Anuncio

Colapsar
No hay anuncio todavía.

Dados e estatísticas

Colapsar
X
  • Filtrar
  • Tiempo
  • Mostrar
Limpiar Todo
nuevos mensajes

  • Dados e estatísticas

    Relativo a dados e estatísticas

    Temos , por exemplo,registo dos dados da GNR para este ano, ainda incompleto,mas penso que são números a ter em conta http://www.cannabiscafe.net/foros/sh...ráfico/page16

    Nos próximos dias, irei completar a informação que está em falta no tema , referente a Novembro e ao 1º semestre do ano.

    Depois de reunidos os dados anuais, penso que seria interessante criar um gráfico com diversas incidências, como por exemplo:

    - número de plantas por apreensão

    - tráfico de canábis associado com o tráfico de outras drogas

    - relação tráfico/cultivo para consumo

    - áreas de maior incidência de tráfico/cultivo/apreensões

    - detenções apenas por posse e/ou consumo

    Ou outras que achem que se justifique, isto é só uma ideia geral.

    Neste ponto, no inicio de janeiro , uma vez que já teríamos os dados todos, e se a ideia parecer interessante, agradecia ao pessoal (que gosta de estatísticas e fazer gráficos )para se chegar à frente


    Gráficos ficam sempre muito bem em video

    b) Vídeos, flyers e propaganda - Tema a ser criado




    LINKS ATUALIZADOS:


    TEMA ORIGINAL: http://www.cannabiscafe.net/foros/sh...ização-opinem!

    GRUPO DE TRABALHO : http://www.cannabiscafe.net/foros/sh...49#post4321049





    Editado por última vez por Foxyhaze; https://www.cannabiscafe.net/foros/member/95137-foxyhaze en 30/11/2016, 09:30 .

  • #2
    Re: Dados e estatísticas

    Dei uma olhadela muito na diagonal, talvez isto ajude com alguns dados para a estatística e sempre é de um organismo europeu, portanto teoricamente credível.

    Relatório Europeu sobre drogas 2016 - tendências e evoluções:

    http://www.emcdda.europa.eu/system/f...AT16001PTN.pdf

    Este parágrafo é bastante elucidativo (pág. 12)...

    "Novas estimativas revelam que a cannabis é responsável pela maior quota, em termos de valor, do mercado europeu de drogas ilícitas. A produção de cannabis transformou-se numa grande fonte de receitas para o crime organizado. A importação de cannabis a partir de vários países e o aumento da produção na Europa dificultam consideravelmente a aplicação da lei, pressionando ainda mais os recursos das autoridades policiais e aduaneiras. As infrações relacionadas com a cannabis, maioritariamente referentes a consumo ou a posse para consumo próprio, também representam cerca de três quartos de todas as infrações relacionadas com drogas. "

    Abraços
    "It's not a war on drugs, it's a war on personal freedom, it´s what it is ok?. Keep that in mind at all times. Thank you!"
    -- Bill Hicks

    Comentario


    • #3
      Re: Dados e estatísticas

      Originalmente publicado por 1000k Ver Mensaje
      Dei uma olhadela muito na diagonal, talvez isto ajude com alguns dados para a estatística e sempre é de um organismo europeu, portanto teoricamente credível.

      Relatório Europeu sobre drogas 2016 - tendências e evoluções:

      http://www.emcdda.europa.eu/system/f...AT16001PTN.pdf

      Este parágrafo é bastante elucidativo (pág. 12)...

      "Novas estimativas revelam que a cannabis é responsável pela maior quota, em termos de valor, do mercado europeu de drogas ilícitas. A produção de cannabis transformou-se numa grande fonte de receitas para o crime organizado. A importação de cannabis a partir de vários países e o aumento da produção na Europa dificultam consideravelmente a aplicação da lei, pressionando ainda mais os recursos das autoridades policiais e aduaneiras. As infrações relacionadas com a cannabis, maioritariamente referentes a consumo ou a posse para consumo próprio, também representam cerca de três quartos de todas as infrações relacionadas com drogas. "

      Abraços
      Não sei como, mas é possível comprar isto, eles enviam-te para casa, e não pagas nada. Acabei de comprar o meu, e assim posso ler como gosto, à moda antiga.
      Para quem quiser:
      https://bookshop.europa.eu/en/eu-dru...t-pbTD0416161/

      __________________________________________________ __________________________________________________ __

      Publication details

      EU drug markets report

      Strategic overview : 2016

      This report explores the concept of the illicit drug market within the broader context of changing patterns of drug use, cultural and social factors and links to wider criminality. Drug markets continue to be one of the most profitable areas for organised crime groups (OCGs) and it is estimated that EU citizens spend over EUR 24 billion (range EUR 21 to 31 billion) every year on illicit drugs. The impacts that drug markets have on society are correspondingly large and go beyond the harms caused by drug use. They include involvement in other types of criminal activities and in terrorism; impacts on legal businesses and the wider economy; strain on and corruption of government institutions; and impacts on wider society. Three overarching themes emerge from our analysis: - The increasing organisational and technical complexity, interconnectedness and specialisation of groups involved in drug markets. - Globalisation and technology are accelerating the rate of change in the drug market. - Drug market-related activities are concentrated in a number of established and emerging geographical locations. These developments challenge those trying to respond to the problems created by the illicit drug market and the associated wider problems and suggest that: nn A systemic analysis of drug market business models will be helpful for both operational and policy purposes. - Partnerships between national authorities and with industry are becoming ever more important, as is engagement with international organisations and third countries. - Efficient use of resources can be achieved through the identification and targeting of geographical locations where drug market-related activities are concentrated. - Continuing recognition of the value of a strategic response, informed by sound information used to identify new opportunities as well as challenges, is essentialCorporate author(s): EMCDDA — European Monitoring Centre for Drugs and Drug Addiction, Europol — European Police OfficeThemes: Social problems, Health policy, Justice and home affairsTarget audience: Specialised/TechnicalKey words: drug traffic, drug addiction, public health, organised crime, narcotic, illicit trade, judicial cooperation in criminal matters in the EU, report
      PDF

      Select language: English French German Portuguese Spanish Download
      Publication year: 2016 ISBN: 978-92-9168-851-7
      DOI: 10.2810/216248
      TD-04-16-161-EN-N Free
      E-BOOK

      Select language: English Download EPUB
      Publication year: 2016 ISBN: 978-92-9168-909-5
      DOI: 10.2810/12220
      TD-04-16-161-EN-E Free
      PAPER

      Select language: English French German Portuguese Spanish
      Pages: 36 _
      Weight: 161 g
      Publication year: 2016
      ISBN: 978-92-9168-855-5
      DOI: 10.2810/47514
      TD-04-16-161-EN-C Free


      EDIT : Esse é o Drug markets report.

      O Relatório europeu sobre drogas 2016 está disponível neste link e também é possível 'comprar' gratuitamente a versão impressa e enviam para casa À borlix
      https://bookshop.europa.eu/pt/editio...mpTo=OfferList

      ___________________
      Do pouco que vi , parece-me que é possível tirar imagens e infografias e parece ser um ótimo método para começar com isto das estatisticas.

      Acho que será mais fácil e eficaz do que metermos-nos a interpretar todas as noticias que surgem, pelo menos nesta altura..
      Editado por última vez por Joaomx; https://www.cannabiscafe.net/foros/member/416919-joaomx en 30/11/2016, 01:31 .
      sigpic
      "Apenas os que tentam o absurdo, alcançarão o impossível." M.C. Escher



      Comentario


      • #4
        Re: Dados e estatísticas

        Joaomx grande descoberta. já tou a tratar da minha encomenda e vai ser muito útil para o projecto.


        Aqui fica também o link do Portal Oficial do Estado do Colorado nos EUA com todos os dados sobre os impostos arrecadados com a venda de cannabis, quanto é feito, onde é usado, etc:

        https://www.colorado.gov/pacific/rev...juana-tax-data



        Comentario


        • #5
          Re: Dados e estatísticas

          Reativar a ideia do inquérito " Conhece a canábis?" que já fizemos por 2 vezes. On-line e/ou , sendo um pouco mais ambicioso, na rua questionando o cidadão comum, distribuido por pequenos grupos organizados, pelo menos ,nas cidades principais?


          »» Consultar o inquérito 2015 ««

          Dados referentes ao Inquérito anterior, que teve mais participantes, podem ser consultados na página da Comunidade de Cultivo


          Na minha opinião, se transportarmos as questões para papel, adicionando questões ou corrigindo, se necessário, o original, poderíamos ,em 2 ou 3 meses, conseguir um bom número de opiniões dentro dos mais diversos escalões etários ,favoráveis ou não à legalização.


          A minha ideia, embora um pouco ambiciosa, é realizável. Se conseguirmos reunir pequenos grupos nas cidades principais ,por exemplo de 2 pessoas cada , que nos seus tempos livres possam dedicar um pouco de atenção a isto, seria possível conseguir uma amostra razoável para ser contabilizada numa estatística.


          Os responsáveis pelo inquérito de rua responderiam em nome da Comunidade de Cultivo ou da futura associação.


          Em cidades grandes, como Lisboa e Porto ,quase que bastaria, mas ter dados do resto do país era excelente.


          Isto não é difícil, nem muito dispendioso, umas fótocopias com os numeros das questões e muitos quadradinhos para marcar X .

          Só precisamos dos dados básicos relativos aos participantes, a idade e sexo. O inquérito seria destinado apenas a cidadãos nacionais,maiores de 18 anos.


          Depois de recolhidos os os dados,os responsáveis fariam a compilação e postariam aqui para processarmos a info.



          Se acham que isto tem pernas para andar, digam .Para já, 3 representantes norte,centro e sul, seriam necessários.

          Eu também posso estar e ver tudo muito fácil

          Sem pessoal é que não se faz
          Editado por última vez por Foxyhaze; https://www.cannabiscafe.net/foros/member/95137-foxyhaze en 30/11/2016, 15:48 .

          Comentario


          • #6
            Re: Dados e estatísticas

            Originalmente publicado por Foxyhaze Ver Mensaje


            Em cidades grandes, como Lisboa e Porto ,quase que bastaria, mas ter dados do resto do país era excelente.
            Eu estudo em Lisboa e teria disponibilidade para fazê-lo.
            é tratar de escolher bem as perguntas, de forma concisa, direta e para não ser exaustivo para quem preenche. Em simultâneo, podemos fazer algo na internet, tipo um 'formulário online' daqueles tipo google forms com as mesmas questões, e por a circular, apelar à partilha e tal, e depois juntávamos as respostas todas.
            Editado por última vez por Joaomx; https://www.cannabiscafe.net/foros/member/416919-joaomx en 30/11/2016, 16:28 .
            sigpic
            "Apenas os que tentam o absurdo, alcançarão o impossível." M.C. Escher



            Comentario


            • #7
              Re: Dados e estatísticas

              Duas coisas:

              Acho muito boa ideia a de se fazer novo inquérito, mas pelo menos para já não me ofereço para ajudar no trabalho de rua.
              Com a associação pronta, talvez.

              Quanto à divulgação do inquérito online, elaboração de perguntas e à compilação ou tratamento dos dados finais, aí sim, posso ajudar de várias formas.

              Por outro lado, em relação aos dados da GNR, já vi o Excel do [MENTION=416919]Joaomx[/MENTION], e acho que o interessante seria algo do género: já sabemos que a GNR inflacionam os pesos e as "doses" apreendidas. Usemos pois essas estatísticas numa atitude de o "feitiço vira-se contra o feiticeiro", isto é:

              se a proibição está a funcionar, como é que com tantas (x) doses aprendidas entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2016, continua a ser possível comprar canábis em qualquer bairro de qualquer cidade ou vila (já para não falar da internet das trevas) , sem que o preço aumente? Todos sabemos que o mercado das substâncias ilícitas funciona de acordo com as leis da oferta e procura. Se as apreensões das autoridades estão a causar a mossa que querem dar a entender, porque é que o preço não aumenta? Porque é que não há escassez? Como muito, podem ajudar a manter o preço, criando uma escassez artificial, mas isso já daria para outra história.


              Também acho boa ideia separar as apreensões que foram, digamos de 10 planta ou menos, aquelas onde não há outros indícios de tráfico, e fazer uma estatística só com essas. Por exemplo, apreenderam-se em mini/microcultivos, entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2016, estupefacientes suficientes para (x) milhares de doses. Ora, esses milhares de doses, que não sairiam do entorno dos autocultivadores, não financiariam criminalidade alguma, não faziam do consumidor um comprador, vão agora ser adquiridos, agora sim, a redes criminosas altamente organizadas, que por sua vez, alegadamente, financiam tráfico humano, terrorismo, tráfico de substâncias consideradas mais perigosas, homicídios, etc...


              São apenas duas ideias de como poderíamos tirar partido do trabalho exaustivo que o [MENTION=95137]Foxyhaze[/MENTION] e agora o [MENTION=416919]Joaomx[/MENTION] têm vindo a fazer. Vou agora olhar para o Excel com mais cuidado e tentar já extrair alguns números. Depois edito.

              Comentario


              • #8
                Re: Dados e estatísticas

                Foxyhaze eu estou disponível para distribuir o inquérito no Algarve e tentar arranjar pessoal para ajudar.

                Se houver mais pessoal aqui no forum que seja cá de baixo e que queira ajudar, digam qualquer coisa


                Em relação ás perguntas, talvez fosse bom incluir perguntas que denunciem um dos grandes problemas da Proibição, que leva também ao grande mito de que "a cannabis é uma porta de entrada para as drogas pesadas" ( ... enfim.. ) que é um dos grandes entraves à legalização em termos de opinião pública.

                Por exemplo, fazer perguntas do género:


                "Alguma vez, quando foi comprar cannabis ou haxixe, o dealer/vendedor tinha também disponíveis outras drogas mais pesadas para venda?"

                "Se sim, alguma vez lhe foi perguntado pelo vendedor se queria experimentar uma droga nova?"


                Acho que iriam haver muitos "sim" e isso demonstraria que o problema não está na cannabis mas sim na "Lei" que ao permite e promove a mistura de drogas leves com drogas pesadas no mesmo local, onde ALGUNS vendedores de cannabis (não todos) tentam influenciar os seus clientes a experimentar outras drogas para fazerem mais dinheiro.

                Editado por última vez por fsgreenworld; https://www.cannabiscafe.net/foros/member/432962-fsgreenworld en 30/11/2016, 21:54 .

                Comentario


                • #9
                  Re: Dados e estatísticas

                  Posso tentar criar esses dados e colocá-los em tabelas diferentes ( fazendo posteriormente análises com diferentes objetivos ).
                  À medida do possível editarei o documento online, tentando recomeçar com os dados de 2016 para tentar ter no inicio de 2017 uma boa base de dados do ano inteiro.

                  Se possível a alguém que saiba se existem atualmente estatísticas e projeções, diga também. Estive a ler o relatório europeu das drogas, e encontra-se isto, por exemplo:




                  Canábis (Prevalência )


                  Canábis ( apreensões )



                  Provavelmente existem mais, e se existirem, já existem também boas fontes com informações, que não podemos descartar.
                  Fonte
                  sigpic
                  "Apenas os que tentam o absurdo, alcançarão o impossível." M.C. Escher



                  Comentario


                  • #10
                    Re: Dados e estatísticas

                    pedro_carnei são boas ideias e bons pontos para esmiuçar

                    Comentario


                    • #11
                      Re: Dados e estatísticas

                      Aqui fica um exemplo do que pode ser feito com o excel, extraindo dados das apreensões da GNR. Usei só o que estava no excel do [MENTION=416919]Joaomx[/MENTION], por isso é só para dar um exemplo.
                      Isto refere-se a gramas. Nos casos em que se fala em doses individuais, penso que eles recorrem às "tabelas I a IV anexas ao Decreto-Lei n.º 15/93", sendo que no caso da canábis são 2 g, e converti as doses em peso. Não sei se é essa conta que eles fazem, se alguém tiver mais informação sobre o cálculo das "doses individuais", que partilhe aqui. Mas só com isto já podemos deduzir algumas coisas. Vamos imaginar o preço do grama a 6 € + IVA a 23%... Se tivessem sido transacionados de forma legal, estes 14.145,12 gramas dariam uma receita fiscal de 19.520,27 €, só em IVA, fora todas as atividades indiretas, que são muitas, como o [MENTION=15534]Tommy_Joao[/MENTION] disse. Dito assim, não parece muito, mas se fizermos isto para um ano inteiro e juntando a resina, os valores vão deixar muito português boquiaberto.

                      apreensões.png

                      E neste cálculo apenas entrou a "folha de canábis". Se fizéssemos contas semelhantes com o haxixe, os valores seriam muito mais astronómicos.

                      Com base nos números publicados pelo [MENTION=416919]Joaomx[/MENTION] nas tabelas com dados da EU, onde o total de apreensões (é de 2015?) de erva é de 108 kg, e fazendo as mesmas contas, só em IVA a 23%, obtemos 149.040,00 €
                      Mas não esqueçamos que, por exemplo, o tabaco, paga mais 88€ por milhar de cigarros, e mais 17% em imposto ad valorem, por isso, o valor poderia ser bastante mais elevado se a taxação fosse equiparada ao tabaco.

                      Vamos agora à resina. Só em IVA, seria... 453.702,60 €

                      Resina + canábis herbácea: 602.742,60 €

                      Agora imaginem. As apreensões são uma quantidade ínfima do total que circula no mercado ilícito. Seria interessante obter a estimativa de qual é a percentagem de canábis (resina et al.) apreendida em proporção ao total estimado em circulação no mercado nacional. Mas vamos imaginar que de cada 100 quilos em tráfico, há 10 que são apreendidos (penso que a quantidade apreendida é inferior, mas como exercício até termos valores mais fidedignos, serve) Ficam 90 quilos, ou seja 90% do total não é apreendido, pelo que poderíamos multiplicar por 9 o valor obtido ateriormente, e obtemos: 5.424.683,40 € em canábis não apreendida e 602.742,60 € em canábis apreendida, o que no total daria 6.027.426,00 € só em IVA direto!!!


                      São números feitos muito por baixo, e sem contar com as plantas apreendidas em fase de cultivo, que isso também daria pano para mangas. Se a isto juntássemos os impostos indiretos sobre equipamentos, fertilizantes, sementes, impostos especiais, IRC e IRS de empregos criados, com o consequente aumento da receita da Seg. Social... estamos a falar de um impacto tremendo na economia. Se, por exemplo as apreensões forem 1% em vez de 10%, o número ascenderia a 60 milhões de euros. Já dá para construir alguma escola, fazer alguma campanha de prevenção, investir em programas de solidariedade social e tratamento de toxicodependentes, etc...

                      Se conseguirmos assegurar dados mais fidedignos a estes cálculos, isto já dava uma infografia ou até um vídeo muito interessante... Que vos parece?

                      Comentario


                      • #12
                        Re: Dados e estatísticas

                        Bom trabalho.
                        São dados interessantes que vão surpreender as pessoas e faze-las pensar 2 vezes

                        Comentario


                        • #13
                          Re: Dados e estatísticas

                          Boas!

                          Sempre importante fazerem-se estes apanhados

                          Na tabela publicada pelo Joaomx temos que a prevalência do consumo de Canábis em Portugal (no ano a que se refere) é de 5,1%. Antes de avançar, na minha opinião este número estará certamente abaixo da realidade e a meu ver reflecte o medo de quem responde a estes inquéritos. Muitos pensam que o anonimato não está garantido e não respondem com a verdade. Uma indicação de que posso ter razão são os números apresentados para outros países como por exemplo República Checa (23,9%), Finlândia (13,5%), França (22,1%) ou Dinamarca (17,6%).

                          Então países do Norte da Europa, onde nunca houve tradição de haxixe marroquino no mercado, agora apresentam 3 ou 4 vezes mais prevalência de consumo do que Portugal, um país durante décadas inundado pelo haxixe marroquino e com história intimamente relacionada com o consumo de canábis desde a guerra do Ultramar?

                          Cá para mim isto é reflexo da vergonha/medo que existe no nosso país. E é esta mesma vergonha/medo que faz com que a Espanha, com uma lei semelhante à nossa, esteja tão à frente. Em Espanha estica-se a corda, não há medo nem vergonha. Por cá somos mais de continuar escondidos... E isto nem é uma crítica para ninguém, pois também (a certo nível) me incluo.

                          Mas pronto, peguemos no número que temos, 5,1% dos portugueses consumiram nos últimos 12 meses. O ideal era um número de prevalência de consumo a nível mensal. Já vi num destes relatórios oficiais que esse número se situaría nos 4%. O que faz sentido, pois em cada 5 pessoas que eu conheço que consomem, 4 delas fazem-no todos os meses, apenas 1 em 5 o faz de forma mais esporádica.

                          Mas vamos pesquisando mais até chegarmos a números mais concretos. A dificuldade de conseguir estes números é outro ponto negativo da ilegalidade... quando for legal é que vamos ter acesso a números completos e fidedignos.

                          Abraços

                          tommy

                          Comentario


                          • #14
                            Re: Dados e estatísticas

                            Originalmente publicado por Foxyhaze Ver Mensaje
                            Dados referentes ao Inquérito anterior, que teve mais participantes, podem ser consultados na página da Comunidade de Cultivo


                            Na minha opinião, se transportarmos as questões para papel, adicionando questões ou corrigindo, se necessário, o original, poderíamos ,em 2 ou 3 meses, conseguir um bom número de opiniões dentro dos mais diversos escalões etários ,favoráveis ou não à legalização.


                            A minha ideia, embora um pouco ambiciosa, é realizável. Se conseguirmos reunir pequenos grupos nas cidades principais ,por exemplo de 2 pessoas cada , que nos seus tempos livres possam dedicar um pouco de atenção a isto, seria possível conseguir uma amostra razoável para ser contabilizada numa estatística.


                            Os responsáveis pelo inquérito de rua responderiam em nome da Comunidade de Cultivo ou da futura associação.


                            Em cidades grandes, como Lisboa e Porto ,quase que bastaria, mas ter dados do resto do país era excelente.


                            Isto não é difícil, nem muito dispendioso, umas fótocopias com os numeros das questões e muitos quadradinhos para marcar X .

                            Só precisamos dos dados básicos relativos aos participantes, a idade e sexo. O inquérito seria destinado apenas a cidadãos nacionais,maiores de 18 anos.


                            Depois de recolhidos os os dados,os responsáveis fariam a compilação e postariam aqui para processarmos a info.



                            Se acham que isto tem pernas para andar, digam .Para já, 3 representantes norte,centro e sul, seriam necessários.

                            Eu também posso estar e ver tudo muito fácil

                            Sem pessoal é que não se faz

                            A propósito disto, ao ler hoje este artigo (http://p3.publico.pt/actualidade/soc...s-consumidores), vi uma vez mais o nome Helena Valente associado ao Global Drug Survey. Ela é investigadora e doutoranda da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto e também é uma representante do Global Drug Survey em Portugal e antiga coordenadora do Check-in.

                            Uma vez elaborado o inquérito e com a associação já formada, é provável que possamos contar com a ajuda dela para a divulgação.

                            Abraços!

                            Comentario


                            • #15
                              Re: Dados e estatísticas

                              Originalmente publicado por Tommy_Joao Ver Mensaje
                              Boas!

                              Sempre importante fazerem-se estes apanhados

                              Na tabela publicada pelo Joaomx temos que a prevalência do consumo de Canábis em Portugal (no ano a que se refere) é de 5,1%. Antes de avançar, na minha opinião este número estará certamente abaixo da realidade e a meu ver reflecte o medo de quem responde a estes inquéritos. Muitos pensam que o anonimato não está garantido e não respondem com a verdade. Uma indicação de que posso ter razão são os números apresentados para outros países como por exemplo República Checa (23,9%), Finlândia (13,5%), França (22,1%) ou Dinamarca (17,6%).


                              tommy
                              0,051 * 10M = 500 mil pessoas

                              500 000 * preço minimo de compra ( 5 ou 10 euros ) = 2,500000 € ou 5 000 000 €

                              Ou seja, com prevalencia de 5,1, também sabemos que se cada um dos indivíduos destes 5,1% , comprar pelo menos 1 vez por ano uma dose de "10 Euros" (nao é uma dose, mas é num valor referencia pelo qual no minimo conseguem-se doses) , teríamos uma entrada de 5 milhões por ano.

                              Se estas pessoas gastarem 100 euros por ano, temos 50 milhões. À taxa de 23% teríamos entao 11,5 milhões de IVA.

                              Realmente temos que encontrar mais tabelas destas, e tentar chegar a contas simples como estas..
                              sigpic
                              "Apenas os que tentam o absurdo, alcançarão o impossível." M.C. Escher



                              Comentario

                              Trabajando...
                              X