Anuncio

Colapsar

Anúncios, tráfico, venda/troca de sementes, spammers, trolls e etc...

Galera,

Nessa semana eu apaguei as mensagens de um spammer querendo criar grupos de whatzapp.

Como o fórum está pouco movimentado, consequentemente os moderadores não necessitam de uma participação tão ativa. Portanto, casos assim talvez demorem uns dias para serem resolvidos.

Por favor, aqui é todo mundo grandinho o suficiente para não cair no conto do vigário de anúncios, tráfico, venda/troca de sementes, spammers, trolls e etc...


Atenciosamente,
Moderação CCBR
Ver más
Ver menos

Técnicas de Polinização para gerar sementes Femêas !

Colapsar
X
  • Filtrar
  • Tiempo
  • Mostrar
Limpiar Todo
nuevos mensajes

  • Técnicas de Polinização para gerar sementes Femêas !

    Irmão, to feliz pela Femêa e triste pela Hemafrodita, pois então resolvi correr atraz de algumas informações a respeito do por que de ao invez de seeds femeas estarem saindo femeas e hermas sendo que o soma num fala nada disso não , eis que me deparei com um texto muito bacana na gringa e resolvi compartilhar por aqui pra gente entender um pouco melhor esse lançe de polinização !

    Começamos com o que diz o Soma !


    O Jeito do Soma para Sementes Fêmeas

    Fazer sementes de cannabis é uma arte.Assim como
    em qualquer arte,existem diferentes modos de
    aplicação.Eu tentei usando acido giberélico,stress de
    pH,stress de luz,e stress de fertilizantes para forçar
    minhas fêmeas a fazerem sementes.Todos esses
    métodos são duros para as plantas,e alguns,como
    acido giberélico,não são orgânicos.
    Na minha busca por uma maneira mais limpa e amiga
    da terra de trabalhar com a cannabis,eu descobri um
    novo jeito de fazer sementes feminizadas.Esse
    método de se fazer sementes feminizadas se chama
    Técnica de Feminização por Idade (AFT em
    inglês).Eu gosto de chamar de “Rodelization”,em
    homenagem a um amigo que me ajudou a perceber e
    fazer uso desta maneira de se fazer sementes
    feminizadas.

    Estressando Para se Obter Sementes

    Sementes feminizadas acontecem por stress e não
    por genética.Isso mesmo.Eu estou dizendo que todas
    as variedades de cannabis tem a capacidade produzir
    flores macho em plantas 100% fêmeas.Stress é a
    cause deste fenômeno.Em 32 anos que eu estive
    ativamente cultivando cannabis,eu cheguei a
    conhecer todas as formas de stress que uma planta
    de cannabis pode passar.
    Leva muitas colheitas antes de você conhecer um tipo
    de maconha.Assim como para conhecer um amigo
    humano,exige tempo.Algumas strains preferem um
    pH mais alto,outras um mais baixo.Algumas gostam
    de muito alimento,outras muito menos.Existe uma boa
    variedade na genética da maconha,e você não pode
    tratar cada planta da mesma maneira.
    Eu venho cultivando as mesmas strains por quase
    uma década agora,e eu estou realmente começando
    a conhecer cada pedaço de linguagem corporal que a
    minha planta exibe.Eu posso reconhecê-los agora de
    longe.
    Depois de cultivar colheita apos colheita da mesma
    planta nas mesmas condições,eu percebi que se eu
    florescesse as plantas 10-14 dias a mais que o
    normal,elas desenvolviam flores macho.No ATF,as
    plantas são cultivadas de 10 a 14 dias a mais para
    induzir flores macho.
    Para mim,uma flor macho é uma coisa muito
    bonita.Ela tem o potencial de fazer sementes
    fêmeas.Alguns cultivadores tem fobia de macho.Eles
    vêem uma flor macho e tem palpitações do
    coração,eles querem cortar a planta inteira ou pelo
    menos pegam uma pinça e arrancam os pequenos
    dispositivos amarelos de emergência .Eu os chamo
    de dispositivos de emergência porque eles emergem
    em tempos de stress.A maioria das vezes quando as
    fêmeas são cultivadas mais tempo por
    pólen,nenhuma semente é encontrada na
    colheita,mas uma vez ou outra você encontra
    algumas.

    Técnicas de Polinização

    A Polinização pode ser efetuada de algumas
    maneiras.O primeiro jeito é mais exigente,ou para
    quando cultivando-se diversas variedades.O pólen é
    coletado da planta enquanto elas secam,e depois
    utilizado em uma colheita sucessiva.
    Depois de cultivar suas plantas fêmeas por 10 a 14
    dias a mais e pendurá-las para secar,elas são
    cuidadosamente tiradas dos varais de secagem e
    inspecionadas a procura de flores macho.Cada flor é
    removida e colocadas em um pequeno saco e
    rotuladas.Esses sacos selados podem ser guardados
    na geladeira por ate 2 meses e permanecer potente.
    Para usar este método,é necessário ter uma outra
    safra ocorrendo logo depois que as flores macho são
    coletadas.Quando a nova colheita esta a duas
    semanas e meia na floração,pegue seus sacos de
    pólen da geladeira e proceder para a polinização da
    sua nova safra de fêmeas.
    Primeiro,junte a planta fêmea com o pólen da mesma
    fêmea da colheita anterior.Desligue todos os
    ventiladores da sala.Com um pincel de aquarela
    fino,tire um pouco de pólen do saco e passe ele na
    flor fêmea.Isso é repetido para cada variedade.Eu fiz
    isso com sucesso com ate dez strains na mesma
    sala.
    Eu polinizo as flores de baixo,deixando os topos sem
    semente para fumar.Este método exige duas
    colheitas para produzir sementes mas é totalmente
    orgânico.Ele também permite que você consiga um
    fumo de ótima qualidade da mesma planta que você
    esta usando para produzir sementes feminizadas.Se
    você nunca cultivou sementes por medo de não ter
    alguma coisa boa para fumar,você vai amar este
    método.
    Você também pode usar o pólen coletado para fazer
    novas cruzas fêmeas através de polinização
    cruzada.Isso é uma ótima solução quando você quer
    usar uma variedade que gosta como a parte “macho”
    da cruza,mas não tem acesso a sementes ou
    machos.
    O segundo jeito é menos controlado,ou pode ser
    utilizado quando cultivando apenas uma variedade.Ao
    invés de secar e salvar o pólen ,as fêmeas com flores
    macho são trazidas diretamente a sala com um
    segundo grupo de fêmeas que estão a três semanas
    no ciclo de floração.Os ventiladores são ligados no
    máximo e as pequenas partículas de pólen circulam
    pela sala por diversos dias.Seis a sete semanas
    depois você tem uma colheita madura de sementes
    100% feminizadas.Este método não produz tantas
    sementes como quando se cruza com uma planta
    geneticamente macho,mas é produtivo o suficiente
    para manter uma variedade em circulação.
    Métodos de feminizacao podem ser extremamente
    valiosos no esforço de preservar strains,assim como é
    útil para qualquer programa de breeding.Sendo um
    fazendeiro que moveu suas genéticas uma longa
    distancia de onde elas foram iniciadas,eu sei o valor
    das sementes.Meu amigo Adam da TH Seeds em
    Amsterdam tem um lema que eu amo pegar
    emprestado: “Jogue sementes não bombas”

    Soma !
    A criação das Skunk Storm e das SnowDogs foram feitas utilizando a tecnica ATF igualzinho diz pra fazer ai , estressando uma femea atraz de flores machos, retirando o polen das flores machos e polinizando só os buds de baixo de uma outra femea pura com pinçel de aquarela , tudo no maior cuidado e capricho , a taxa de germinação ta muito boa mas por enquanto nenhuma das minhas se mostraram pra mim ter um parametro !

    E aqui vai o texto que eu achei na minha busca por + informações !

    Sexado: Hembras, machos y hermafroditas

    El cannabis es planta dioica anual, es decir, hay plantas masculinas (productoras de polen) y plantas femeninas (productoras de óvulos), así como también pueden encontrarse ejemplares hermafroditas (plantas con flores de ambos sexos). Para poder cultivar “sinsemilla” es imprescindible que desechemos las plantas productoras de polen (machos y hermafroditas), por eso vamos a dedicar este pequeño artículo a despejar algunas de las dudas más frecuentes referentes al sexado y la floración de nuestras plantas.

    La Prefloración

    En la naturaleza la marihuana comienza a florecer mediada la estación estival, cuando los días comienzan a acortarse y se aproxima el otoño. Pero antes de esto podemos ver las llamadas preflores o primordios, unos indicativos claros del sexo de nuestras plantas si sabemos diferenciarlos. La marihuana cultivada a partir de semilla comienza a mostrar las primeras preflores tras la cuarta o quinta semana de crecimiento vegetativo apareciendo entre el cuarto y el sexto nudo desde la base de la planta.

    Las preflores indican que nuestras plantas han alcanzado su madurez sexual alrededor de la sexta u octava semana de vida de la planta (esto puede variar ligeramente según la variedad). Crecen en los entrenudos de las ramas, justo detrás de las estípulas, son esos pequeños apéndices laminares formados en la base del pecíolo de las hojas y tallos. Pueden observarse sin dificultad a simple vista o con la ayuda de una pequeña lupa de mano. Conocer y saber distinguir las preflores masculinas de las femeninas es el mejor sistema para sexar las plantas sin tener que inducirlas a florar acortando el fotoperiodo. No es conviene forzar las plantas a florar antes de que estás nos muestren sus preflores pues las podemos estresar. Lo cual se traduce en problemas de crecimiento (espigamiento, enanismo, deformaciones, etc.…) y en una mayor tendencia al hermafroditismo. Para evitar estos inconvenientes lo mejor es esperar a ver las primeras preflores y sexar antes de pasar las plantas a floración con un fotoperiodo de 12 horas día y 12 horas noche.

    En el cultivo exterior, como decía antes, las plantas comienzan la floración cuando los días se acortan, que suele ser a principios de agosto. Si eres un cultivador novel es más sencillo que identifiques el sexo de tus plantas por sus flores que por sus preflores, pero tranquilo esto es solo cuestión de práctica y de que se acostumbre nuestro ojo.

    Las Plantas macho

    Por lo general cuando las plantas macho comienzan a florecer unas dos semanas antes que las plantas hembras, pero podemos distinguir sus preflores desde la sexta u octava semanas del crecimiento vegetativo. En exterior, en la Península Ibérica, esto suele producirse entre la última semana de julio y las primeras de agosto, dependiendo de la variedad cultivada. No obstante, algunas plantas macho no precisan necesariamente de un fotoperiodo corto (12/12 horas) para producir flores y liberar su polen.

    Hay que ser cuidadosos y revisar periódicamente el cultivo en busca de machos, así como en busca de plagas, carencias y problemas de cualquier tipo. Las flores macho se forman en los ápices de las plantas, son bastante sencillas de localizar y desde su aparición hasta que comienzan a liberar el polen pueden pasar diez o doce días. Estas flores Miden alrededor de 6mm de largo y su color va del verde pastel al amarillo. Crecen en pequeños racimos (racimo floral estaminífero) y cuelgan de los entrenudos de las ramas de las plantas esperando a abrirse para liberar su carga de polen amarillento.

    Otro rasgo característico de las plantas macho es su morfología, ya que son plantas más altas y esbeltas, tienen tallos robustos, una ramificación poco profusa y menos hojas que sus compañeras femeninas. Una vez identifiquemos las plantas macho conviene retirarlas del cultivo y cortarlas lo antes posible, ya que sí el polen de una planta macho llegará hasta una hembra, esta detendría la producción de THC y cannabinoides. Recuerda que cada flor masculina contiene suficiente polen como para polinizar todo un cuarto de cultivo (y cada planta tiene miles de flores), por lo que a menos que nuestro objetivo sea la producción de semillas deberemos identificar, retirar y eliminar todas las plantas macho del cultivo.

    Plantas hembras

    Como decíamos anteriormente, al acercarse el otoño las plantas cultivadas a partir de semillas comienzan a desarrollar preflores. En el caso de las plantas femeninas se trata del momento en el que estas inician la formación de cálices, lo cual no necesariamente esta sujeto a una disminución en el fotoperiodo. Ocurre cuando las plantas alcanzan la madurez sexual (alrededor de la sexta u octava semana del crecimiento vegetativo), y al igual que ocurre en las plantas masculinas, estás preflores femeninas aparecen detrás de las estípulas o brácteas en el cuarto o quinto entrenudo del tallo central de las plantas. Las preflores femeninas son morfológicamente muy similares a las flores femeninas. La mayoría miden de 6-12mm, y están formadas por una pequeña vaina color verde claro que recibe el nombre de cáliz y dos pequeños pelillos vellosos en forma de “V” y de color blanco llamados pistilos (en algunas variedades estos pistilos pueden ser color violeta).

    Plantas hermafroditas

    Las plantas hermafroditas son aquellas que desarrollan flores de ambos sexos, masculinas y femeninas. Existen variedades de maría procedentes del sudeste asiático (Tailandia, Laos Camboya y Vietnam) con esté rasgo genético. En realidad son plantas hembras capaces de producir algunas flores masculinas con la finalidad de autopolinizarse y multiplicar así sus posibilidades reproductivas. Con la aparición de nuevos cruces con genéticas de estos países es más probable el encontrar de cuando en cuando algún ejemplar hermafrodita. Pero por lo general son las condiciones ambiéntales y el estrés de nuestro cultivo los causantes del hermafroditismo. Esto mismo es lo que hacen los Bancos de Semillas para producir sus semillas feminizadas.

    Existen diferentes formas, y aunque ningún banco revele sus técnicas, a grandes rasgos el método para producir semillas femeninas consiste en provocar estrés a las plantas con técnicas que van desde la iluminación extrema a cambios bruscos de temperatura o la utilización productos (hormonas vegetales y agentes mutágenos en su mayoría) que afectan y modifican el sexo de la planta, para revertir su sexo y crear así las dichosas semillas feminizadas.En ocasiones, al cultivar “sinsemilla” (solo hembras e incluso desde esquejes), hay plantas que producen algunas flores masculinas para intentar captar polen y poder reproducirse. Generalmente son muy pocas y muy difíciles de ver.

    Esa es la causa de que a veces encontremos semillas al fumar en algunos cogollos sin que allá habido ningún macho de por medio. Si descubrimos alguna de estas plantas en nuestro cultivo y sus flores masculinas son escasas, podemos retirarlas con ayuda de unas pinzas. Si son numerosas y la planta es realmente ambigua, puede servir para la producción de semillas, pero es aconsejable apartarla de las otras hembras. Las semillas de plantas hermafroditas suelen dan lugar a hembras puras y a hembras-hermafroditas, en sustitución de los machos.
    http://www.cannabismagazine.es/digit...=366&Itemid=44
    E aqui deixo a frase que para mim mais se destacou nesse texto e que de certa forma foi o que o soma esqueçeu de citar no seu guia e agora estamos vendo e descobrindo por experiencia propria :

    Las semillas de plantas hermafroditas suelen dan lugar a hembras puras y a hembras-hermafroditas, en sustitución de los machos.


    Bom , depois de todas as informações apresentadas acima eu Jimmy cheguei a seguinte conclusão :


    As plantas FEMEAS que geram flores macho são exatamente hermafroditas.

    O que fiz aqui foi obter as flores machos por envelhecimento (ATF) ao invez de por estrex !

    Os processos de feminilização envolvem químicos (pelo que já li lembro pelo menos de nitrato de prata , tiosultatode sodio) e processos que os bancos de sementes dominam e mantem em segredo, por tanto não vejo outra forma a não ser essa que eu fiz seguindo os passos do soma para feminizar seeds de maneira ORGANICA.

    No fundo este raciocínio faz crer que todas as plantas são hermafroditas, bastando apenas esperar ou estressar para que elas mostrem a rola.

    O que não deixa de ser verdade pois é realmente o processo natural da planta, em desespero, quando ninguém lhe fode, ela própria se satisfaz.

    Só o que está errado de minha parte ao meu ver é o Soma se referir a isto como sendo processo de produção de sementes 100% feminilizadas, pois as sementes comerciais que compramos chamadas feminilizadas são produzidas de outra forma, não são simples sementes de hermas.

    Pra mim, a conclusão final sobre esse assunto é que talvez, e acreditando que sim pelo que diz no guia dele, o processo de fertilização de fêmeas com pólem de hermafroditas por velhice tem é uma menor taxa de produção de plantas hermafroditas do que as sementes produzidas de uma hermafroditização por stress, de qualquer maneira, é o que me parece realmente o melhor método simples para obter umas sementes com maior chance de sair fêmeas para quem não domina a técnica real de feminilização e não ter que apelar pra um seed bank.

    Só não sei é se não é uma "loteria cara", porque talvez seja uma grande frustração alguém cuidar de uma planta todo vegetativo e floração e derrepente sair uma hermafrodita e estragar uma produção inteira de um grow ao fertilizar outras fêmeas, mas plantando sementes regulares você estara se sujeitando a isso tambem e até a com seeds feminizadas pode aconteçer (pasme) .

    Para finalizar lembro tambem o alto valor e a dificuldade que se é de obter seeds aqui no Brasil , então "talvez" esse risco de sair uma "Hemafrodita" seja valido !

    É Noizes !

    Abraço do

    J I M M Y

    VAMO FUMAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
    auhauauhuahuahuahauhauahauhauahuahua





  • #2
    Re: Técnicas de Polinização para gerar sementes Femêas !

    Caracaaaaa quanta informação boaaaa! me sinto uma cannabis sativa sob o SOL, absorvendo tudoow manow! rsss pow mto obrigado por esse post, tava procurando informações pertinentes a isso! super texto, boa pesquisa! valeusss Jim e Tonewer!!!

    Comentario


    • #3
      Re: Técnicas de Polinização para gerar sementes Femêas !

      ei Moderador acho q tu deveria colocar esse board em Cultivo avançado e genetica
      sigpic

      Comentario


      • #4
        Re: Técnicas de Polinização para gerar sementes Femêas !

        Seguinte Jim tem alguma regra para a retirada das sementes?
        Depois de colhidas tem que deixar ao sol? por quanto tempo as das marias?
        No out quando ela desprende sozinha é sinal de maturação?

        Comentario


        • #5
          Re: Técnicas de Polinização para gerar sementes Femêas !

          Originalmente publicado por spyoflover Ver Mensaje
          Seguinte Jim tem alguma regra para a retirada das sementes?
          Depois de colhidas tem que deixar ao sol? por quanto tempo as das marias?
          No out quando ela desprende sozinha é sinal de maturação?
          Opa irmao, satisfação uma pergunta por aqui , entaun, quando a semente se solta da planta e a planta não esta doente e a semente esta no ponto certo, tigrada, bem formada e etc é sinal de maturação das sementes sim , já se estão se soltando antes de madurar , ou seja , um pouco brancas ainda (assim se tem uma chance de germinação com taxas + baixas ) , e se estiverem verdes ainda ai esqueça, mas o ideal é se colher as seeds madurinhas , tigradas e bem formadas quando estão quase soltas dos calis , olha só eu não deixo ao sol não, eu curto dar uma curada nelas antes de germinar, se bem que na naturez elas se soltam sozinhas e quando caiem na terra simplesmente germinam sozinhas ou ainda ja vi casos tambem das sementes germinarem na propria planta , o bom é dar uma descansadinha de um mês mais ou menos, nesse periodo guardo em local seco , fresco e arejado, regra pra retirar não tem não, vc pode retirar elas na hora da manicura em cima de uma telinha de silk , eu geralmente quando faço seeds faço uma parada muito louca, eu não colho as seeds imediatamente , eu deixo secar junto com a planta no varal por 15 dias e meto pra curar junto com os buds, é claro que durante a manicura pula um monte na tela, as que eu consigo identificar já separo pra curar e etiqueto, as que apareçem do nada e q eu não sei oque saun formam os marditos MIX uauauhauhahu, ai quando eu to preparando um baseado pra fumar, as seed que vaun pulando dos camarão eu dou uma analisada, se tiverem tigradinhas e tals, bem formadas, dou aquela apertadinha de leve com os dedos e tals , se passam no teste guardo pra armazenar de maneira definitiva e etiquetada, se não vai pro lixo , de todas as experiencias que já tive a que mais gostei foi a de polinização aberta, tipo sem segredo, mete um macho no meio das marias desde o começo da flora e vai alimentando ele de maneira igual as meninas , tipo cuidando dele tambem, sem carências e tals , deixa polinizar a vontade mesmo as vezes até da umas sacudidas nele em cima das meninas pra ele guspir polen adoidado mesmo rss , e antes de colher da uma sondada ver se as seeds taun maduras ,se não espera o momento certo, é claro que assim a planta quase não produz flores , mas o objetivo é as sementes mesmo, de qulaquer maneira tu ainda pode fumar os buds de boa, não vai tar como uma sensemilla, mas da pro gasto sim, ou ainda vc pode polinizar entre a 3 e 4 semana de floração na base do picel de aquarela , recolhe o polen em algum lugar , eu curto passar na kief box os maxos pq o polen separa legal , ai sim pincela só oque tu quer polinizar , entuan tu pode deixar o top sem semilla e polinizar os de baixo manjou ?
          è noix !

          Comentario


          • #6
            Re: Técnicas de Polinização para gerar sementes Femêas !

            Outro dia eu tive acesso ao Livro do Jorge Cervantes...
            Tirei algumas fotos, estava vendo hoje e parece que algumas ficaram legais...


            MARIJUANA HORTICULTURE. Indoor / Outdoor MEDICAL Grower's Bible.


            Polinização!!




            Eu nunca fiz nenhum cruzamento ainda mas acho que a polinização não tem mistério... Ficam as dicas do Cervantes, ensacar o macho é uma boa alternativa para quem quer guardar o polem ou para quem tem muitas plantas e quer fazer uma simples remoção do macho do Grow... Outra dica interessante pra quem quer ganhar espaço e reduzir os danos é separar um ramo do macho em um copo de água, dependendo do estagio ele continua a produção de flores, assim da pra manter o polem por mais alguns dias, reduzindo o numero de flores macho soltando polem por todos os lados...

            Grandioso CannabisCafé

            Os créditos estão dados, espero não estar infringindo nenhuma regra... Valeu!!
            Archivos Adjuntos
            Editado por última vez por Beckenbauer; https://www.cannabiscafe.net/foros/member/93037-beckenbauer en 10/12/2011, 13:55 .

            Comentario


            • #7
              Re: Técnicas de Polinização para gerar sementes Femêas !

              Po, da hora velho, quer dizer entaun que se vc cortar uma esqueje e deixar an agua ele continua a abrir flores e soltar polen !
              Vc tem esse libro alemones ? se tiver pode tirar xerox pra mim uahuahuauahhaua!
              Abração [MENTION=93037]Beckenbauer[/MENTION] vulgo LEMONES !

              Comentario


              • #8
                Re: Técnicas de Polinização para gerar sementes Femêas !

                Então [MENTION=70696]Jim*Morrison[/MENTION], ele esteve aqui em casa por alguns dias, o camarada queria mostrar pra mãe dele e pediu de volta... Posso conseguir emprestado novamente!!
                Inclusive eu arrumei o scanner do cara que aluga o apartamento pra mim, posso digitalizar ele pra gente!! Hehehehehe...
                Abração...

                Comentario


                • #9
                  Re: Técnicas de Polinização para gerar sementes Femêas !

                  Originalmente publicado por Jim*Morrison Ver Mensaje
                  Opa irmao, satisfação uma pergunta por aqui , entaun, quando a semente se solta da planta e a planta não esta doente e a semente esta no ponto certo, tigrada, bem formada e etc é sinal de maturação das sementes sim , já se estão se soltando antes de madurar , ou seja , um pouco brancas ainda (assim se tem uma chance de germinação com taxas + baixas ) , e se estiverem verdes ainda ai esqueça, mas o ideal é se colher as seeds madurinhas , tigradas e bem formadas quando estão quase soltas dos calis , olha só eu não deixo ao sol não, eu curto dar uma curada nelas antes de germinar, se bem que na naturez elas se soltam sozinhas e quando caiem na terra simplesmente germinam sozinhas ou ainda ja vi casos tambem das sementes germinarem na propria planta , o bom é dar uma descansadinha de um mês mais ou menos, nesse periodo guardo em local seco , fresco e arejado, regra pra retirar não tem não, vc pode retirar elas na hora da manicura em cima de uma telinha de silk , eu geralmente quando faço seeds faço uma parada muito louca, eu não colho as seeds imediatamente , eu deixo secar junto com a planta no varal por 15 dias e meto pra curar junto com os buds, é claro que durante a manicura pula um monte na tela, as que eu consigo identificar já separo pra curar e etiqueto, as que apareçem do nada e q eu não sei oque saun formam os marditos MIX uauauhauhahu, ai quando eu to preparando um baseado pra fumar, as seed que vaun pulando dos camarão eu dou uma analisada, se tiverem tigradinhas e tals, bem formadas, dou aquela apertadinha de leve com os dedos e tals , se passam no teste guardo pra armazenar de maneira definitiva e etiquetada, se não vai pro lixo , de todas as experiencias que já tive a que mais gostei foi a de polinização aberta, tipo sem segredo, mete um macho no meio das marias desde o começo da flora e vai alimentando ele de maneira igual as meninas , tipo cuidando dele tambem, sem carências e tals , deixa polinizar a vontade mesmo as vezes até da umas sacudidas nele em cima das meninas pra ele guspir polen adoidado mesmo rss , e antes de colher da uma sondada ver se as seeds taun maduras ,se não espera o momento certo, é claro que assim a planta quase não produz flores , mas o objetivo é as sementes mesmo, de qulaquer maneira tu ainda pode fumar os buds de boa, não vai tar como uma sensemilla, mas da pro gasto sim, ou ainda vc pode polinizar entre a 3 e 4 semana de floração na base do picel de aquarela , recolhe o polen em algum lugar , eu curto passar na kief box os maxos pq o polen separa legal , ai sim pincela só oque tu quer polinizar , entuan tu pode deixar o top sem semilla e polinizar os de baixo manjou ?
                  è noix !


                  Certo Jim, firmeza mesmo foi assim mesmo que fiz, como o soma ensina em um artigo dele postado aqui no fórum, fiz essa polinização controlada achei que para primeira vez deu certinho apenas os buds que escolhi foram polinizados e geraram 11 seeds tigradinhas mas o que me pegou foi esse pulo do gato ae de deixar elas descansarem, tipo pensei num acerta falta de tempo de maturação saca? tipo deixar elas descansarem com os buds mesmo mas fiz isso, deixei separadinhas em um potinho para ver se mês que vem consigo germina-las com sucesso, agora vou explicar o por que que quero tanto germinar essas.
                  Pois o macho da Lemon que consegui fazer morreu restando algumas flores dele mas acho que a taxa é muito baixa por conta delas serem coletadas imaturamente e a planta pai secou, restando apenas a madre da lemon e um pai afghan que deixei perto dela agora, para ver se vai no esquema que vc falou, mas já tinha colocados eles perto antes de surgir essas duvidas, mas deu para aprender bastante sobre essas maravilhas de planta, agora quero ver se consigo eu mesmo produzir uma hibrida, juntando a o lemon skunk com a arjan haze 1 ou 3 pra ver no que dá rsssssssss
                  Pois ae pela minha conta dará um mes de descanso pós colheita do bud, agora vou esperar para ver se a polinização da afghan pegou e vou retirar as seeds depois da cura para ver se a minha conclusão está ou não no tempo de maturação delas se estou ou não no caminho ...

                  abraço mano
                  vlw.

                  Comentario


                  • #10
                    Re: Técnicas de Polinização para gerar sementes Femêas !

                    Originalmente publicado por Beckenbauer Ver Mensaje
                    Outro dia eu tive acesso ao Livro do Jorge Cervantes...
                    Tirei algumas fotos, estava vendo hoje e parece que algumas ficaram legais...


                    MARIJUANA HORTICULTURE. Indoor / Outdoor MEDICAL Grower's Bible.


                    Polinização!!




                    Eu nunca fiz nenhum cruzamento ainda mas acho que a polinização não tem mistério... Ficam as dicas do Cervantes, ensacar o macho é uma boa alternativa para quem quer guardar o polem ou para quem tem muitas plantas e quer fazer uma simples remoção do macho do Grow... Outra dica interessante pra quem quer ganhar espaço e reduzir os danos é separar um ramo do macho em um copo de água, dependendo do estagio ele continua a produção de flores, assim da pra manter o polem por mais alguns dias, reduzindo o numero de flores macho soltando polem por todos os lados...

                    Grandioso CannabisCafé

                    Os créditos estão dados, espero não estar infringindo nenhuma regra... Valeu!!
                    Po Beck!!! Que material irado mano!!!

                    Tô com o Jim, se conseguir escanear mesmo, me bota nessa fita tb!!!

                    Grande abraço irmão!
                    NÃO FINANCIE O TRÁFICO!

                    Comentario


                    • #11
                      Re: Técnicas de Polinização para gerar sementes Femêas !

                      Originalmente publicado por spyoflover Ver Mensaje
                      Certo Jim, firmeza mesmo foi assim mesmo que fiz, como o soma ensina em um artigo dele postado aqui no fórum, fiz essa polinização controlada achei que para primeira vez deu certinho apenas os buds que escolhi foram polinizados e geraram 11 seeds tigradinhas mas o que me pegou foi esse pulo do gato ae de deixar elas descansarem, tipo pensei num acerta falta de tempo de maturação saca? tipo deixar elas descansarem com os buds mesmo mas fiz isso, deixei separadinhas em um potinho para ver se mês que vem consigo germina-las com sucesso, agora vou explicar o por que que quero tanto germinar essas.
                      Pois o macho da Lemon que consegui fazer morreu restando algumas flores dele mas acho que a taxa é muito baixa por conta delas serem coletadas imaturamente e a planta pai secou, restando apenas a madre da lemon e um pai afghan que deixei perto dela agora, para ver se vai no esquema que vc falou, mas já tinha colocados eles perto antes de surgir essas duvidas, mas deu para aprender bastante sobre essas maravilhas de planta, agora quero ver se consigo eu mesmo produzir uma hibrida, juntando a o lemon skunk com a arjan haze 1 ou 3 pra ver no que dá rsssssssss
                      Pois ae pela minha conta dará um mes de descanso pós colheita do bud, agora vou esperar para ver se a polinização da afghan pegou e vou retirar as seeds depois da cura para ver se a minha conclusão está ou não no tempo de maturação delas se estou ou não no caminho ...

                      abraço mano
                      vlw.
                      Entaun velinho , ta certinho, é que nem eu disse, camarada meu mode lá de portugal o El Chulye me disse para curar as seeds antes de germinalas, mas como eu disse, na natureza ela cai da planta e já germina !
                      Estudar polinização ´e muito gostoso cara , perdi muito tempo estudando isso e não me arrependo , deixo aqui a baixo mais conteudo p´ra vc dar uma estudada irmão [MENTION=123832]spyoflover[/MENTION] tradução meio boca da gringa mas da pra entender ! ! Eu costumo dizer que o cara que entender esse texto do inicio ao fim (eu precisei ler umas 10 vezes ) pode se comparar a qualquer grande breeder do planeta !
                      Sempre vejo muitaaaaaaaaaaaa gente falando merda sobre polinização aqui no c.c, e cheguei até a comentar com o [MENTION=69375]Chuin[/MENTION] no msn que tinha gente falando coisa errada em alguns temas e diarios por ae, espero que depois desse texto não reste duvidas pra ninguem, e se alguem tiver alguma duvida pode me perguntar aqui nesse post mesmo, firmão galera ?
                      Forte Abraço a Todos !

                      Comentario


                      • #12
                        Re: Técnicas de Polinização para gerar sementes Femêas !


                        REPRODUÇÃO
                        Antes de iniciarmos a reprodução, nós simplificaremos, visando os que querem aprender a como realizar procedimentos simples de reprodução e daí nos aprofundaremos mais.
                        Tomemos a estrada mais simples primeiro. Podemos querer produzir sementes de nossa safra para dar continuidade à uma estirpe que adquirimos ou obtivemos. Ao reproduzir duas plantas, nós podemos produzir sementes. Você está reproduzindo para dar continuidade à uma estirpe, mas você não irá replicar novamente as plantas, a menos que sejam IBL (a ser explicado posteriormente, mas você dará origem a sementes que contenham a maioria das características dos pais, mas talvez não todas. Algumas plantas de sua prole devem ser como os pais, mas outras irão apresentar traços diferentes, como potência, coloração e sabor.

                        PRODUZINDO SEMENTES
                        O quão fácil é produzir sementes? Bem, será fácil caso tenha plantas saudáveis em um ambiente de cultivo estável. Quando as suas plantas macho estourarem pólen em seu quarto de cultivo, elas irão polinizar as flores fêmeas. Ao final da floração, o camarão irá conter sementes. As sementes devem apresentar uma coloração escura. Se estiverem brancas, então não estarão viáveis, pois foram colhidas cedo demais. Aguarde até o fim da floração para conseguir suas sementes. Elas estarão no interior do camarão. Caso objetive mantê-las por mais de 2 anos, estoque-as na geladeira. Antes desse tempo, estocá-las em caixinhas para filme de máquina fotográfica, irá funcionar suficientemente bem.

                        PÓLLEN
                        Caixinhas de filme são um grande lugar para estocar pólen. Você poderá guardar o pólen para a próxima colheita. Pólen pode ser armazenado refrigerado por cerca de 18 meses, embora a sua
                        viabilidade seja pequena. Pólen é melhor utilizado até o prazo de 6 meses. O pólen pode ser extraído da planta macho, tão cedo as suas flores estejam prontas para abrir. Você verá a flôr macho se abrir através das bolinhas. Apenas sacuda o pólen nas flores fêmeas para polinizá-las.

                        REPRODUÇÃO SIMPLES
                        Quer reproduzir suas plantas para produzir mais sementes? Bem, isso depende do que você pretende fazer. Quer criar uma nova estirpe? Então mude para a seção de FUNDAMENTOS DE GENÉTICA. Quer produzir sementes similares aos pais ou quer criar um cruzamento de duas plantas para criar uma simples estirpe híbrida? Então leia a seguir.

                        COMO DAR CONTINUIDADE A UMA ESTIRPE ATRAVÉS DE SEMENTES
                        Então você adquiriu $120 em sementes de Silver Haze e quer produzir mais sementes, sem a interferência de uma outra estirpe? Isso é fácil. Apenas certifique-se de que o macho e a fêmea estejam juntos apenas da mesma estirpe. Não introduza outra estirpe à esse meio. Se você possui apenas Silver Haze em sua área de cultivo, então tudo que irá precisar são alguns machos
                        e fêmeas. Ao deixar os machos polinizarem as fêmeas, você terá sementes de Silver Haze. Mas você perderá algumas das características que os genitores portavam, quando da seleção dos descendentes, a menos que a sua estirpe seja um IBL.

                        COMO PRODUZIR UM SIMPLES HÍBRIDO
                        É moleza, apenas pegue um macho de uma estirpe e uma fêmea de outra. Digamos, um Big Bud e um Skunk. O resultado será Big Bud X Skunk, mas haverá diferenças no grupo. Algumas das plantas puxará mais para a direção do Big Bud, outras para a Skunk. Agumas variações que não estão presentes nos ascendentes, também podem vir a aparecer (se os ascendentes não forem ambos IBL). Se você quiser focar na produção de mais sementes, no intuito de que sigam apenas uma direção (criando plantas uniformes), então você terá que ler mais sobre este capítulo.

                        UMA INTRODUÇÃO SOBRE FUNDAMENTOS DE GENÉTICA
                        Genética é um pouco difícil de entender de início, então é melhor que lhe seja dada uma base sobre alguns dos conceitos mencionados nesse capítulo.
                        Começaremos explicando o significado de algumas palavras. Essas palavras aparecerão no decorrer do capítulo, sendo melhor defini-las à esse ponto.
                        Genes:
                        Cada uma das unidades da hereditariedade, as quais transmitidas dos ascendentes aos descendentes em gâmetas, normalmente como parte do cromossomo, controlam ou determinam uma característica única nos descendentes.

                        Alelos:
                        Qualquer uma de uma série de formas alternativas de um gene.
                        [À exemplo, o gene do camarão roxo pode conter 2 formas, uma para o roxo e outra para o vermelho escuro.]

                        Homozigoto:
                        Um indivíduo que possui alelos idênticos em um ou mais locus genéticos, o qual não é um heterozigoto, logo, se reproduz fielmente.
                        [A sua planta se diz Homozigoto à uma característica, quando carrega em seu respectivo par genético, o mesmo gene em duplicidade, o que significa dizer que os genes são idênticos.]

                        Heterozigoto:
                        Um indivíduo que possui alelos diferentes em um ou mais locus genéticos.
                        [A sua planta se diz heterozigoto para uma característica quando os genes de seus respectivos pares de genes não são desiguais.]
                        Fenótipo:
                        Um organismo distinguível de outros por características observáveis.
                        [É como sua planta aparenta. É o resumo de todas as características que se pode ver no exterior da sua planta. Também se inclui o odor e o sabor.]
                        Genótipo:
                        A constituição genética de um indivíduo, distinto do fenótipo; o conjunto dos genes em um indivíduo ou grupo.
                        [É como suas plantas aparentam no interior, quais características podem possivelmente herdar – não se pode vê-las – é chamado de genótipo. É o resumo de toda informação genética que sua planta carrega e é capaz de transmistir por via de herança à sua prole.]

                        Dominante:
                        De um gene ou alelo: manifestado mesmo quando herdado por apenas um dos pais. De característica hereditária: controlados por tal gene; aparecendo em um indivíduo com a exclusão de seu homólogo alélicas, quando os alelos de ambos se encontram presentes.
                        [Um gene é considerado dominante quando os seus efeitos podem ser vistos no fenótipo de sua planta.
                        Apenas um alelo dominante no par de genes deve estar presente para ser visto no fenótipo de sua planta].

                        Recessivo:
                        De um gene, alelo ou de característics hereditárias: sensivelmente manifestados apenas em homizogotos, sendo manifestados em heterozigotos por um alelo dominante ou uma característica.
                        [Um gene é chamado de recessivo quando seus efeitos não podem ser vistos no fenótipo de suas plantas, quando apena um alelo está presente. O mesmo alelo deve estar presente duas vezes no par de genes, se você puder vê-lo se manifestar no fenótipo de sua planta.]

                        Locus:
                        A posição em um cromossomo em que um determinado gene está localizado.

                        Cromossomo:
                        A estrutura filiforme de ácidos nucléicos e proteínas que carregam um conjunto de genes interligados, ocorre isoladamente em procariotas e em números característicos, emparelhados no núcleo das células dos organismos superiores.

                        Pares de Genes:
                        Toda a vida é feita de um padrão de genes. Esse padrão é similar a os dois lados do zíper de sua jaqueta. Um lado é oriundo da mãe, o outro do pai. Cada “locus de gene”, um espaço especial nessa corrente, controla um poquinho de informações sobre a eventual aparência da planta.
                        Cada locus de gene contém 2 genes, um da mãe e o outro do pai. Um par de letras, como BB, Bp, Pp, etc., geralmente os marca. A letra maiúscula se refere aos genes dominantes, enquanto que as minúsculas ao recessivo. B pode ser Big Bud, enquantoque b pode ser um camarão menor. Isso é apenas um exempo. As letras se referem a uma referência imaginária aos seres humanos para o controle de um locus de gene específico. Qualquer letra pode ser a ele atribuído.

                        Dominante e Recessivo
                        Ao reproduzir, nós podemos determinar .. digamos .. como será a coloração do camarão na planta, ou, mais importante, qual coloração a prole de duas plantas terá. A aparência final, entretanto, será o resultado de mais de um locus de gene. As plantas devem ter diversas colorações de genes para diferentes partes da planta. A estrutura genética de uma planta é bastante complexa.

                        Dominante Parcial
                        Agora que explicamos os fundamentos de dominantes e recessivos, você poderá mover ao próximo passo.
                        Alguns locus de genes em plantas possuem mais de duas possibilidades. Isso algumas vezes é referido como “genes parcialmente dominantes” e normalmente é dado algum tipo de marcador secundário, como B‟ou B”.
                        Eles funcionam tal qual recessivos e dominantes, exceto pelo fato de haver mais de duas opções. Se um gene for dominante sobre outro gene, ele vencerá. Assim como um dominante vencerá um recessivo.

                        Equilíbrio de Hardy-Weinberg
                        Introdução:
                        A compreensão sobre conceitos de reprodução requer um entendimento básico sobre o Equilíbrio de Hardy-Weinberg. Reproduzir depende do conhecimento da genética da população. Para se entender a importância do Equilíbrio de H/W, você terá que se interrogar uma pergunta como essa.
                        Se certas doenças são um traço dominante, então porque a larga escala da população a contraiu?
                        A mesma questão se aplica à reprodução de Cannabis. Se a coloração roxa no camarão é um traço dominante, então porque na descendência de minha estirpe de camarão roxo não há camarões roxos? Ou então, tenho selecionado mães Indicas e recruzado-as com plantas macho dominantemente Indicas, porém se observa algumas folhas sativas. Porque isso acontece? O Equilíbrio de Hardy-Weinberg irá ajudá-lo a compreender essas questões e repostas.
                        Beleza, primeiramente, todas essas questões refletem um equívoco muito comum. Esse equívoco ocorre porque o alelo dominante de uma característica terá sempre a frequência mais alta na população e o alelo recessivo terá sempre a mais baixa.
                        Não há lógica por trás da idéia de que um traço dominante deveria mostrar uma tendência à ser despertada por toda população. Também não há lógica por trás da idéia de que um traço recessivo deveria falecer.
                        As frequência de genes podem ser em proporções altas ou baixas, não importando como esse alelo seja expressado. O alelo também pode variar, dependendo de certas condições. É a mudança na frequência dos genes que sobrevém com o tempo que resulta em diferentes características na planta.
                        O Equilíbrio de Hardy-Weinberg nos mostra se a frequência dos genes alterou ou não uma população.

                        Uma população é um grupo de indivíduos da mesma linhagem ou espécie, (tal como a Cannabis Indica ou Cannabis Sativa (linhagens, estirpes), ou Skunk#1 e Master Kush (linhagens de uma espécie), em uma determinada área na qual seus membros podem gerar híbridos uns com os outros. Isso sigifica que compatilham um grupo comum de genes. Esse grupo comum de genes é conhecido como GENÉTICA POPULACIONAL.
                        Cada genética populacional contém todos os alelos para todos os traços, de toda população.
                        Para um passo evolutivo ocorrer, algumas das frequências devem se modificar. É por isso que temos diferentes tipos de plantas Cannabis.
                        A frequência de genes de um alelo se refere ao número de vezes que um alelo para uma determinada característica ocorre em relação ao número total de alelos para essa característica.
                        A frequêcia de genes é calculada como se segue.

                        O número de um tipo específico de alelo, dividido pelo número total de alelos na genética populacional.
                        O princípio de Hardy Weinberg descreve a teórica situação, na qual não há modificação na genética populacional. Isso significa que não pode haver evolução.
                        Para uma teste exemplificativo, consideremos uma população, na qual a sua gnética contenha os alelos B e b. Atribua-se a letra c à frequência dominante do alelo B e a letra d, à frequência do alelo recessivo b.
                        [Na maioria dos casos, você descobrirá que c e d, na verdade, são notados como p e q por convenção da ciência, mas para esse exemplo, usaremos C e
                        d.]

                        A soma de todos os alelos deve ser igual a 100%.
                        Portanto c + d = 1.
                        Todas as possíveis combinações aleatórias dos membros de uma população seria igual a (c x c) +
                        2cd + (d x d). A qual também poderia ser expressada como (c+d) X (c+d).
                        Explicaremos sobre isso em detalhes dentro de instantes, mas é melhor que se saiba desde já.
                        As frequências de B e b permanecerão inalteradas, geração após geração, se:
                        1. A população for grande o suficiente.
                        2. Não houver mutações.
                        3. Não houver preferências. À exemplo, um macho BB não têm preferência por uma fêmea bb, por conta de sua natureza.
                        4. Nenhuma outra população exterior faz troca de genes com esse modelo.
                        5. A seleção natural não deve favorecer nenhum indivíduo específico.
                        Imaginemos uma genética populacional. 12 são B e 18 são b. Agora lembre-se de que a soma de todos os alelos deverá resultar em 100%. Isso significa que o total, nesse caso, será 12 + 18 = 30. Portanto, 30 é 100%.
                        Se quisermos descobrir a frequência de B e b e as frequências genotípicas de B, Bb e b, então teremos que aplicar a fórmula padrão, ora demonstrada.
                        f (B) = 12/30 = 0.4 = 40%
                        f (b) = 18/30 = 0.6 = 60%
                        Somando-se ambas, o resultado é 100%. Agora sabemos a sua proporção.
                        Portanto,
                        c + d = 0.4 + 0.6 = 1
                        Já provamos que c + d deve ser igual a 1.
                        Muito simples, sim.
                        Lembre-se de que todas as possíveis combinações aleatórias de membros de uma população deve ser igual a (c x c) + 2cd + (d x d), ou (c+d) X
                        (c+d).
                        Então, c + d = 0.4 + 0.6 = 1
                        E (c x c) + 2cd + (d x d)
                        = BB + Bb + bb
                        = .24 + .48 + .30 = 1

                        Isso significa que a população poderá aumentar em tamanho, mas as frequências de B e b permnecerão as mesmas.
                        Agora vamos supor que quebramos a 4a regra sobre não introduzir uma outra população à esta.
                        Digamos que adicionamos mais 4 b.
                        b + b + b + b ingressaram na população. Isso resulta em um total de 34, ao invés de 30. Quais serão as frequências de genes e genotípicas?
                        f (B) = 12/34 = .35 = 35 %
                        f (b) = 22/34 = .65 = 65%
                        f (BB) = .12, f (Bb) = .23 e f (bb) = .42
                        Oppss, .42 não é igual a 1. Isso significa que a lei do Equilíbrio falha, caso a 4a lei não esteja presente. Quando os novos genes ingressaram na população, resultou em uma mudança nas frequências dos genes da população. Entretanto, se nenhuma outra população fosse introduzida, então a frequência .42 seria mantida geração após geração.
                        Entretanto, gostaríamos de assinalar que utilizamos um exemplo de uma pequena população. Se a mesma fosse muito mais extensa que o número de mudanças, mesmo se um ou dois genes se inserissem, ainda assim seria insignificante. Você pode fazer os cálculos, mas a alteração se daria em nível extremamente baixo, 0.000000000001 de diferença na realidade.
                        Esse é apenas um exempo básico para esquentar. Não deve fazer sentido logo de início, mas se você continuar a leitura, tudo se encaixará. Alguns de vocês devem estar se perguntando:

                        Como é possível saber se uma característica como a coloração do camarão é Homozigoto dominante (BB), Heterozigoto (Bb) ou Homozigoto Recessivo, (bb)?
                        Se você ganhou sementes ou clones, você podem ter ouvido que uma característica como potência é Homozigoto dominante, Heterozigoto ou Homozigoto Recessivo. Entretanto, você irá querer prová-lo por si próprio. Especialmente se você for usar a planta em um plano de reprodução no futuro. Voce terá que fazer o chamado Teste do Cruzamento.
                        O TESTE DO CRUZAMENTO
                        Determinar o fenótipo de uma planta é bastante simples. Você olha para a planta e percebe o seu fenótipo. Determinar o genótipo, não pode ser feito unicamente por observação. Os genes em si encontram-se escondidos, exceto por seus visíveis fenótipos relacionados.
                        Novamente, há três possíveis genótipos que a planta pode criar. Digamos que Golden Bud seja dominante e Silver Bud, recessivo. Veja a tabela.
                        Homozigoto Dominante: BB = Golden Bud.
                        Heterozigoto: Bb = Golden Bud.
                        Homozigoto Recessivo: bb = Silver Bud.
                        (A coloração do Golden e Silver Bud são fenótipos. O b e B são notações de genótipo.)
                        A razão pela qual Bb é Golden e não Silver é porque B domina b.

                        A maioria dos fenótipos são características observáveis, mas algumas como o sabor do camarão, também são fenótipos que não podem ser observados.
                        Se olharmos para uma espécia dominantemente Sativa, como uma planta Haze, notaremos o seu esverdeado pálido. Agora, em uma populaçao de plantas Haze, é possível notar que uma ou duas dentre uma centena, talvez apresente uma coloração esverdeada, porém escura e não pálida. Isso sugere que a coloração pálida é recessiva. Não há como se certificar por completo até que se complete o teste, mas as frequências de genes sugerem isso. Podemos também observar que o camarão é dourado na maioria das plantas, então isso sugere que o camarão dourado é uma característica dominante. Alguns dos camarões, em apenas algumas plantas, talvez seja prateado. Isso sugere que a característica prateada seja Recessiva (bb em nosso exemplo).
                        Sabemos que o único genótipo que produz características recessivas é homozigoto recessivo (bb). Portanto, se uma planta apresenta uma característica recessiva em seu fenótipo, o seu genótipo é provavelmente homozigoto recessivo.
                        Uma planta com característica recessiva, possuirá sempre um genótipo recessivo.
                        Mas isso nos deixa com um problema. Será o camarão dourado ou a coloração pálida das folhas um Homozigoto Dominante (BB) ou o seu Heterozigoto (Bb)?
                        Agora é hora de executar o Teste do Cruzamento. Qualquer que seja o teste de cruzamento, será o cruzamento de um organismo com um desconhecido genótipo dominante (como em nosso caso), com um organismo homozigoto recessivo para a mesma característica.

                        Para fazer esse teste, precisaremos de outra planta de Cannabis do sexo oposto, que seja homozigoto recessivo (bb) para a mesma caracerística. Permaneceremos com a coloração do camarão para o nosso exemplo. Hei, temos algumas plantas de camarão prateado que acreditamos sejam recessivas. Que sejam usadas para ver o que acontece. Polinizamos a planta fêmea (não importa se a fêmea é dominante ou recessiva), produzimos sementes e as plantamos. De 3 – 7 meses após, veremos os resultados.
                        Isso nos leva a próxima regra relevante à aprender.
                        Se alguns dos descendentes de um teste de cruzamento possuir características recessivas, o genótipo do ascedente com cracterísticas dominantes deverá ser Heterozigoto.
                        Explicaremos o porquê em instantes e tudo fará sentido à você. Também devemos mencionar que estamos falando aqui sobre uma grande população. 100 plantas é uma boa população para se certificar. 100 plantas servirá, mas 20 ou menos não.
                        Quanto mais plantas forem usadas, mais confiáveis serão os resultados.
                        Em nosso exemplo, o nosso desconhecido genótipo é BB ou Bb. O genótipo prateado é bb. Vamos esquematizar essa informação em uma série matemátca conhecida como tabela de Punnett.



                        Começamos colocando dois genótipos conhecidos (acima). Fazemos esses cálculos para somente os dois acendentes que serão reproduzidos. Sabemos que a nossa característica recessiva é Bb, logo utilizamos o termo B? Por enquanto. Nosso próximo passo será preencher o quadro com o que podemos calcular.



                        A primeira linha de descendência Bb e Bb, terá a característica dominante do Golden Bud. O ?b e ?b, podem ser Bb Bb ou bb bb. Isto poderá levar a uma prole que produzirá mais camarões dourados (Bb) ou camarões prateados (bb). Há dois possíveis desfechos.



                        O primeiro desfecho possível é onde ? = B. Isso significa que toda a prole terá camarões dourados.



                        O segundo desfecho possível é onde ? = b. Isso significa que alguns de nossa prole terão camarões dourados (Bb) ou camarões prateados (bb).
                        A primeira possibilidade prova que não há forma possível de se produzir camarões prateados na prole.

                        A segunda possibilidade prova que teremos alguns camarões dourados e alguns prateados. Não apenas isso, mas podemos compreender claramente sobre qual frequência haverá. Conte-as!
                        Bb + Bb = 2Bb
                        Bb + bb = 2bb
                        2 de um total de 4, terão camarões dourados. 2 de um total de 4 terão camarões prateados. Metade da prole terá camarões prateados! A proporção é de 50:50.
                        A segunda possibilidade nos informa uma série de coisas.
                        (1) Ambos os ascendentes precisam de pelo menos
                        uma característica b cada um, para que o camarão prateado apareça, caso seja uma característica recessiva.
                        (2) Se qualquer camarão prateado for produzido na
                        prole, então o mistério do parente B? deve ser Bb. Não há como ser BB.
                        Lembre-se:
                        Homozigoto Dominante: BB = Golden Bud (camarão dourado)
                        Heterozigoto: Bb= Golden Bud
                        Homozigoto Recessivo: bb = Silver Bud (camarão prateado)
                        Portanto, se o ascendente do golden bud, quando cruzado com um ascendente do silver bud, produziu apenas Golden Bud, então o ascendente deve ser Homozigoto dominante para essa característica. Se o ascendente produziu qualquer silver bud, então ele deve ser Heterozigoto.

                        As regras são:
                        1. A planta com a característica dominante é sempre cruzada com um organismo com característica recessiva.
                        2. Se qualquer descendente demonstrar a característica recessiva, o genótipo desconhecido será Heterozigoto.
                        3. Se todos os descendentes possuirem a característica dominante, o genótipo desconhecido será Homozigoto dominante.
                        4. Números extensos são necessários para que os resultados sejam confiáveis.
                        Esse é o seu primeiro passo para o mundo da
                        Reprodução, porque:
                        (1) Quando se cruza plantas, você quer dar
                        continuidade a uma característica. Algo que goste de ver ou saborear em sua planta, ou mesmo a sua altura.
                        (2) Quando você quer dar continuidade a essa
                        característica, você deve saber se é um Homozigoto Dominante, Heterozigoto ou Homozigoto Recessivo.
                        (3) Você pode descobrir isso fazendo o teste do
                        cruzamento.
                        Portanto, a interrogação pode vir a emergir. Como reproduzo visando características diversas, como sabor, aroma, vigor e coloração? Bem, isso é uma grande pergunta. Talvez precisemos aprender mais sobre o Equilíbrio de Hardy-Weinberg para podermos compreender isso.

                        Equilíbrio de Hardy-Weinberg Parte 2
                        Se cruzarmos dois indivíduos que são heterozigotos (e.g., Bb) visando uma característica, o que iremos encontrar ? (Façamos a tabela de Punnett).



                        Veja isso. Nesse grupo, o resultado da prole será:
                        1 BB,
                        2 Bb,
                        1 bb
                        Isso significa que:
                        25% de sua prole é homozigoto para o alelo dominante (BB).
                        50% é heterozigoto como os ascendentes (Bb) e
                        25% é homozigoto para o alelo recessivo (bb).
                        Agora observe atentamente. Ao contrário de seus ascendentes Bb Bb, 25% expressará o fenótipo recessivo bb. Portanto, se tivermos os dois ascendentes exibindo camarões dourados, onde AMBOS são heterozigotos para essa característica Bb, nós também produziriamos descendentes exibindo camarões prateados. Mas, uma vez que Bb é dominante em ambos os ascendentes, nenhum deles exibirá o fenótipo para camarões prateados.
                        É disso que se trata a reprodução. Quando possuimos uma estirpe que desejamos dar continuidade, como sabemos se a parte que queremos manter permanecerá presente em nosso processo de reprodução?
                        É aí que entra em cena o teste do cruzamento. Se produzimos sementes de uma estirpe que compramos em um banco de sementes, como podemos nos certificar de que a prole apresentará a característica que apreciamos? Bem, os fatos são esses. Se a característica que desejamos da continuidade é Homozigoto Dominante (BB) em ambos os ascendentes, então não há maneira de produzirmos um genótipo recessivo para essa característica na prole. Nós já abordamos isso em seções prévias.
                        Vamos provar isso:



                        Veja! É impossível a característica recessiva aparecer.
                        Se ambos os pares portarem a característica recessiva, não poderemos produzir a característica dominante. Vejamos isso em ação novamente.



                        Daí provamos isso também.
                        Com isso, agora começaremos a compreender que, no intuito de se reproduzir adequadamente, devemos saber se a característica é Homozigoto ou Heterozigoto ou Homozigoto Recessiva. Antes de entendermos quais são, nós devemos PREVER OS RESULTADOS, ANTES QUE VENHAM A OCORRER. É disso, senhoras e senhores, que se trata a reprodução. Compreender uma característica genótipa, prevendo o porvir de um cruzamento e BLOQUEANDO CARACTERÍSTCAS. Então como bloqueamos uma característica, você deve estar se perguntando? Bem, abordaremos isso posteriormente, após entendermos um pouco mais sobre este assunto.
                        Gregor Mendel (1822-1884) foi um moge Austríaco que descobriu a regra básica da herança, ao analisar os resultados de suas descobertas em programas de reprodução de plantas.
                        Ele notou que 2 tipos de ervilhas produziram resultados bastante uniformes quando reproduzidas com a sua própria genética populacional e não entre um e outro. Os resultados notados foram:



                        (Essa não é uma tabela de punnet. É apenas um exemplo para demonstrar os diferentes fenótipos vistos em duas estirpes diferentes de ervilha.)
                        Ele pode notar que toda a prole carregava as mesmas características, quando reproduzidas com a mesma população ou a mesma genética populacional.
                        Agora, uma vez que não há variações para cada linhagem, ele advinhou que ambas eram homozigotos para essa característica. Pelo fato das plantas de ervilha serem da mesma espécie, Mendel advinhou que ambas as sementes de conchas sólidas eram recessivas ou que as onduladas eram recessivas. Então ele utilizou as notações do genótipo (SS para sólido, ss para ondulada). Ele soube que elas não poderiam ser Ss, porque um lote não produziu nenhum fenótipo relacionado a outra linhagem, quando reproduzidos com a sua própria genética populacional.
                        Vamos explicar sobre isso via 2 tabelas básicas de punnet, onde SS = Planta de Ervilha#1 para a característica de “sementes de concha sólida” e ss = Planta de Ervilha#2, para a característica “sementes de concha ondulada”.



                        Esse foi o resultado da planta de Ervilha#1. Toda a prole será SS.



                        Esse foi o rsultado da planta de Ervilha#2. Toda a prole será ss.

                        O Primeiro Cruzamento Híbrido:
                        Mendel criou o seu primeiro cruzamento híbrido entre 2 estirpes. Os resultados foram, todas as sementes eram sólidas! Abaixo está o gráfico.



                        Agora até esse ponto, ele não sabia qual característica de qual planta era recessiva ou dominante. Mas desde que todas as sementes eram sólidas, então ele sabia que a Planta de Ervilha#1 continha o genótipo dominante para o formato de uma semente e que a planta de Ervilha#2, continha o genótipo recessivo para sementes onduladas. Ele também soube que a planta de Ervilha#2, continha o genótipo recessivo para a semente ondulada. Isso significa que, em TESTES DE CRUZAMENTOS com outras linhagens de ervilha à realizar-se no futuro, ele poderia determinar se a característica do formato de uma semente é Homozigoto ou Heterozigoto, uma vez que identificou a característica recessiva (ss).
                        Lembra da regra do teste de cruzamento para que se determine isso?
                        1. A planta com a característica dominante é sempre cruzada com um organismo com características recessivas.
                        2. Se qualquer descendente demonstrar características recessivas, o genótipo desconhecido é Heterozigoto.
                        3. Se todos os descendentes possuirem a característica dominante, o genótipo desconhecido é Homozigoto dominante.

                        4. Números extensos são necessários para que os resultados sejam confiáveis.
                        Então a prole da última tabela de prunet foi toda Ss. Quando ele cruzou 2 ascendentes do bando de descendentes, ele obteve o seguinte resultado.



                        O que ele fez aqui foi acasalar dois indivíduos que são heterozigotos (e.g., Ss) para a característica formato de semente. Nesse grupo, o resultado da prole será
                        SS
                        Ss
                        Ss
                        Isso significa que:
                        25% da prole é homozigoto para o alelo dominante (BB).
                        50% são heterozigotos como os ascendentes (Bb) e
                        25% são homozigotos para o alelo recessivo (bb).
                        Bingo! Lembra disso, algumas páginas atrás?
                        Em seu primeiro cruzamento para criar a planta híbrida, Mendel terminou com NENHUMA característica recessiva para o formato de semente. Mas quando ele cruzou a prole, porque eram heterozigotos para essa característica, ele acabou tendo alguns com característica homozigoto e outros permanecendo com a característica heterozigoto.
                        Em termos apropriados de reprodução, ao seu primeiro cruzamento entre plantas é atribuído o nome cruzamento F1 ou geraçao F1. A reprodução dessa prole é chamada de cruzamento F2 ou geração F2.
                        Agora, uma vez que ele possui Ss, ss e SS para trabalhar, você provavemente poderá fazer a tabela punnet para cada um, a fim de verificar como estes serão. Seria uma boa razão para testar seu conhecimento sobre a matéria. Compare os resultados com aquilo que você aprendeu nesse capítulo sobre proporções e você será capaz de ver como tudo se encaixa. É realmente muito simples quando se conhece as regras...... mas como a maioria das regras, há exceções.

                        Retornando as frequências:
                        Sabemos que, se dois ascendentes heterozigotos
                        são cruzados, a proporção será 50/50, no que diz respeito ao alelo (lembre-se que o genótipo pode ser Ss, SS ou ss, mas o alelo é S ou s. Veja a tabela abaixo, quando cruzados dois ascendentes heterozigotos e conte os alelos.



                        SS
                        Ss
                        Ss
                        Ss
                        Podemos ver S S S S (4 X S) e s s s s (4 X s).

                        Se os separarmos, podemos ver claramente.
                        SS
                        S
                        S
                        (Estalo)
                        S
                        S
                        Ss
                        Novamente, sabemos que se dois ascendentes heterozigotos são cruzados, a razão será 50/50 no que diz respeito ao elelo.
                        Agora, lembra-se do Equilíbrio? Se considerarmos uma população, cujo gene populacional e a soma de todos os alelos for igual a 100%, poderemos ter proporções diferenciadas? Tal como, 80% para S e 20% para s? Bem, talvez devessemos atinar para onde essas leis sucumbem, bem como para onde falham em seu esperado funcionamento.
                        Há cinco momento em que Lei do Equilíbrio falha ao
                        funcionar. São eles:
                        1. Mutação
                        2. Migração de genes
                        3. Flutuações de Genética
                        4. Acasalamento não aleatório
                        5. Seleção natural
                        Passamos a cada um deles.

                        Mutação
                        Mutação é a mudança no material genético que pode ascender à variações de hereditariedade na prole. Na natureza, talvez a exposição à radiação cause isso. Nesse caso, o resultado será a mutação do código genétco da planta e por conseguinte, quando reproduzido com a mesma população, ocorre efetivamente uma migração de material genético alienígena (leia-se estranho). Apesar de nada novo ter sido adicionado à população através uma população externa, a mutação de uma única planta agirá da mesma forma que se uma nova linhagem tivesse migrado à genética populacional.

                        Migração de genes
                        Quando lidamos com uma população de plantas, referimo-nos a um grupo de plantas que se reproduz entre si, sem a interfência de uma população externa. Com o passar do tempo, a população alcançará o equilíbrio, que será mantido enquanto nenhuma outra população migrar até ela. Quando outra população é introduzida, isso fará com que novos genes adentrem à população. Isso é chamado de hibridização introgressiva. Durante o processo de hibridização, outras novas características irão surgir na população.

                        Flutuações de Genética:
                        Se a população for pequena, o equilíbrio pode ser violado. Por acaso, alguns membros serão eliminados da população. Descobriremos que a frequência de um alelo irá flutuar à valores mais altos ou mais baixos.

                        Acasalamento não aleatório e seleção natural
                        Isso sugere que algo externo pode vir a influenciar a população ao estágio em que o acasalamento não seja aleatório. Se algumas flores se desenvolverem mais cedo do que outras, então elas terão coletado polém mais cedo do que as demais. Se algum dos machos dispersou pólen mais cedo do que outros, então o acasalamento não é aleatório. Ou talvez, todos os machos dispersem pólen mais cedo, fazendo com que algumas flores fêmeas de aparecimento tardio culminem em uma safra sinsemilla. Isso significa que essas flores fêmeas de aparecimento tardio, não darão contribuição à genética populacional. Novamente, o equilíbrio não será mantido.
                        Em homenagem a seleção natural, o ambiente pode vir a causar problemas com a divisão das plantas. Se essa divisão não sobreviver, então elas não serão capazes de contribuir com a genética populacional. Se esse não for o caso e se a seleção for feita, então as demais plantas não contribuirão e, portanto, saberemos que as características das frequências poderão ser controladas até um certo grau. E é na capacidade de se controlar as frequências de uma característica que se encontra o cerne da reprodução.

                        COMO REPRODUZIR FIELMENTE UMA ESTIRPE
                        Reproduzir estirpes de Cannabis tem tudo a ver com a manipulação de frequências de genes. A maioria das estirpes vendidas por reprodutores respeitáveis, através de bancos de sementes, são bastante uniformes em desenvolvimento. Isso significa que o reprodutor tem se esforçado para capturar certos genes, fazendo com que os genótipos dessas características sejam homozigoto.
                        Se puderemos vislumbrar por um momento que um reprodutor possui duas estirpes – Mater Kush e Silver Haze. Ele enumera algumas características que gosta com o * e doa essas características.



                        Isso significa que ele pretende criar uma planta com as seguintes características, denominando-a de Silver Kush.



                        Agora, todas as genéticas necessárias estão em ambas as genéticas populacionais para Mater Kush e Silver Haze. Nós poderíamos misturar ambas as populações e esperar o melhor ou poderíamos economizar tempo, espaço e recursos, ao calcular o genótipo para cada caracterítica, usando os resultados para criar uma estirpe fielmente reproduzida (uma IBL).

                        A primeira coisa que um reprodutor precisa fazer é compreender o genótipo de cada característica em destaque na sua estirpe de macho/fêmea ideal. Para isso, o genótipo da estirpe de cada ascendente ou da população que possui a mesma característica, deve ser compreendido. Uma vez que há 4 características que o reprodutor procura isolar, então 4 X 2 = 8. Genótipos para essas expressões fenótipas devem ser compreendidas pelo reprodutor.
                        Peguemos o da Folha Verde Escuro para começar. O reprodutor cultivará o máximo de plantas Silver Haze que puder encontrar. Ele tomará nota, se alguma da população exibir outra característica para a coloração da folha. Caso contrário, o reprodutor notará que a característica é homozigoto (chamaremos de característica – M). Agora ela pode ser tanto MM ou mm. Se outra coloração de folhas surgir na população, então o reprodutor deve reconhecer que essa característica não é homozigoto, mas sim heterozigoto.
                        Se for heterozigoto, então devemos capturar a característica antes de continuarmos. Isso é feito através de seleção de reprodução. Observemos de perto os ascendentes por um momento.



                        Caso ambos os ascendentes fossem MM, não teríamos visto as variações na população para essa característica. É uma característica bloqueada. Sabemos que essa característica sempre reproduzirá fielmente em populações sem variações.



                        Caso um dos ascendentes fosse MM e o outro Mm, teríamos terminado com 50/50 da população com ambas as variações. Mas uma é claramente homozigoto e a outra heterozigoto.
                        Caso ambos fossem Mm, então teríamos 25% MM, 50% Mm e 25% mm.
                        Apesar de podermos visualizar as frequências, ainda não saberíamos se a característica Folha Verde Pálido é Dominante ou Recessivo, mas podemos descubrir isso fazendo o Teste do Cruzamento.
                        Não retornaremos agora ao capítulo do Teste do Cruzamento, mas podemos mostrar à você como isolar o genótipo de que precisa, o qual é tanto MM ou mm, porque queremos reproduzir essa característica fielmente. Também devemos manter um registro dos ascendentes utilizados.
                        Para manter vivos os ascendentes, clone-os! O mesmo material genético será passado de clone para clone.



                        Nesse cruzamento, você consegue visualizar a prole MM e a prole mm? Bem, por sua própria natureza eles não podem ser os mesmos. Ao fazer diversos Testes de Cruzamentos, podemos isolar a planta que é tanto MM ou mm e separar qualquer Mm do grupo. Quer se trate de MM ou mm, ainda poderemos reproduzir a característica fielmente, ao reproduzi-la com outro ascendente que seja somente MM ou mm, respectivamente. Portanto, podemos ter que fazer diversos testes de cruzamento para descobrir um macho e fêmea que possua tanto MM ou mm para essa característica. Uma vez feito isso, temos o genótipo isolado e ele irá reproduzir fielmente dentro da mesma população.
                        Sendo assim, se criarmos um banco de sementes chamado de “SOMENTE FOLHA VERDE PÁLIDO E TODO OS DEMAIS NÃO SÃO UNIFORMES, LTDA” então as sementes que criamos, TODAS reproduzirão FOLHAS VERDE PÁLIDO e o consumidor ficará feliz. Entretanto, na realidade, eles querem exatamente a mesma planta que venceu a Copa da Cannabis ano passado..... ou ao menos algo perto disso. Então, teremos que isolar todas as características que ajudaram essa linhagem de Cannabis a vencer a Copa, antes que as pessoas possam se alegrar com o que compraram. Acho que você entendeu o ponto.
                        Quantos testes são necesários para se conhecer o genótipo, não é determinável. Talvez você tenha que usar uma ampla seleção de plantas, até que se alance o objetivo. Cada característica deve ser capturada em uma população, para que esta seja homozigoto. A próxima etapa será capturar as outras características na mesma população.
                        Agora vem a parte dura. Quando você está trabalhando em uma característica, você deve manter em mente as outras caracerísticas que procura.
                        Ao reproduzir sozinho, você poderá capturar acidentalmente uma outra característica que não deseja ou mesmo remover as que deseja manter. Se isso acontecer, então você terá que dar ainda mais duro para manter as característica que deseja e explorar os genótipos através de múltiplos Testes de Cruzamento. Eventualmente, através de seleções e mantendo registro, você acabará com uma planta fielmente reproduzida para todas as características que deseja. A genética populacional está lá, mas o objetivo é capturar as características da população. E também, ao manter o seu próprio registro, você estará construindo o seu pequeno mapeamento genético de genes de Cannabis. Por exemplo, se alguém cultiva Blueberry de um reprodutor conhecido e lhe pergunta qual o sabor de seu genótipo, você será capaz de lhe dizer um pouco sobre suas experiências e o que encontrou. Isso pode ajudá-lo a economizar tempo. Talvez um dia possamos mapear geneticamente a Cannabis e tudo será mais fácil.
                        Um cultivador nunca diz, “Beleza! Vou capturar todas as 1000 características que desejo”. Isso é loucura. O que ele precisa fazer é se concentrar nos fenótipos principais que farão com que sua planta seja, de alguma forma, única. Uma vez capturadas 4 ou 5 características, então pode-se seguir em frente. Passo a passo é como verdadeiras estirpes são criadas. Se alguém disser que desenvolveu uma reprodução fiel em um ou dois anos, então você pode ter a certeza de que a genética, usada de início, era em primeiro lugar, uma reprodução verdadeira. (Estirpes verdadeiras e conhecidas, como a Skunk#1 e Afghani#1 levaram 20 anos até chegarem ao estágio em que se encontram agora.)



                        Eventualmente você terá a sua estirpe de Silver Kush, mas somente com os 4 genótipos que deseja manter. Você ainda pode ter uma variedade de plantas não uniformes no grupo. Algumas podem exibir hastes roxas, outras verde, umas podem ser muito potentes, outras já não tão potentes. Ao constantemente selecionar novas características que se deseja manter, você poderá manipular uma estirpe para uma reprodução totalmente fiel, para cada fenótipo. Entretanto, é extremamente improvável que tal estirpe exista no mercado e seja uma reprodução 100% fiel para cada um dos fenótipos. Tal estirpe seria chamada de “Um Perfeito IBL”. Se você é capaz de capturar 90% do fenótipo da planta em uma população, então você poderá creditá-la o status de IBL. Creio que no mundo contemporâneo isso seria um % aceitável à alcançar.
                        A idéia central por trás dessa técnica é encontrar a chamada planta “doadora”. Uma planta doadora é aquela que contém uma verdadeira característica reprodutiva (homozigoto dominante) para aquela específica característica. Quanto mais características capturaradas forem homozigoto dominante, maiores serão as suas chances de desenvolver uma IBL.
                        IBL é uma abreviação para “In Breed Line” (o que corresponde à idéia de reprodução fiel). Isso não significa que a linha genética será reproduzida fielmente para cada característica, mas em geral essa terminologia (IBL) usada por reprodutores, refere-se a um estirpe bastante uniforme em crescimento que corresponde a uma elevada % dos fenótipos da estirpe.
                        Tomemos o exemplo do hamster. Em uma pequena parte de hamsters, talvez possamos constatar que todos possuem os mesmos fenótipos. Se essa população se reproduzir sem que nenhum outro fenótipo surja subitamente, então podemos considerar o fato de que esses hamsters são IBL. Se os hamsters continuarem a se reproduzir e todos demonstrarem as mesmas características sem variações, então nos certificamos de que a genética populacional foi capturada.
                        Há tantas técnicas de reprodução que você pode vir a se interessar. Essas técnicas podem realmente violar a lei do Equilíbrio de Hardy-Weinberg. No seu caso, isso pode ser uma coisa boa, pois irá reduzir uma característica em uma população ou desenvolverá uma característica nela. A estirpe pode não ser uma reprodução fiel para a característica selecionada, mas certamente irá contribuir para uma população mais uniforme para tal característica.

                        CUBAGEM E RETROCRUZAMENTO
                        Nosso primeiro cruzamento entre a planta Master Kush e Silver Haze é conhecida como o cruzamento híbrido F1. Suponhamos que ambos as características sejam homozigoto para coloração foliar. O Haze é verde pálido, o Kush é verde escuro. Qual dois dois é MM ou mm, não saberemos até que se veja os descendentes.



                        Esse cruzamento F1 resultará em sementes híbridas. Agora, uma vez que M é dominante sobre m, então sabemos qual cor é mais dominante e de qual ascendente ela adveio. À exemplo, suponhamos que a totalidade do resultado seja verde pálido. Isso significa que o alelo verde pálido é dominante sobre o verde escuro.
                        M = A característica folha verde pálido no Silver Haze é dominante.
                        M = A característica folha verde escuro no Master Kush é recessiva.
                        Mas também sabemos que por conta de nenhuma variação ter ocorrido na população, ambos os ascendentes são homozigoto recessivos para essa característica. Entretanto, toda a prole é heterozigoto.
                        Agora, aqui é onde podemos tomar um grande atalho na manipulação da genética populacional.
                        Ao clonar os ascendentes MM, podemos usar os clones em nosso cruzamento, com a prole Mm. Isso é conhecido como RETROCRUZAMENTO. Obviamente que, se nosso ascendente for fêmea, então teremos que usar machos da seleção Mm para o retrocruzamento.



                        Agora, nosso primeiro retrocruzamento resultará em 50% para homozigoto à essa característica (MM) e 50% da prole sendo heterozigoto (Mm) à essa característica!
                        Se não tivessemos realizado o retrocruzamento, mas apenas utilizado a prole heterozigoto para o programa de reprodução, teríamos terminado com:



                        O qual 25% é Homozigoto Dominante (MM), 50% Heterozigoto (Mm) e 25% Homozigoto Recessivo (mm). Portanto, o retrocruzamento irá controlar seriamente a frequência para uma característica específica na prole.
                        O primeiro retrocruzamento é simplesmente chamado de RETROCRUZAMENTO A. Agora, vejamos o que acontece quando fazemos o segundo retrocruzamento, usando o mesmo ascendente que estamos mantendo vivo através da clonagem. Nosso segundo retrocruzamento tem referência à uma QUADRATURA.
                        Uma vez que estamos lidando com apenas dois tipos de prole, MM e MM, também iremos repetir nossos resultados.....



                        O qual é o mesmo que os primeiros retrocruzamentos ........... Ou



                        Toda a prole será MM e por conseguinte, irá irá reproduzir fielmente para essa característica. Essa prole é o resultado da quadratura. Nós não “encubamos” nada aqui, mas esse é um bom exemplo para você começar, pois, demonstra como podemos manipular a população atavés do retrocruzamento.
                        “Cubagem”, na realidade, é menos controlado do que isso. “Cubagem” é uma forma de se aumentar a frequência em uma população para uma determinada característica. Talvez não resulte em uma reprodução fiel, mas irá fomentar uma característica em um grupo de plantas. E também, o atual processo de seleção é um pouco aleatório.
                        Em uma população, selecionamos uma planta mãe que desejamos manter por conta de suas caracteríticas. Na mesma população, coletamos pólen de 50% dos machos que possuem características similares à planta mãe e 50% dos que não possuem. O pólen é misturado em suas respectivas proporções. Então temos dois pacotes com pólen. Devemos clonar a fêmea para criar duas fêmeas. Então usamos os 2 pacotes de pólen em cada clone, separadamente.
                        Quando cultivamos a prole das duas fêmeas, selecionamos a população da prole que possui as características mais semelhantes com as da mãe, as quais estamos buscando desenvolver na população. Ocorre que, o melhor pólen masculino deve ter sido selecionado pela fêmea, como o seu preferido. A razão para se coletar dois tipos de pólen, de dois machos diferentes, visa criar um controle experimental para mostrar como esse método realmente interfere nas frequências da população genética. Por direito, a sua seleção de pólen inferior irá apenas trazer uma população de qualidade inferior, que não se assemelha ao clone fêmea.
                        Na realidade, nós apenas selecionamos pólen dos melhores machos, que mais se assemelham a fêmea, quando utilizamos esse método.
                        Você se lembra de uma das leis que quebra o Equilíbrio? Seleção de acasalamento não aleatório e seleção natural. Bem, isso é o que estamos fazendo aqui.
                        A descendência resultante deve ter uma alta fequência para as características que gostamos na planta mãe.
                        O problema é que nós não sabemos qual dos machos no grupo VENCEU a fêmea, mas é mais rápido e menos moroso na criação de uma estirpe, que é pouco uniforme em relação a uma característica específica.
                        Ao repetir o processo, podemos ajudar a aumentar a frequência de características da planta mãe na população de descendentes, mas provavelmente iremos terminar com algumas plantas que não são uniformes para essa característica.
                        A melhor forma de se atingir esse processo é como se descreve. Encontre uma fêmea que goste e clone essa fêmea e outra mais remota. Colete pólen desta mais remota e polinize a fêmea. A prole deve conter 50%/50% dos genes de ambos os parentes.
                        Colete pólen dos machos da prole e misture-os. Polinize um clone da mãe. Esse passo deve garantir que a seleção não é mais aleatória e que você está promovendo a frequência das características da mãe para a prole subsequente.
                        Repita o processo duas vezes mais e você terá efetivamente “CUBADO” (significa retrocruzado x 3) essa característica. Isso pode empurrar as características da planta mãe, tão alto quanto 90% em uma população, mas nós provavelmente teremos também algumas plantas não uniformes na prole.
                        A cubagem não necessariamente nos ajuda a selecionar as características que desejamos, como em nosso experimento com Silver Kush. Ela simplesmente nos ajuda a manter algumas características que a planta mãe possui. Cubagem é um processo comum, adotado por reprodutores que encontram uma boa e saudável mãe em uma seleção de sementes que lhes foi dada.
                        Esse método pode vir a falhar rapidamente, se a sua seleção de machos for a escolha errada.

                        AUTOFECUNDAÇÃO
                        Autofecundação é a habilidade da planta de produzir sementes, sem a necessidade da contribuição de outra planta. Isso tem referência a plantas hermafroditas que se autopolinizam. Não há que se falar em „gene populacional‟ ou população, lembrando-se as hermafroditas, uma vez que o único pólen que a hermafrodita irá usar é o polén gerado por si própria. Ambas as flores, macho e fêmeas estão localizadas na mesma planta. Entretanto, podem haver variações na prole.
                        É impossível a uma hermafrodita, gerar somente plantas macho. A hermafrodita pode criar sementes exclusivamente fêmeas e hermafroditas. E também, as sementes exclusivamente fêmeas, podem carregar a característica hermafrodita.

                        Obervação extra em Autofecundação, por Vic High:
                        [Essas observações foram tiradas de um comentário, que ficou famoso na Internet e vale a pena se lido. Fornecido por Vic High, reprodutor BCGA]

                        Observações e Entrevistas, por Sr. XX
                        Sementes 100% Fêmeas
                        Postado por TheSiliconMagician em 13 de Fevereiro de
                        1999, às 05:17:41 PT:

                        Como alguns de vocês sabem, tenho frequentado as salas de bate papo por algum tempo e passo bastante tempo nelas. Bem, tive o imenso prazer de conversar com o Sr. XX no decorrer das últimas noites, por muitas horas, vindo a conhecê-lo muito bem via
                        E-mail e bate papo. À medida em que conversávamos, ele confiou à mim e à alguns outros, o seu processo de reprodução de sementes 100%.
                        Mr. XX é um grande sujeito. Engraçado, torna-se sempre um prazer conversar com ele. O camarada não fala inglês muito bem, escreve mal e também fala mal. Ele é um amante genuíno da Cannabis. Entende que todos devem compartilhar em partes iguais, contribuindo com a comunidade de uma forma geral.
                        Ele simplesmente deseja compartilhar o seu conhecimento com a comunidade cannabica, pois tem passado 15 anos pesquisando sobre isso e com ele conversei a fundo sobre isso. Dada a permissão do Sr. XX‟s, explico, uma vez que deseja que todos sejam capazes de compartilhar.
                        Ele literalmente estressou a centenas de plantas, sob fotoperíodos irregulares. O que ele faz é ligar as lâmpadas em 12/12, por 10 dias. Daí, ele muda para 24 horas, depois para 12/12, por poucos dias, volta para 24 horas por um dia, e novamente para 12/12, por poucas semanas.
                        Se ele faz isso e nenhuma hermafrodita aparace, então ele descobriu uma fêmea 100% XX, que não pode se tornar hermafrodita naturalmente. Ele diz que as suas chances de descobrir um fêmea 100% XX é amplamente aumentada, quando se usa genéticas Indica. Ele me disse que, quanto mais genética Afegã ou Nepalesa a planta portar, maiores serão as chances de se encontrar uma fêmea natural XX. Suas exatas palavras são, “Onde a mãe natureza concebeu, originalmente, uma casa à erva?”
                        Tentei que ele quantificasse em números, mas ele nunca especificou a proporção de fêmeas XX, suas palavras exatas eram “muitas fêmeas XX para todos” e isso é tudo que dirá sobre o assunto. Requer um longo tempo e uma grande quantidade de plantas para encontrar essa dita cuja fêmea.

                        Ele então utiliza ácido Glibérico. 30 centilitros de água, com 2 gramas de ácido Glibérico
                        [Observação do Autor: Essa é uma quantidade incorreta, favor se direcionar ao final dessa seção, próximo a marca *. TSM fez corretamente por si próprio, mas não nessa publicação. Ele conseguiu mais adiante.]
                        (Continuação) e 2 gotas de Hidróxido de Natrium para dissolver o Glibérico. Daí, aplique normalmente para criar as flores fêmeas. Ele dispõem de até a 4a Geração, SEM perda de vigor, SEM deficiência genética e SEM hermafroditas. Ele diz que as plantas são CLONES DE GENÉTICAS IDÊNTICAS, uns com os outros. Totalmente irmãs. Basicamente, clones gerados por sementes, ao invés do método normal de clonagem.
                        Postado por TheSiliconMagician em 13, Fevereiro de 1999, às 05:17:41 PT:

                        O Sr. XX também conta que é facil para o cultivador doméstico encontrar uma fêmea XX. É um processo temporal bastante demorado, mas simples. Conta que cultivadores domésticos devem se confinar a uma única linhagem. O Sr. XX usou Skunk#1 X Haze X Hawaian Indica. Diz para separar essas plantas de seu cultivo principal e estressá-las absurdamente. Faça isso vez após vez, a cada nova prole de sementes que conseguir dessa linhagem, até que se encontre a fêmea XX. Enquanto isso é provavelmente difícil, não chega a ser impossível.
                        Se você possui uma Columbian Sativa.. será quase impossível à você encontrar essa dita cuja fêmea.. ele diz ser possível, mas muito incomum.. TSM

                        * CORREÇÃO: 0.02g de Glibérico E NÃO 2 gramas
                        E isso conclui o capítulo sobre fundamentos de Reprodução. Esperançosamente, em edições posteriores, expandiremos o que mencionamos aqui e demonstraremos à você, alguns exemplos de alguns projetos de reprodução e sobre como funcionam. Nesse interím, você já deverá ter informações suficientes aqui para começar a trabalhar em sua própria linhagem de Cannabis.
                        Gostaria de agradecer a Vic High, Chimera e Strawdog, por concederem uma grande contribuição à este capítulo.

                        ÍNDICE DE LINHAGENS
                        Essa seção contém uma lista de estirpes de Cannabis que você facilmente encontrará se pesquisar por aí.
                        CHAVE
                        * = Uma linhagem muito boa.
                        ** = Adequada para cultivadores novatos.
                        *** = Não adequada para cultivadores novatos.
                        TB = Indica uma linhagem IBL.
                        OUT = Não adequada para indoors.
                        P = Potência elevada.
                        C = Não há sementes disponíveis. Apenas clones.

                        ESTIRPES INDICA
                        Afghani - *, **, TB,
                        Afghani #1 - *, **, TB, P
                        Bazooka
                        BC Hash Plant
                        Black Domina - P
                        Champagne - P, C
                        Cream Sodica
                        Domino
                        Durga Mata
                        G-13 -P, C
                        Hindu Kush - *, **, TB
                        KC36
                        Kong
                        Kush -*, **, TB,
                        M-9
                        Mango
                        Mangolian Indica
                        Masterkush - *, **
                        Mazar
                        Northern Lights - *, **, TB, P
                        Pluton 2
                        Purple Star
                        Romberry - *, P
                        Shishkeberry - *, P
                        Shiva -*, **, P
                        Slyder
                        Twilight
                        Williams Wonder

                        ESTIRPES PREDOMINANTEMENTE INDICA
                        Aurora Borealis
                        Big Bud - *, **
                        Big Treat
                        Blueberry - *, **
                        Buddha
                        Chemo -*, C
                        Chitral
                        Chronic -*
                        Early Bud
                        Early Girl -*, **
                        Eclipse
                        El Nino
                        Great White Shark -*, P
                        Hawaiian Indica x Skunk #1
                        Hawaiian/Skunk
                        Himalayan Gold -*
                        Inca Spirit
                        K2
                        M39 -*
                        Matanuska Valley ThunderFuck -*, C
                        MCW (Mighty Mite x Chemo x Widow) -*
                        Mister Nice
                        Misty
                        Northern Lights #1 -*, **, P
                        Northern Lights #2 (Oasis) -*, **, P
                        Northern Lights #5 -*,**, P
                        Peak 19
                        Romulan -*
                        Sensi Star
                        Shiva Shanti -*, **
                        Sweet Tooth -*
                        Texada Timewarp -*, P
                        Top 44 -*, **
                        Yumbolt -*

                        ESTIRPES SATIVA
                        Cambodian -***, P, OUT
                        Durban Thai x Cinderella 99 -***, P
                        Haze Strains -***, TB, P, OUT
                        Malawi -***, OUT
                        Swazi -***, TB, P, OUT
                        Thai -***, TB, P, OUT

                        ESTIRPES DOMINANTEMENTE SATIVA
                        B-52
                        Beatrix Choice
                        Cinderella 88/99 -*, **, P
                        Durban
                        Durban Poison -*, **, P
                        Durban X Skunk
                        Durban/Thai -***, P, OUT
                        Early Pearl - *, **
                        Early Skunk - *, **
                        Haze #1 -***, P, OUT
                        Haze #19 -***, P, OUT
                        Haze Skunk -***, P, OUT
                        Kali Mist -*, **, P
                        Lambs bread Skunk -*, P
                        Mexican Sativa -***, OUT
                        Mullimbimby Madness -*, ***, P, OUT
                        Neville‟s Haze -*, ***, P, OUT
                        Original Haze -*, ***, P, OUT, TB
                        Power Plant -*, **, P, OUT
                        Pure Haze -***, P, OUT
                        Purple Haze -*, ***, P, OUT
                        Purple Skunk -*, ***, P, OUT
                        Sensi Skunk -*, **, TB, P
                        Shaman -*
                        Silver Haze -*, ***, P, OUT
                        Skunk #1 -*, **, TB, P
                        Skunk Passion -*
                        Skunk Red Hair
                        Super Haze -*, ***, P, OUT
                        Super Silver Haze -*, ***, P, OUT
                        Swazi X Skunk -***, OUT
                        Voodoo

                        MIX DE ESTIRPES INDICA / SATIVA
                        AK-47 -*, P
                        Apollo 11 -*, P
                        Blue Heaven
                        BubbleGum -*, **, P
                        California Indica
                        California Orange
                        Dutch Dragon - *, **, P
                        Early Riser - *
                        Euforia -*, P
                        Flo -*
                        Fruit Loop
                        Green Spirit
                        Hawaiian Indica -*
                        Holland's Hope
                        Jack Flash -*, P
                        Jack Herer -*, P

                        __________________________________________________ _______________________________________
                        Juicy Fruit -*
                        KC 33
                        Killer Queen -*, P
                        Leda Uno
                        Mighty Dutch
                        Nebula
                        Night Queen
                        Orange Crush -*
                        Orange Strains
                        Plum Bud
                        Pole Cat -*
                        Purple #1 -*, **
                        Purple Power -*, **
                        Rosetta Stone -*
                        Shiva Skunk -*, **, TB
                        Silver Pearl -*
                        Skunk Indica -*, **
                        Space Queen -*
                        Special K
                        Stonehedge -*
                        Super Skunk -*, **, TB, P
                        Trance -*
                        White Rhino
                        White Russian -*
                        White Widow -*, **, TB, P

                        Isso conclui a lista de estirpes conhecidas no mercado atual.

                        Fonte >







                        É NOIX, ABRAÇOS DO JIM !

                        Comentario


                        • #13
                          Re: Técnicas de Polinização para gerar sementes Femêas !

                          Bom galera achei esse Book em pdf e está no mega

                          Parte 01 203.13 mb aqui

                          Parte 02 174.34 mb aqui

                          Parte 03 132.01 mb aqui



                          espero ter ajudado ae...
                          Ae Jim tem uma série muito boa também que chama See More Buds muito bom recomendo ...ensina muita coisa bacana também, mas não serve como receita de bolo não, tem que fazer umas mudanças, por causa do ph da agua etc...
                          vlw brç
                          flws.

                          Comentario


                          • #14
                            Re: Técnicas de Polinização para gerar sementes Femêas !

                            Caraca man, isso ae eh show de bola se tiver mais artigos e quiser postar, manão será um prazer me dedicar a breeding quero dominar isso cara achei fascinante, e de fato é muito mesmo.
                            Ainda me torno um breeder de responsa ....ae acabo entrando para a lista de breeder hehehehe
                            Mas quero criar umas espécies daqui do brasil, claro usando umas genéticas de fora, como eles fizeram com a gente coletaram as melhores seeds nossas e criaram o hibridos com as nossas meninas, ou seja tem nossas brasileiras rolando na genética deles, e muitos não sabem dessa nossa contribuição de genes.
                            Valeu irmão
                            abraço.

                            Comentario


                            • #15
                              Re: Técnicas de Polinização para gerar sementes Femêas !

                              Hum então seguindo esse raciocinio ...por isso as seeds regulares acabam sendo mais caras a probabilidade de se achar uma femea XX é maior que femilizadas, no caso como vc mesmo disse em um outro post [MENTION=70696]Jim*Morrison[/MENTION] "todas seeds fem são hermafroditas" .
                              Caraca tinha imaginado isso mesmo, mesmo que se estresse a planta por foto periodo se ela estiver pura não irá hermafroditar a não ser que tenha traços genéticos para que hermafrodite, mesmo pouco dos traços as deixarão com uma pré-disposição naturalmente modificado no seu genes...
                              muito loko isso man favoritei aqui, estudando tudo imagem por imagem.
                              vlw mano Jim
                              se tiver mais artigos ou links posta para mim que estarei aqui aguardando mais materias para estudo hein vale ouro cumpadi .

                              Comentario

                              Trabajando...
                              X