma destabilização do PH faz com que os nutrientes fiquem no substrato mas não sejam assimilados que origina sais, por isso é que má ideia dar fertilizantes numa planta com sintomas sem descobrir primeiro qual a verdadeira causa do problema.
    Regra geral, quanto mais folhagem tiverem ao longo da flora maior a produção de flores.

    As folhas são os "painéis solares" que permitem absorver a luz e por a planta a "funcionar" e aqui vem o já falado lá atrás, quanto mais luz maior produção, se temos mais elementos a aproveitar a luz mais a planta vai contribuir com a produção de flores, por isso a minha recomendação ao contrário de algumas pessoas, é que dêem uma dose reduzida de azoto no mínimo até à primeira metade da flora presente ou não nos vossos produtos.

    Faltou dizer que quanto menos potência lumínica, mais os nutrientes se aguentam no substrato, o que se traduz numa necessidade de fertilizar mais cedo ou mais tarde numa determinada semana. Vamos supor que teríamos de fertilizar a strain X na 2ª Semana com 400W HPS, usando a mesma Strain X com 250W HPS nas mesmas condições a fertilização dá-se naturalmente mais tarde, provavelmente na 3ª Semana.




    CARÊNCIAS E EXCESSOS MAIS COMUNS:
    Carência de Azoto Excesso de Azoto (Flora) Carência de Magnésio Carência de Fósforo (Vegetativo/Flora) Carência de Fósforo (Flora) Overfert Geral - Pontas Queimadas

    Bons cultivos!
    Editado por última vez por Foxyhaze; https://www.cannabiscafe.net/foros/member/95137-foxyhaze en 28/08/2015, 16:57 .
    Diários de Cultivo e Outros


  • #2
    Re: Guia de fertilização em terra para Totós.

    Acho que isto faz muita falta e evita as perguntas mais difíceis de responder à cerca das doses e quantidades aconselhadas para cada situação diferente e a questão do Ph. E também porque sempre achei os outros manuais/citações/textos de fertilização demasiado teóricos.
    Demorou 5 horas a ser escrito , espero não ter falhado muito, as opiniões mais pessoais tentei indicar que eram isso mesmo, a essência ta lá.
    Se houver alguma coisa que achem que devo corrigir ou se acharem isto uma bela trampa , é favor colocar aí em baixo.

    Editado por última vez por Foxyhaze; https://www.cannabiscafe.net/foros/member/95137-foxyhaze en 28/08/2015, 17:03 .
    Diários de Cultivo e Outros

    Comentario


    • #3
      Re: Guia de fertilização em terra para Totós.

      Obgd ahpoixeh. Fertelização para mim e para muitos outros iniciantes é a area mais complicada, por isso agradeço este excelente post.

      Comentario


      • #4
        Re: Guia de fertilização em terra para Totós.

        Muito trabalho que está aqui

        Apenas de referir que com a mesma strain mas sementes diferentes, pode haver necessidade de fertilizações diferentes, pois cada semente é um "individuo".

        O excesso de cuidado e atenção na fertilização per si, não tem lógica. Apenas devemos dar a atenção devida à fertilização, quando temos os outros aspectos do grow afinados.

        De resto está bem fixe, especialmente a parte de se distinguir as luzes/setups usadas
        PTFARMER420
        AK47 e Durban Poison Castellano/ Português

        Comentario


        • #5
          Re: Guia de fertilização em terra para Totós.

          Muito bom
          E não é só para "totós"

          Abraço
          Vivências Monster Cropping

          Comentario


          • #6
            Re: Guia de fertilização em terra para Totós.

            Obrigado pelo trabalho que deu, esta info é sempre útil.

            cumps

            Comentario


            • #7
              Re: Guia de fertilização em terra para Totós.

              as mijas do meu cão provocam um efeito igualzinho à carência de fósforo em vega e depois flora- tenho de lhe mudar para ração PK ?
              Muito bom. Vamos aderir isto no indoor e no cultivo básico?

              Comentario


              • #8
                Re: Guia de fertilização em terra para Totós.

                Obrigado pela opinião pessoal . Espero que seja útil.
                [MENTION=187368]ptfarmer420[/MENTION] vou dar uns toques que já vi algumas coisas a corrigir depois menciono lá essa parte.
                [MENTION=95137]Foxyhaze[/MENTION] toma lá a pasta pah. Vou pras Maldivas enquanto pões tu isso colado no Cultivo Básico .
                O Cultivo Básico já tem muitos posts Stickys, e havia de se dar ali uma volta .

                Diários de Cultivo e Outros

                Comentario


                • #9
                  Re: Guia de fertilização em terra para Totós.

                  Ah, esqueci-me de dizer a parte para Totós é tipo os livros, não é de todo para menosprezar alguém.
                  @Foxyhaze queres fazer aí uma montagenzinha adaptada à coisa?


                  Editado por última vez por Foxyhaze; https://www.cannabiscafe.net/foros/member/95137-foxyhaze en 28/08/2015, 16:16 .
                  Diários de Cultivo e Outros

                  Comentario


                  • #10
                    Re: Guia de fertilização em terra para Totós.

                    Esta parte final faz lembrar o homem que mordeu o cão.

                    Quer isto dizer que se tiver 2000w vou ter de fertilizar com mais frequência certo?

                    obg

                    Comentario


                    • #11
                      Re: Guia de fertilização em terra para Totós.

                      ahpoixeh muito obrigado! estão aí horas de trabalho que vão ajudar muita gente!

                      Comentario


                      • #12
                        Re: Guia de fertilização em terra para Totós.

                        Muito obrigado hapoixeh,

                        Fiquei esclarecido, excelente trabalho
                        PC Grow --- Northern Lights



                        FriGROWrifico --- Moby Dick x CBD

                        Comentario


                        • #13
                          Re: Guia de fertilização em terra para Totós.

                          Este tempo todo depois lembrei-me...qualquer reclamação já vem tarde ehehehe

                          Comentario

                          Trabajando...
                          X